Mafra (Santa Catarina)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Mafra
"Pérola do Planalto"
Bandeira de Mafra
Brasão de Mafra
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 8 de setembro
Fundação 8 de setembro de 1917 (96 anos)
Gentílico mafrense
Prefeito(a) Roberto Agenor Scholze (PT)
(2009–2012)
Localização
Localização de Mafra
Localização de Mafra em Santa Catarina
Mafra está localizado em: Brasil
Mafra
Localização de Mafra no Brasil
26° 06' 39" S 49° 48' 18" O26° 06' 39" S 49° 48' 18" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Norte Catarinense IBGE/2008 [1]
Microrregião Canoinhas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Antônio Olinto (PR), Itaiópolis, Lapa (PR), Papanduva, Rio Negrinho, Rio Negro (PR), Três Barras
Distância até a capital 310 km
Características geográficas
Área 1 404,206 km² [2]
População 55 445 hab. Censo IBGE/2013[3]
Densidade 39,48 hab./km²
Altitude 793 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,777 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 960 120,330 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 17 316,65 IBGE/2010[5]
Página oficial

Mafra é um município brasileiro do planalto norte do estado de Santa Catarina. Localiza-se a uma latitude 26º06'41" sul e a uma longitude 49º48'19" oeste, estando a uma altitude de 793 metros a 310 km da capital Florianópolis e a 105 km de Curitiba, capital do estado do Paraná. Sua população, segundo censo feito pelo IBGE em 2010, era de 52.912 habitantes. Suas principais atividades econômicas são a agropecuária e indústria, além de ser um importante entroncamento rodoferroviário na região. Possui uma área de 1.406 km², que representa aproximadamente 1,47% da área total do estado; é o 4º maior município em extensão territorial de Santa Catarina (o 1º é Lages, com 2.645 km², o 2º é São Joaquim, com 1.888 km², e o 3º é Campos Novos, com 1.850 km²). O clima é temperado, com temperatura média entre 15 °C e 25 °C.

Mafra é considerada cidade pólo do planalto norte de Santa Catarina. Classificada pelo Atlas de Regiões de Influência das Cidades 2007, publicado em 2009 pelo IBGE, como um centro sub-regional B.

História[editar | editar código-fonte]

Mafra tem sua história unida à de Rio Negro, no Paraná, pois antes da mudança dos limites entre os dois estados, as duas cidades faziam parte de um único município. Até o século XVIII existiam na região índios botocudos. Tornou-se após caminho e parada para tropeiros, principalmente depois da abertura da Estrada da Mata. Desbravamento, colonização e costumes, são originais dos europeus. A partir de 1894, a questão dos limites com o estado do Paraná esteve em litígio, tendo sido feito acordo entre os estados, em 28 de outubro de 1916. Em 25 de agosto de 1917, depois de sentença do Supremo Tribunal Federal, o estado de Santa Catarina tomou posse do território contestado, então, restaurando o município e demarcando seus limites. A instalação deu-se a 8 de setembro do mesmo ano, ficando Mafra à margem esquerda do rio Negro. O nome do município é em homenagem ao jurista catarinense, Conselheiro Mafra, que defendeu Santa Catarina contra o Paraná. O extrativismo da erva mate e da madeira trouxe desenvolvimento para a região, que foi conseguindo autonomia econômica, até se tornar cidade em 1917, depois da Guerra do Contestado.

Antiga Estação Ferroviária de Mafra

Neste período estava em construção a estrada de ferro, ligando Porto União a São Francisco do Sul, cuja linha passa pela centro da cidade de Mafra, ramal da Estrada de Ferro São Paulo Rio Grande. Tal fato contribuiu para o desenvolvimento econômico da região. Já nos anos 60 do século XX, houve a construção de uma nova linha ferroviária, ligando Mafra à Lages, chamada de Tronco Principal Sul. Estas duas linhas atualmente são administradas pela empresa ALL que mantém no município um grande complexo para manutenção de vagões e trens.

Até 8 de janeiro de 2000, Mafra possuía uma área territorial de 1.785 km², entretanto, com a Lei Estadual n.º 11.340, o distrito de Águas Claras, ao sul do território, foi desmembrado o qual passou a fazer parte do município de Rio Negrinho, com isso Mafra perdeu 379 km² de sua área, ficando com os atuais 1.404,2 km².

