Madeira de lei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jacarandá, madeira da melhor qualidade

Madeira de Lei designa, em sentido mais amplo, as madeiras que, por sua qualidade e resistência, principalmente ao ataque de insetos e umidade, duram mais que as outras. São aptas para emprego em construção civil, naval, confecção de móveis, instrumentos musicais.

Costuma apresentar aparência com cores marcantes, do bege-amarelado passando pelo amarelo, vermelho a marrom escuro, dependendo da espécie; a superfície costuma ser lisa e lustrosa; além de pouca distinção entre cerne e alburno; assim, as madeiras "brancas", ao contrario das de lei, tem muito alburno, aparência feia e apodrecem facilmente.

Madeira de lei (carvalho, acima)e Madeira comum (pinho, abaixo), vistos ampliados no MEV. Na madeira de lei nota-se a presença de poros característicos.

Dependendo do grau de dureza ou trabalhabilidade, os usos e cada espécie tem destinações preferenciais. Assim, madeiras duras e pesadas servirão para portas de segurança, pisos ou móveis pesados como tampos de grandes mesas, como o Ipê, o Pau-ferro, o Jatobá, o Jacarandá, o Angelim.

A origem do termo remontaria ao tempo da chegada da família de Dom João VI ao Brasil. Na "lei" foram estabelecidas algumas espécies para uso exclusivo da coroa, notadamente para a construção naval e de dormentes de ferrovias.

Principais madeiras de lei[editar | editar código-fonte]

Referências

Notas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.