Majestoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Majestoso
Corinthians x São Paulo
Majestoso - sao paulo and corinthians - campeonato paulista of 2009 - 01.jpg

Majestoso no Estádio do Morumbi em 2009.
Corinthians 118 vitória(s), 461 gol(s)
São Paulo 100 vitória(s), 441 gol(s)
Empates 101
Total de jogos 319
Total de gols 902
editar

Majestoso é um clássico de futebol disputado entre as equipes paulistas do Sport Club Corinthians Paulista e do São Paulo Futebol Clube desde 1930.[1] Este apelido foi dado ao confronto pelo jornalista Tommaso Mazzoni, do jornal A Gazeta Esportiva.

Atualmente, é o clássico brasileiro que reúne o maior número de espectadores no país, já que conta, respectivamente, com a segunda e a terceira maiores torcidas do Brasil e as duas maiores do estado de São Paulo, de acordo com institutos de pesquisa.

Junto com o Palmeiras, São Paulo e Corinthians formam o chamado Trio de Ferro do futebol paulista.

Números totais[editar | editar código-fonte]

Estatística do Majestoso[2]
Número de jogos 319
Vitórias do Corinthians 118
Vitórias do São Paulo 100
Empates 101
Número de gols 902
Gols marcados pelo Corinthians 461
Gols marcados pelo São Paulo 441

Confrontos (mata-matas) internacionais[editar | editar código-fonte]

  • 1956: Corinthians 2×0 São Paulo - (Copa do Atlântico de Clubes). O Corinthians classificou-se para uma final, contra o Boca Juniors, que não aconteceu. Esse torneio não foi finalizado. Não houve campeão.
  • 1957: Corinthians 2×3 São Paulo – Torneio Internacional/Copa Morumbi (jogo válido pela primeira fase do torneio).
  • I Copa São Paulo 1975 – Final (S2×2C). Nos pênaltis, o Corinthians venceu por 4 a 3. Além de Corinthians e São Paulo este torneio foi disputado também pelos times do Peñarol-URU e San Lorenzo-ARG. Nas semifinais o Corinthians venceu o San Lorenzo por 1 a 0 e o São Paulo venceu o Peñarol por 2 a 0.

Embora tenham se enfrentado outras vezes em competições internacionais, apenas a semifinal da Copa Conmebol 1994 e a final da Recopa Sul-Americana de 2013 foram válidas por um torneio oficial.

  • 1994: São Paulo 4×3 Corinthians - (Copa Conmebol)
  • 1994: Corinthians 3×2 São Paulo - (Copa Conmebol)

O São Paulo eliminou o Corinthians nos pênaltis por 5 a 4. O São Paulo foi o campeão desta Copa, derrotando o Peñarol.

A Copa Conmebol foi disputada de 1992 a 1999. A classificação para a competição era garantida quando os clubes obtivessem uma colocação do segundo ao quinto lugar no campeonato nacional. As confederações dos países participantes também escolhiam times aleatórios para disputar a competição, independente da classificação destes no campeonato nacional, para completar o grupo de times que disputavam o torneio.

Porém, essa seleção de times era estudada atentamente, deixando sempre a competição com um alto nível de participantes. No caso do Brasil, o vice campeão da Copa do Brasil também era classificado para a copa. Foi a primeira competição sul-americana que começou a se enquadrar no formato da Copa da UEFA. A partir de 1995, os clubes que disputassem a Supercopa não poderiam jogar a Copa Conmebol.

Na sua última edição, em 1999, a Copa Conmebol também teve seu critério de classificação alterado. Como a Copa Mercosul havia sido criada em 1998, por convenção do Tratado das Américas, todos os times classificados para a Conmebol deveriam disputar a Mercosul em 1999, como forma de contemplar o acordo não somente na política como no futebol. Assim, ela deixou seus critérios de lado nas suas últimas edições, deixando participar somente times de pequena expressão, o que acabou desvalorizando o título nesse último ano.

  • 2013: São Paulo 1×2 Corinthians - (Recopa Sul-Americana)
  • 2013: Corinthians 2×0 São Paulo - (Recopa Sul-Americana)

Obs.: Segundo o próprio São Paulo Futebol Clube, a agremiação tem como data de fundação o dia 25 de janeiro de 1930.[3]

Decisões diretas de títulos[editar | editar código-fonte]

Aqui são consideradas as partidas em que ambas as equipes entraram em campo ainda disputando o título, e uma se consagra campeã com o resultado final da mesma.