A cidade faz parte da Região Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinense, anexada em 6 de Janeiro de 1998 pela lei complementar estadual n.º 162, sendo a cidade sede Joinville. Em 2007, a região metropolitana foi extinta pela lei complemantar estadual n.º 381, porém, restituída pela lei complementar estadual n.º 495 de 2010.

Etnias[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Mafra apresenta um relevo de planalto, com colinas de pequena amplitude altimétrica, formando uma superfície regular, quase plana. Mafra possui uma altitude média de 800 metros do nível do mar.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Araucária, árvore típica da região

A vegetação do município é classificada como "Floresta Ombrófita Mista", mais conhecida como "Mata de Araucárias", onde predomina o conhecido pinheiro-do-paraná, cuja espécie está desaparecendo diante da expansão de fronteiras agrícolas e a exploração madeireira. Juntamente com o pinheiro-do-paraná, existem outras espécies vegetais, onde se destacam principalmente a canela, a imbuia, a sapopema, a bracatinga e a erva-mate.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Mafra localiza-se na Bacia do Iguaçu, cujo principal rio do município é o rio Negro, na divisa de Santa Catarina e Paraná. Outros rios que deságuam no rio Negro são: rio Preto, na divisa com o município de Rio Negrinho, rio da Lança (o maior rio inteiramente mafrense), o rio Negrinho, o rio São Lourenço (onde está instalada a Usina Hidroelétrica São Lourenço, em operação desde 1914, com potência instalada de 0,48 MW), o rio Ribeirãozinho, o rio Butiá e o rio São João, este já na divisa com o município de Três Barras.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Mafra está classificado como "subtropical úmido mesotérmico". Subtropical porque possui temperaturas com médias entre 15 °C e 30 °C; Máxima temperatura em torno de 32 °C , e a mais baixa em torno de 1 °C, é mesotérmico porque as temperaturas registradas na cidade estão pouco distantes das registradas nas regiões mais quentes e também das registradas nas regiões mais frias do planeta. A umidade relativa normalmente fica acima de 85%, principalmente no vale do Rio Negro, onde a taxa de umidade é bem maior.

Condições Meteorológicas em Mafra
Meses Temperatura Média (°C) Precipitação (mm)
Janeiro 21 152
Fevereiro 21 170
Março 19 147
Abril 17 69
Maio 14 97
Junho 10 94
Julho 5 79
Agosto 10 89
Setembro 15 117
Outubro 17 145
Novembro 18 107
Dezembro 20 152
Total 1418
Fonte: The Weather Channel

Economia[editar | editar código-fonte]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Mafra destaca-se muito na agricultura, tanto em produção quanto em produtividade, tudo isso devido a grande área do município possui, e à fertilidade do solo. A maior produção ocorre com as culturas de soja, milho, feijão, trigo, cevada e fumo. Há que destacar também, a produção de mel, cuja qualidade é reconhecida internacionalmente. Na pecuária o destaque fica com a avicultura, suinocultura, e o rebanho de gado leiteiro.

A silvicultura também é expressiva no município, sobretudo nas últimas décadas, contribuído com matéria-prima para a indústria madeireira, diminuindo assim a pressão pela exploração de áreas de mata nativa.

Indústria[editar | editar código-fonte]

O município possui um parque industrial diversificado, sendo a de maior importância a indústria madeireira. Além deste, há indústrias no setor cerâmico (revestimentos), curtumes, têxtil, metalúrgica, minerais não metálicos e alimentícia.

Serviços e comércio[editar | editar código-fonte]

Mafra é muito forte neste quesito, como o comércio varejista e a prestação de serviços, sobretudo nos serviços públicos, o qual possui muitos representantes de órgãos do governo federal (Receita Federal, Ministério Público Federal, Justiça Federal, Polícia Rodoviária Federal, INSS, DNIT entre outros) e estadual (receita Estadual, Regionais de Secretaria de Estado, FATMA, CIDASC, Varas da Justiça (Civil, Criminal e do Trabalho), CELESC, CASAN entre outros).

Na cidade existem também 7 agências bancárias (CAIXA, Banco do Brasil, BESC, HSBC, Bradesco, Itaú, Credinorte) que prestam os mais diversos serviços na área financeira. Além destes bancos, Mafra foi uma das primeiras cidades do país a receber uma Agência do Banco Nacional da Agricultura Familiar - BNAF, que tem como objetivo facilitar o acesso ao pequeno produtor rural à tecnologia no uso de sementes e mudas, à qualificação do plantel pecuário, além de repasse de informações para o gerenciamento de pequenas propriedades.

