Mestre da cavalaria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Magister equitum)
Ir para: navegação, pesquisa
Roma Antiga
Roman SPQR banner.svg

Este artigo é parte da série:
Política e governo da
Roma Antiga


Períodos
Reino de Roma
753 a.C.509 a.C.

República Romana
508 a.C.27 a.C.
Império Romano
27 a.C.1453

Constituição romana

Constituição do Reino
Constituição da República
Constituição do Império
Constituição do Dominato
Senado
Assembleias Legislativas
Magistrados Executivos

Magistrados ordinários
Magistrados extraordinários
Títulos e Honras
Imperador
Precedente e Lei

Outros países · Atlas

Mestre da cavalaria (em latim: magister equitum) era um cargo político do mundo romano que existiu da República Romana ao Império Romano e Império Bizantino.

Na República Romana, o cargo estava ligado ao cargo de ditador: ao ser escolhido um ditador, ele deveria escolher um mestre da cavalaria, exceto nos casos em que o Senado definia o nome do mestre da cavalaria junto do ditador. O ditador não podia existir sem um mestre da cavalaria e, caso este morresse durante os seis meses da ditadura, um outro deveria ser nomeado em seu lugar. O mestre da cavalaria estava submetido ao imperium do ditador, mas, na ausência do ditador, ele exercia suas funções. Houve uma ocasião em que o mestre da cavalaria recebeu o imperium equivalente ao ditador, o que, na prática, significou que houve dois ditadores, mas esta foi uma situação anômala. Há discussões sobre que tipo de cargo o mestre da cavalaria tinha em Roma, se seria equivalente a edil curul, tribuno consultar ou pretor. Como o nome indica, o mestre da cavalaria era, inicialmente, o comandante da cavalaria, assim como o ditador era o comandante das legiões, a infantaria, e sua relação era semelhante à que havia entre o rei e o tribuno celeno.[1]

Referências

  1. William Smith, A Dictionary of Greek and Roman Antiquities (1875), Dictator [em linha]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Tito Lívio, III 2; VI 39; VIII 17; IX 38; XXII 57.
  • Políbio, III 103, 106.
  • Cícero, de Legibus III 3.
  • Dião Cássio, XLII, 21, 27.
  • GIORDANI, Mário Curtis. História de Roma. 16ª edição. Editora Vozes, 2005