Campeonato Paulista
  • 23/04/1939: Corinthians 1×1 São Paulo - Corinthians campeão de 1938 (2)
  • 31/12/1957: São Paulo 3×1 Corinthians - São Paulo campeão de 1957
  • 08/12/1982: Corinthians 1×0 São Paulo
  • 12/12/1982: Corinthians 3×1 São Paulo - Corinthians campeão de 1982
  • 11/12/1983: Corinthians 1×0 São Paulo
  • 14/12/1983: Corinthians 1×1 São Paulo - Corinthians campeão de 1983
  • 26/08/1987: São Paulo 2×1 Corinthians
  • 30/08/1987: São Paulo 0×0 Corinthians - São Paulo campeão de 1987
  • 08/12/1991: São Paulo 3×0 Corinthians
  • 12/12/1991: São Paulo 0×0 Corinthians - São Paulo campeão de 1991
  • 05/06/1997: Corinthians 1×1 São Paulo - Corinthians campeão 1997 (3)
  • 03/05/1998: São Paulo 1×2 Corinthians
  • 10/05/1998: São Paulo 3×1 Corinthians - São Paulo campeão de 1998
  • 16/03/2003: Corinthians 3×2 São Paulo
  • 22/03/2003: Corinthians 3×2 São Paulo - Corinthians campeão de 2003
Observações
  • (2) Em 1938, o último jogo do campeão Corinthians foi em 23 e 25 de abril de 1939: Corinthians 1×1 São Paulo - Corinthians campeão de 1938. O São Paulo terminou em segundo lugar, com catorze pontos, três pontos atrás do Corinthians.
  • (3) Em 1997, o último jogo do campeão Corinthians foi em 5 de junho: São Paulo 1×1 Corinthians - Corinthians campeão de 1997. Porém, as finais do campeonato ocorreram num quadrangular, de que também participaram Santos e Palmeiras, cujo campeão seria conhecido em disputa por pontos corridos. Por coincidência, o último jogo foi entre São Paulo e Corinthians. Ambos terminaram empatados em números de pontos. O Corinthians foi declarado campeão pois teve campanha melhor na fase anterior.[4]
Campeonato Brasileiro
  • 13/12/1990: Corinthians 1×0 São Paulo
  • 16/12/1990: São Paulo 0×1 Corinthians - Corinthians campeão de 1990
Recopa Sul-Americana
  • 03/07/2013: São Paulo 1×2 Corinthians
  • 17/07/2013: Corinthians 2×0 São Paulo - Corinthians campeão de 2013
Torneio Rio-São Paulo
  • 05/05/2002: São Paulo 2×3 Corinthians
  • 12/05/2002: Corinthians 1×1 São Paulo - Corinthians campeão de 2002
Torneio Início
  • 14/05/1940: São Paulo 2×0 Corinthians - São Paulo campeão de 1940
Copa São Paulo de Futebol Júnior (**)
  • 25/01/1993: São Paulo 4×3 Corinthians - São Paulo campeão de 1993
  • 25/01/2004: Corinthians 2×0 São Paulo - Corinthians campeão de 2004

(*) Jogo interrompido em razão de fortes chuvas e concluído no dia 25 de abril de 1939. (**) Jogos válidos por categoria de base, portanto não entram nos números do clássico.

Maiores goleadas[editar | editar código-fonte]

Equipe vencedora Placar Ano Data
São Paulo 6×1 1933 10 de setembro
Corinthians 5×0 1996 10 de março
Corinthians 5×0 2011 26 de junho
São Paulo 5×1 1946 1 de janeiro
Corinthians 5×1 1947 16 de abril
Corinthians 5×1 1962 3 de junho
São Paulo 5×1 2005 8 de maio
São Paulo 4×0 1944 15 de outubro
Corinthians 4×0 1951 26 de agosto
São Paulo 4×0 1959 5 de novembro
São Paulo 4×0 1980 10 de agosto
Corinthians 4×0 1999 6 de junho
São Paulo 4×1 1932 10 de janeiro
Corinthians 4×1 1940 24 de março