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Locomotiva da ALL

O município de Mafra é um importante entroncamento rodoferroviário na região, servida pela BR 116, BR 280 e a ferrovia da ALL, antiga RFFSA. Existe também um aeroporto de administração municipal no Bairro do Faxinal, também conhecido como Aeroporto Hugo Werner.

Mafra conta ainda com uma universidade (UnC), um hospital com 69 leitos (Hospital São Vicente de Paula), e uma maternidade (Maternidade Dona Catarina Kuss) esta, devido ao bom serviço prestado, foi a primeira maternidade do sul do Brasil a ser reconhecida pela UNICEF com o título de "Amiga da Criança".

Transporte Rodoviário de Passageiros[editar | editar código-fonte]

Empresas e Destinos

Bandeira de Santa Catarina.svg Santa Catarina
Bandeira do Paraná.svg Paraná
Bandeira do Rio Grande do Sul.svg Rio Grande do Sul
Bandeira do estado de São Paulo.svg São Paulo

Transporte urbano[editar | editar código-fonte]

Esta linha é a mais importante da cidade sendo que seu trajeto é:bairro Faxinal/todo o bairro Vila Nova/bairro alto de Mafra/ centro/então entra na cidade de Rio Negro passando pelo centro/bairro Bom Jesus/bairro Campo do Gado/bairro Tota/seu ponto final é em frente da empresa Pretty. E assim faz todo o trajeto novamente ate o Faxinal. A linha conta com 7 ônibus sendo uma linha a cada 15 minutos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Um exemplo da arquitetura de Mafra

Colonizada por diversos povos, mantém as tradições em centros culturais e em grupos folclóricos como o Bucovino Boarischer Wind (alemão) e o Vesná (ucraniano). Visite a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, templo de fé dos ucranianos que vivem na cidade, e a ponte metálica Dr. Dinis Assis Henning sobre o Rio Negro, inaugurada em 1896 e maior monumento histórico da região. Vale conhecer algumas particularidades da cidade, como as canforeiras (planta de origem asiática da qual é extraída a cânfora) da praça Hercílio Luz, o calçamento de pedra basáltica e os fósseis, que provam que há milhões de anos a região esteve sob o mar.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Diversos eventos são realizados durante o ano. A Festa de São José, em março; Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, tradicional na comunidade ucraniana em homenagem à padroeira, em junho; a Festa Bucovina, tradicional comemoração dos bucovinos, com atividades folclóricas e culturais, comidas típicas e muita animação, em julho. Em setembro ocorre a Festa do Produtor, a qual faz parte das comemorações do aniversário do município, e a Festa de Nossa Senhora Aparecida, em outubro. Além da infra-estrutura turística existente, Mafra também conta com turismo ecológico, que dispõe de passeios por florestas, cachoeiras, áreas rurais, usinas e sítios paleontológicos.

Cine-Teatro Emacite[editar | editar código-fonte]

O Cineteatro Emacite é uma sala de espetáculos, em especial de projeção cinematográfica e de apresentação teatral, que fica na cidade de Mafra.

Em 1940, José Rauen idealizou um projeto para a construção de um complexo constituído por Hotel, Cinema e Restaurante na cidade de Mafra, cujo objetivo principal era a exploração do comércio cinematográfico e teatral. Tal complexo, a Empresa Mafrense de Cinema e Teatro, vindo dessas iniciais o nome Emacite, foi fruto de uma parceria entre José Rauen e Alfredo Herbst, que disponibilizou parte de seu capital com um terreno situado em Mafra, na Rua Coronel Victorino Bacelar e Praça Hercílio Luz, com área de 1813,60m², onde foi edificado o prédio destinado ao cinema[6] .

Sua construção teve início em 1950, sendo que o projeto inicial não passou de quatro paredes levantadas e teve a construção paralisada, sendo retomado apenas em 1958, pelo engenheiro Rubens Meister[7] . O cinema foi concluído em 1961 e neste mesmo ano inaugurado em grande estilo, com acomodação para 901 pessoas. Sua arquitetura tem sido considerada uma das melhores do estado, com excelente acústica, tornando-se um dos mais modernos e perfeitos cinemas da época.

Com os avanços tecnológicos e o surgimento do vídeocassete em 1988, o cinema sofreu grande queda de público, não podendo mais repetir filmes, como era costume até então, e sim somente exibir lançamentos. Em meados do século XX, o Cine Emacite deixou de exibir filmes definitivamente, por não conseguir manter as despesas da sala e pela escassez de público.

No início do século XXI foi reformado pela Prefeitura Municipal de Mafra, sob a responsabilidade da arquiteta Dilene Dias, e reaberto em 2005, sob nova direção e dispondo de ambiente moderno e, com a reforma, o palco ganhou espaço avançando sobre a platéia, que ficou com 717 lugares. Atualmente, atuando como Cineteatro e Eventos Emacite, caracteriza-se por ser um dos poucos cinemas de rua ainda em atividade, e apresenta programação cultural diversificada abrangendo cinema e teatro.

O Cine Emacite, teve seu maior movimento nos anos 60 e 70. Os cinemas da época, mediante o fato de ainda não existir vídeocassete, apresentavam lançamentos, reprises, em especial de filmes famosos, pois era a única forma, muitas vezes, de se assitir a um filme cultuado pela tradição.

A cultura do cinema, nas décadas de 60 e 70, era característica, de forma a se tornar um marco social de relevância e acesso à cultura e informação. Os cinemas eram o ponto de encontro da cidade, o local onde os jovens se conheciam, encontravam e namoravam. Havia a importância da espera da sessão, quando a sala de cinema era mantida iluminada, e os jovens da cidade usavam-na para a antiga “paquera”; havia também a importância da comunicação, mediante o fato de o cinema ter sido, na época, um meio de difundir comportamentos, modas e tendências.

A programação do Cine Emacite, nas décadas de 60 e 70, tinha características próprias, apresentava a maior parte dos filmes aos sábados e domingos, através das sessões da tarde, as matinês, além de sessões noturnas. Havia também sessões especiais, tais como a sessão “Belo-sexo”, às quartas-feiras à noite, quando as mulheres não pagavam o ingresso. Geralmente, a sessão era dupla, apresentava dois filmes seguidos, e quase sempre um dos filmes era um Western spaghetti. Os lançamentos passavam, na sua maioria, na sessão da noite. Houve alguns lançamentos históricos, que mereceram sessões extras, como quando foi lançado o filme Gandhi, de Richard Attenborough, e grande parte da população da cidade foi assistir[8] .

Educação[editar | editar código-fonte]

Escolas[editar | editar código-fonte]

  • Colégio Barão de Antonina
  • Centro de Educação do Município de Mafra - CEMMA
  • Centro de Educação Pedacinho do Céu
  • Colégio Santo Antonio
  • Colégio Excelência
  • Colégio Mafrense
  • Escola Monteiro Lobato
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Amola Flecha
  • Escola Basica Profª Maria Paula Feres
  • Escola Básica Tenente Ary Rauen
  • Escola de educação básica Professor Mario de oliveira Goeldner
  • Escola de Educação Básica Gustavo Friedrich
  • Escolas Reunidas General Osório
  • Escola Reunida Amola Flecha
  • Escola Isolada Alfredo Cubas Machado (Bituvinha)
  • Escola Isolada Avencal São Pedro
  • Escola Isolada Be. José Pscheidt (Rio Branco)
  • Escola Isolada Bituvinha
  • Escola Isolada Butiá da Pedra Fina
  • Escola Isolada Butiá do Lageado
  • Escola Isolada Butiá dos Tabordas
  • Escola Isolada Butiazinho
  • Escola Isolada Butiazinho de Cima
  • Escola Isolada Caçador
  • Escola Isolada Colônia Augusta Vitória
  • Escola Isolada Colônia Ruthes (Vila Ruthes)
  • Escola Isolada Frederico Steidel (Butiá dos Tabordas)
  • Escola Isolada José Theodorico Lima (Perizal)
  • Escola Isolada Leonel
  • Escola Isolada Leopoldo Grein (Vila Grein)
  • Escola Isolada Leopoldo Henrique Olsen (Fazenda do Potreiro)
  • Escola Isolada Papuan
  • Escola Isolada Pioneiro Paulo Hohmann (Lagoa Seca – Bela Vista do Sul)
  • Escola Isolada Ribeirãozinho
  • Escola Isolada Rio Branco II
  • Escola Isolada Rio Preto do Sul
  • Escola Isolada Rio da Areia de Cima
  • Escola Isolada Rio da Areia do Meio
  • Escola Isolada Vila Peschel
  • Escola Isolada Vila Souza (Rio da Areia do Meio)
  • Escola Municipal de Educação Básica Avencal do Saltinho
  • Escola Municipal de Educação Básica Avencal de São Sebastião
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental São Lourenço
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Ver. Evaldo Steidel (Saltinho do Canivete)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Campo da Lança
  • Escola Agrícola Municipal Prefeito José Schultz Filho (Fazenda do Potreiro)
  • Centro de Educação do Município de Mafra
  • Centro de Educação Básica para Jovens e Adultos - CEBJA
  • Centro de Educação Municipal Beija Flor (Vila das Flores)
  • Centro de Educação Infantil Ana Rank (Campo da Lança)
  • Centro de Educação municipal Anjo da Guarda
  • Centro de Educação Infantil Be. Fiorige Bona
  • Centro de Educação Infantil Comecinho de Vida NATHAAN ALEX RAMOS.
  • Centro de Educação Infantil Faxinal
  • Centro de Educação Infantil Municipal Portão São Lourenço
  • Centro de Educação Infantil Restinga
  • Centro de Educação Infantil Vila Nova
  • Centro de Educação Infantil Vila Olsen (Amola Flecha)
  • Centro de Educação Infantil Vista Alegre
  • Escola Isolada Passo da Cruz
  • Escola de Ensino Fundamental Cristo Rei (Faxinal)