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

  • Exceto os jogos onde constam as informações dos públicos presente e pagante, os outros referem-se aos públicos pagantes.[5]
  1. 119 858, São Paulo 3×2 Corinthians, em 5 de dezembro de 1982 (117 061 pagantes)
  2. 110 066, Corinthians 2×1 São Paulo, em 2 de outubro de 1977 (105 435 pagantes)
  3. 109 464, São Paulo 0×0 Corinthians, em 30 de agosto de 1987
  4. 106 142, São Paulo 0×0 Corinthians, em 15 de dezembro de 1991
  5. 102 821, Corinthians 0×3 São Paulo, em 8 de dezembro de 1991
  6. 100 858, São Paulo 0×1 Corinthians, em 16 de dezembro de 1990 (100 116 pagantes)
  7. 96 532, Corinthians 3×3 São Paulo, em 9 de agosto de 1987
  8. 95 493, Corinthians 1×2 São Paulo, em 26 de agosto de 1987
  9. 90 182, São Paulo 1×1 Corinthians, em 14 de dezembro de 1983 (88 085 pagantes)
  10. 86 538, São Paulo 2×0 Corinthians, em 23 de maio de 1993

Na Era Pacaembu (1940-1970)[editar | editar código-fonte]

  • Relacionados apenas jogos até 1970.[6]
  1. 70 281, Corinthians 3×3 São Paulo, em 24 de maio de 1942 (63 281 pagantes)
  2. 64 233, São Paulo 1×1 Corinthians, em 20 de outubro de 1956
  3. 59 939, São Paulo 1×2 Corinthians, em 2 de maio de 1943
  4. 56 918, Corinthians 2×3 São Paulo, em 8 de março de 1944
  5. 54 636, São Paulo 2×0 Corinthians, em 5 de setembro de 1943
  6. 53 862, Corinthians 2×1 São Paulo, em 12 de agosto de 1945 (*)
  7. 51 943, São Paulo 3×2 Corinthians, em 6 de maio de 1945
  • ) As duas edições do livro Almanaque do Corinthians informam que o público dessa partida foi de 45 611. Talvez a diferença seja entre público presente e pagante, embora a princípio, 53 862 seja o público pagante. O maior público marca a estréia de Leônidas da Silva no São Paulo.

Jogos de destaque[editar | editar código-fonte]