Escola Básica Dr Francisco Isabel ( Jardim América )

  • Centro de Educação Municipal Beija Flor (Vila Ivete)

Esportes[editar | editar código-fonte]

Mafra conta com os clubes

Universidade do Contestado[editar | editar código-fonte]

Universidade do Contestado, campus Mafra

O Campus Universitário de Mafra, que integra a Universidade do Contestado (UnC), começou sua história com a criação da Fundação Educacional do Norte Catarinense (Funorte), na década de 70; a primeira faculdade, nas áreas de Ciências e Letras, começou a funcionar em março de 1973, nas dependências da Escola Básica "Santo Antônio".

A Lei Municipal nº 1991, de 8 de agosto de 1994, uniu a Funorte a 5 (cinco) Instituições de Ensino Superior, todas com as mesmas características da Funorte (Mafra): Fundação Educacional do Alto Vale do Rio do Peixe (Fearpe), em Caçador; Fundação Educacional do Alto Uruguai Catarinense (Feauc), em Concórdia; Fundação das Escolas do Planalto Catarinense (Funploc), em Canoinhas; Fundação do Planalto Central Catarinense (Feplac), em Curitibanos, originando a Universidade do Contestado – UnC.

O Campus de Mafra oferece os cursos de Administração, Artes Visuais, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Comércio Exterior, Direito, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Psicologia, Sistemas de Informação e, em Rio Negrinho, os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Pedagogia, Tecnologia em Móveis, Tecnologia em Gestão de Negócios e Sistemas de Informação. O Campus de Mafra conta com 190 professores, 2.800 alunos, estrutura de biblioteca, laboratórios, clínicas e núcleos de pesquisa e extensão.

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Alto de Mafra
  • Campo da Lança
  • Centro
  • Espigão do Bugre
  • Esplanada
  • Faxinal
  • km 9
  • Jardim América
  • Jardim do Moinho
  • Jardim Novo Horizonte
  • Passo
  • São Lourenço
  • Vila Argentina
  • Vila Buenos Aires
  • Vila Clementina
  • Vila das Flores
  • Vila Edson Luis
  • Vila Formosa
  • Vila Ferroviária
  • Vila Ivete
  • Vila Nova
  • Restinga

Amola Flecha

Cidades vizinhas[editar | editar código-fonte]

Noroeste: Antonio Olinto Bandeira do Paraná.svg Norte:
Rio Negro Bandeira do Paraná.svg
Nordeste: Rio Negro Bandeira do Paraná.svg Piên Bandeira do Paraná.svg
Oeste: Três Barras Bandeira de Santa Catarina.svg

Norte
Oeste  Mafra  Leste
Sul

Leste: Rio Negrinho Bandeira de Santa Catarina.svg
Sudoeste: Papanduva Bandeira de Santa Catarina.svg Sul: Itaiópolis Bandeira de Santa Catarina.svg Sudeste: Rio Negrinho Bandeira de Santa Catarina.svg

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2012). Página visitada em 11 de dezembro de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Cineteatro Eventos Emacite um pouco de sua história. In: [1], 18 de novembro de 2008
  7. Rubens Méister é o mesmo engenheiro que projetou o Teatro Guaíra, em Curitiba
  8. BLASI, Luis. In: “O Marabá está Morto”, Milton Ribeiro (Consulta:14/04/10)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.