  • O primeiro clássico entre o então bicampeão paulista Corinthians e o recém-fundado São Paulo ocorreu em 25 de maio de 1930, no Parque São Jorge em jogo válido pelo Campeonato Paulista. O Corinthians ganhou por 2 a 1.
  • O São Paulo chegou à última rodada do Paulistão de 1931 disputando o título com Palmeiras e Santos. Enfrentaria o Corinthians, já eliminado, no Parque São Jorge, precisando vencer pra ganhar seu primeiro título. Goleou por 4 a 1 e conquistou a primeira taça de sua história em 10 de janeiro de 1932.
  • Em 1933, São Paulo e Corinthians fizeram um jogo válido simultaneamente pelo Campeonato Paulista e pelo pelo Torneio Rio-São Paulo, na Chácara da Floresta, e o tricolor venceu por 6 a 1, registrando a maior goleada da história do clássico.
  • Foi confusa a decisão do Campeonato Paulista de Futebol de 1938. Disputado em pontos corridos, teve na última rodada, marcada para 23 de abril de 1939, um confronto entre o Timão e o Tricolor. O Coringa jogava por um empate, enquanto o Sampa precisava vencer para obrigar um jogo-desempate. Com apenas dois minutos decorridos no Parque São Jorge, Mendes abre 1 a 0 para o Tricolor. Porém, a chuva interrompeu o jogo aos 21 minutos. Dois dias depois, em 25 de abril, no complemento da partida, o Corinthians empatou com Carlito, com um gol até hoje questionado se foi ou não de mão. O empate deu o título ao alvinegro.
  • Na partida realizada em 24 de maio de 1942, 71 281 pessoas compareceram ao estádio do Pacaembu, batendo seu recorde de público, e presenciaram a estreia de Leônidas da Silva pelo São Paulo. O jogo terminou em um 3 a 3. Leônidas, melhor atacante brasileiro de sua época e estrela da noite, ironicamente, não fez nenhum dos seis gols.
  • Em 1 de janeiro de 1946, o São Paulo goleou o Corinthians por 5 a 1, pela Taça Cidade de São Paulo. Um ano depois, em 16 de maio de 1947, pelo mesmo torneio, o Corinthians goleou o São Paulo pelo mesmo placar, 5 a 1.
  • Final do Campeonato Paulista de Futebol de 1957. O Corinthians liderava o campeonato e havia sido alcançado pelo São Paulo uma semana antes, depois de uma inesperada derrota para o Santos. Às três e meia da tarde, o São Paulo entrou no gramado do Pacaembu com Poy, De Sordi e Mauro Ramos de Oliveira; Sarará, Vítor e Riberto; Maurinho, Amauri, Gino Orlando, Zizinho e Canhoteiro. O Corinthians veio com Gilmar dos Santos Neves, Olavo e Oreco; Idário, Valmir e Benedito; Cláudio, Luisinho, Índio, Rafael e Zague. Aos cinco minutos, Gino e Luizinho se estranharam (já haviam brigado no clássico do primeiro turno). O jogo foi equilibrado, e o primeiro tempo terminou sem gols. Na etapa final, o Corinthians veio com tudo para cima do São Paulo. Mas, aos dezessete minutos, o Tricolor abriu o placar, com Amauri. Logo em seguida, Canhoteiro ampliou: 2 a 0. Mas o Corinthians reagiu e descontou, com Rafael. Três gols em apenas cinco minutos. Veio o terceiro gol tricolor, com Maurinho, que entrou com bola e tudo no gol de Gilmar. Gilmar saiu correndo atrás do ponta do São Paulo. O jogo ficou parado por dez minutos. Ao final do jogo, a Fiel começou a arremessar garrafas no gramado. Esse Majestoso ficou conhecido como "Tarde das Garrafadas".
  • O São Paulo, liderado por Pedro Rocha, eliminou o Corinthians na fase semifinal do Paulistão de 1975 com uma vitória por 2 a 1, dois gols de Serginho, em 10 de agosto. Na final, o São Paulo foi campeão paulista sobre a Portuguesa.
  • No Paulistão de 1977, o Corinthians estava no mesmo grupo que o Tricolor do Morumbi na semifinal. Em 2 de outubro, o Corinthians eliminou o São Paulo com um 2 a 1, e acabaria campeão, dando fim a 23 anos de fila.
  • Em 12 de dezembro de 1982, o time da Democracia Corintiana iria enfrentar o Tricolor, então bicampeão paulista, na finalíssima, após ter vencido a primeira final por 1 a 0. Jogando pelo empate, o Corinthians de Wladimir, Sócrates e Zenon, empatou por 0 a 0 no primeiro tempo com o Tricolor de Oscar e Serginho Chulapa, mas Biro-Biro abriu o placar e marcou o segundo gol alvinegro após o empate de Darío Pereyra; Casagrande determinou os 3 a 1 que valeram a taça ao Corinthians, impedindo o que seria o primeiro tricampeonato da história do São Paulo. Esse ano também foi um marco na história do Majestoso: até então, tinha havido poucas decisões, o que deixava o Majestoso com uma rivalidade menor que a do Choque Rei e a do Derby Paulista. Após essa final, São Paulo e Corinthians passaram a dominar o futebol paulista, aumentando em muito a rivalidade e tensão no clássico.
  • No Campeonato Paulista de 1983, Corinthians e São Paulo se enfrentaram pela decisão do título do segundo turno e o Tricolor venceu o Timão por 3 a 2 , garantindo presença na final do campeonato contra o mesmo rival. Na decisão entre tricolor e alvinegro, após uma vitória por 1 a 0 na primeira final, em 11 de dezembro, o Corinthians jogava pelo empate em 14 de dezembro. A Democracia Corinthiana levou o 0 a 0 até os 46 do segundo tempo, quando Sócrates abriu o placar. O tricolor ainda empataria aos 48 minutos, mas o título já estava ganho. O Corinthians passava a ser o maior ganhador do Campeonato Paulista de Futebol, com dezenove taças, contra dezoito do Palmeiras.
  • No Campeonato Paulista de Futebol de 1987, o tricolor eliminou o Palmeiras numa semifinal enquanto o Corinthians eliminou o Santos, que tinha a melhor campanha do campeonato, na outra. Na primeira final, em 26 de agosto, vitória são-paulina por 2 a 1. Em 30 de agosto um empate em 0 a 0 garantiu a taça para o São Paulo.
  • No Campeonato Paulista de Futebol de 1988, um dos dois quadrangulares que definiriam os finalistas teve um disputa acirrada entre os dois clubes pela vaga na final. Na primeira rodada, no Pacaembu, empate por 2 a 2; na antepenúltima, no Morumbi, outro empate, desta vez por 1 a 1, num jogo tumultuado, em que o Corinthians conseguiu o empate por intermédio de Biro-Biro, em posição irregular. Na última rodada, o Palmeiras ajudou o Corinthians ao derrotar o São Paulo por 1 a 0 e o time do Parque São Jorge foi à final, conquistando o título contra o Guarani.
  • Em 16 de dezembro de 1990, segundo jogo da decisão do Campeonato Brasileiro de Futebol de 1990, entre Corinthians e São Paulo. No primeiro jogo, em 13 de dezembro, Wilson Mano, de joelho, fizera o tento que invertera a vantagem são-paulina, dando ao Corinthians o direito de jogar pelo empate. Aos nove minutos do segundo tempo, Tupãzinho marcou o gol que daria ao Corinthians seu primeiro título brasileiro.
  • No Campeonato Paulista de Futebol de 1991, o Tricolor venceu a primeira final contra o Corinthians por 3 a 0, com três gols de Raí. O empate por 0 a 0 no segundo jogo garantiu o título tricolor.
  • Em 23 de janeiro de 1992 São Paulo e Corinthians se enfrentaram com suas equipes sub-21 pela semifinal da Copa São Paulo de Futebol Junior. Tal jogo não conta nas estatísticas de jogos das equipes principais, porém entra pra história não só do clássico, como também, do Futebol Brasileiro, por nele ter ocorrido o primeiro caso de assassinato de um torcedor por uma torcida adversária no Brasil. No Estádio Nicolau Alayon , uma bomba caseira , provavelmente vinda da torcida sãopaulina, atingiu a cabeça do corintiano Rodrigo de Gasperi de 13 anos de idade, provocando múltiplos traumatismos cranianos e lesão cerebral. O garoto morreu seis dias depois. A FPF editou uma proibição, que se mantém até hoje, da entrada de mastros de bandeiras, instrumentos musicais e fogos de artifícios em estádios no estado de São Paulo. O São Paulo Junior ganhou por 1 a 0 do Corinthians e foi pra final.
  • Na fase de grupos semifinal do Paulistão de 1993, o alvinegro eliminou o tricolor da final, acabando com o sonho do inédito tricampeonato, com uma vitória por 1 a 0 no Majestoso. Na rodada seguinte, a última, uma vitória do Timão sobre o Novorizontino sacramentou a classificação para a final.
  • Em 1994 ocorreu o único Majestoso válido por um torneio internacional oficial: a Copa Conmebol. O São Paulo ganhou o primeiro clássico, realizado em 2 de dezembro, por 4 a 3. O segundo confronto, em 9 de dezembro, terminou com 3 a 2 para o alvinegro do Parque São Jorge. Nos pênaltis, o time de reservas e juniores do São Paulo, entre eles Rogério Ceni, aos 21 anos, Denílson, aos 17, Juninho Paulista, aos 21, e Fabiano, aos 16 anos, com média de idade de 20,6 anos, eliminou o Corinthians de Ronaldo, Casagrande, Wilson Mano e Marcelinho Carioca por 5 a 4. O tricolor acabou campeão.
  • A maior vitória do Corinthians no Majestoso aconteceu em 10 de março de 1996, no Estádio Santa Cruz em Ribeirão Preto. Em jogo válido pelo Paulistão, o alvinegro goleou por 5 a 0, com três gols de Edmundo.
  • Na última rodada do quadrangular final do Campeonato Paulista de Futebol de 1997, o Corinthians jogou com a vantagem do empate diante do São Paulo, que precisava vencer para levar a taça. Com a presença do imperador japonês Akihito no Morumbi, o time do São Paulo pressionou, mas foi o ex-são-paulino André, do Corinthians que marcou 1 a 0. No segundo tempo, Fábio Aurélio empatou, mas o Corinthians segurou o 1 a 1 e levantou o caneco, ultrapassando o Palmeiras novamente em número de taças estaduais, com 22 títulos.
  • No Campeonato Brasileiro de Futebol de 1997, tricolor e alvinegro faziam péssimas campanhas. Haveria então um clássico no Pacaembu em 31 de agosto. Dodô marcou o gol da vitória são-paulina por 1 a 0, livrando o São Paulo do risco de cair e afundando o Corinthians, que só se livraria da degola na última rodada, diante do Goiás.
  • Na final do Campeonato Paulista de 1998, o fato mais relevante foi o retorno de Raí. O Corinthians vencera por 2 a 1 o primeiro jogo da final. Porém o tricolor venceu o segundo por 3 a 1, com um gol de Raí na única partida que disputou naquele torneio.
  • Em 1999, o Corinthians eliminou o São Paulo nas semifinais do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro. No Paulistão, o São Paulo tinha a melhor campanha da competição, mas na primeira semifinal, ocorrida em 6 de junho, perdeu para o Corinthians por 4 a 0, bastando um empate por 1 a 1 no jogo seguinte para a classificação corintiana às finais, nas quais foi campeão.
  • Novo encontro nas semifinais do Brasileirão de 1999. Disputada em melhor de três jogos, com vantagem de três empates para o Corinthians. Na primeira semifinal, vitória do alvinegro por 3 a 2. O jogo ficou marcado pelo fato de o goleiro Dida ter defendido dois pênaltis batidos por Raí. Na semifinal seguinte, em 5 de dezembro, o elenco corintiano conseguiu uma vitória por 2 a 1 e se classificou para a final, onde seria tricampeão brasileiro.
  • Em 2000 o São Paulo eliminou o Corinthians nas semifinais do Paulista com duas vitórias (2 a 1 e 2 a 0) e acabou campeão.
  • Em 2002 o Corinthians eliminou o São Paulo nas semifinais da Copa do Brasil. Em 24 de abril, primeira semifinal, com vitória alvinegra por 2 a 0. Em 1 de maio, a vitória por 2 a 1 são-paulina foi insuficiente, e o Corinthians eliminou o tricolor, indo para a final ser campeão. Quatro dias depois, em 5 de maio, a primeira final do Torneio Rio-São Paulo, com nova vitória corintiana por 3 a 2; em 12 de maio, um empate em 1 a 1 garantiu mais uma taça corintiana em cima do rival.
  • Na final do Campeonato Paulista de Futebol de 2003, mais duas vitórias corintianas por 3 a 2, em 16 de março e 22 de março.
  • No Majestoso válido pelo Campeonato Brasileiro de 2003, ocorrido em 15 de junho, o Corinthians abriu 1 a 0, mas o tricolor do Morumbi virou pra 2 a 1, dando início ao mais longo tabu da história deste clássico, o mais longo período sem derrotas de um dos lados, durando até 7 de outubro de 2007, perfazendo quatro anos e seis meses sem que o Corinthians vencesse o São Paulo, ou catorze jogos de invencibilidade tricolor.
  • O Corinthians foi o campeão do Campeonato Brasileiro de 2005, mas, ao enfrentar o São Paulo, que logo a seguir sagrar-se-ia tricampeão da Copa Libertadores da América, no Pacaembu em 8 de maio, perdeu por 5 a 1.
  • No returno do Brasileiro de 2005, vitória são-paulina por 3 a 2. Porém houve a descoberta do envolvimento do árbitro Edílson Pereira de Carvalho num esquema de apostas nos jogos que apitava. O STJD cancelou todos os jogos que haviam sido apitados por Edílson. O jogo foi remarcado e, ainda assim, o Corinthians não conseguiu quebrar o tabu. O novo jogo terminou em 1 a 1, favorecendo o Corinthians na conquista do título.
  • No Campeonato Brasileiro de 2007, o Corinthians pôs fim ao tabu, vencendo o São Paulo por 1 a 0, com gol de cabeça de Betão. Apesar disso, o São Paulo foi campeão e o Corinthians, rebaixado.
  • No Campeonato Paulista de Futebol de 2009, o Corinthians eliminou o São Paulo nas semifinais, com duas vitórias (2 a 1 e 2 a 0).
  • No Campeonato Paulista de Futebol de 2011 Rogério Ceni marcou o centésimo gol de sua carreira. De quebra, o tricolor voltou a vencer o alvinegro, após quatro anos e um mês, ou onze partidas de invencibilidade.
  • Três meses depois, pelo Campeonato Brasileiro, o Corinthians recebeu o São Paulo no Pacaembu e, após um empate sem gols no primeiro tempo, venceu por 5 a 0.
  • Na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2012, o confronto entre as duas equipes não valia nada em termos de classificação, e ainda por cima o São Paulo preparava-se para a final da Copa Sul-Americana e o Corinthians, para o Mundial de Clubes. O São Paulo colocou seu time reserva para enfrentar os titulares do Corinthians e, mesmo assim, saiu com a vitória, de virada, por 3 a 1, no Pacaembu.
  • Em 2013, os rivais se encontraram seis vezes. No primeiro confronto, pelo Campeonato Paulista, vitória do Corinthians por 2 a 1, de virada[7] em pleno Morumbi, onde o São Paulo não perdia havia oito meses. Na semifinal da mesma competição, em jogo único, o Alvinegro eliminou o Tricolor nos pênaltis, após empate sem gols, novamente no Morumbi. Em julho, pela Recopa Sul-Americana, duas vitórias do Corinthians valeram-lhe o título: por 2 a 1, no Morumbi, no dia 3, e por 2 a 0, no Pacaembu, duas semanas depois.[8] . Já no Brasileirão, dois empates por 0 a 0.

Informações[editar | editar código-fonte]

  • O São Paulo já foi sete vezes campeão de torneios em que o Corinthians terminou como vice, todas em Campeonatos Paulistas, (1931, 1943, 1945, 1946, 1987, 1991 e 1998). O São Paulo foi campeão em uma decisão direta contra o Corinthians em cinco oportunidades: 1931, 1957, 1987, 1991 e 1998.
  • O São Paulo já eliminou o Corinthians por duas vezes em mata-matas, nas semifinais do Campeonato Paulista de 2000 e da Copa Conmebol de 1994. [9]
  • O Corinthians já foi dez vezes campeão em torneios que tiveram o São Paulo como vice, sete em Campeonatos Paulistas (1938, 1941, 1952, 1982, 1983, 1997 e 2003), uma em Campeonatos Brasileiros (1990), uma no Torneio Rio-São Paulo (2002) e uma na Recopa Sul-Americana (2013). Destas, o Corinthians foi campeão em uma decisão direta contra o São Paulo oito vezes, nos paulistas de 1938, 1982, 1983, 1997 e 2003, no Brasileirão de 1990, no Rio-São Paulo de 2002 e na Recopa de 2013.
  • O Corinthians já eliminou o São Paulo por dez vezes em mata-matas: nas quartas-de-final da Taça São Paulo de 1962, nas semifinais dos Paulistões de 1999, 2009 e 2013, na semifinal do segundo turno do 1977, na semifinal do segundo turno do 1993, na semifinal da Copa do Brasil de 2002 e na semifinal do Brasileirão de 1999.

Estádios[editar | editar código-fonte]

No começo, o Corinthians mandava seus jogos no Estádio Alfredo Schürig, e o São Paulo, na Chácara da Floresta. Mais tarde, o Estádio do Pacaembu passou a ser a casa do Majestoso. A partir da década de 1970, o Estádio do Morumbi passou a ser a nova casa do clássico.

O Corinthians costumava mandar os jogos do Majestoso no Morumbi, mas, por motivo de desavenças entre as atuais diretorias dos clubes, desde 2009 o clássico passou a ter como palco o Pacaembu quando o mando fosse do alvinegro.[10]

Com a inauguração da Arena Corinthians, em 2014, o Majestoso passará a ser disputado em Itaquera quando o mando for do Corinthians.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]