Malcolm Lowry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Malcolm Lowry
Nome completo Clarence Malcolm Lowry
Nascimento 28 de Julho de 1909
Merseyside
 Inglaterra
Morte 27 de Junho de 1957 (47 anos)
Ripe
 Inglaterra
Cônjuge Jan Gabrial;
Margerie Bonner
Ocupação escritor
Principais trabalhos Ultramarina
Lunar Caustic
Gênero literário romance
contos
poesia
Magnum opus Debaixo do Vulcão
Página oficial Malcolm Lowry Foundation

Clarence Malcolm Lowry (Merseyside, 28 de Julho de 1909 - Ripe, 27 de Junho de 1957) foi um escritor e poeta inglês, cuja obra prima é o romance Debaixo do Vulcão (1947).

Vida e Obra[editar | editar código-fonte]

Juventude (1909-1936)[editar | editar código-fonte]

Estudou na Leys School e no St Catharine's College, em Cambridge.1 Ao graduar-se, em 1931, já a dupla obsessão que lhe dominaria a sua vida — o álcool e a literatura — se encontrava firmemente instalada. Lowry já havia viajado muito, tendo navegado até ao Extremo Oriente como ajudante no navio Pyrrhus no período entre a escola e a universidade (viagem que serviu de base para a escrita do seu primeiro romance, Ultramarina), e visitado a América e a Alemanha entre semestres. Depois de Cambridge, Lowry viveu brevemente em Londres, nas franjas da vibrante cena literária dos anos 30, encontrando-se com Dylan Thomas e outros. Durante uma viagem a Granada (Espanha), conhece Jan Gabrial, actriz e romancista americana pouco conhecida, que se tornará sua esposa (e a heroína Yvonne do romance Debaixo do Vulcão). Durante a sua viagem a França, casam-se no dia 6 de Janeiro de 1934 em Paris. Logo a seguir, Lowry encontra-se com Jean Cocteau que o convida para a estreia de A Máquina infernal. A união de Lowry e Gabrial foi turbulenta, e as relações entre os dois tornam-se azedas muito por causa da tendência de Lowry para o alcoolismo; após uma separação, Lowry seguiu-a até Nova Iorque (onde foi internado na ala psiquiátrica do Hospital Bellevue em 1936 em consequência de um esgotamento induzido pelo álcool — experiência que lhe inspiraria a escrita da novela Lunar Caustic, que só seria publicada postumamente) e, logo depois, até Hollywood, onde tentou a sorte como guionista.

Génese de Debaixo do Vulcão (1936-1947)[editar | editar código-fonte]

O casal deslocou-se até à cidade mexicana de Cuernavaca no final de 1936, numa tentativa final de salvar o seu casamento, a qual falhou, contudo. No fim de 1937, Lowry viu-se sozinho em Oaxaca, mergulhado num novo período de sombrio excesso alcoólico que culminou na sua deportação do país. Lowry reside alguns meses em Los Angeles onde conhece Margerie Bonner, antiga starlette de Hollywood e autora de romances policiais. Em 1939, mudam-se para o Canadá, e no ano seguinte casam-se. O casal viveu e escreveu numa cabana na praia perto de Dollarton, na Columbia Britânica, ao norte de Vancouver.

Lowry trabalhava em Debaixo do Vulcão desde 1936. Em 1940, uma primeira versão do romance foi recusada por todos os editores aos quais Lowry enviara o manuscrito; decide-se então a alterar a sua obra em profundidade, com a ajuda de Margerie, que editava o seu trabalho habilmente e assegurava-se de que ele comia tão bem quanto bebia (ela própria não era nenhuma estranha em relação à bebida) e cuja influência sobre o seu trabalho literário é inegável. O manuscrito escapou por pouco à destruição em Junho de 1944, aquando de um incêndio na cabana do casal. Em 1945-1946, Malcolm e Margerie decidem tirar umas férias no México a fim de festejarem o fim dos seus trabalhos. É durante a sua estada em Cuernavaca, revisitando os locais onde se desenrola a intriga de Debaixo do Vulcão, que Lowry recebe uma carta de Jonathan Cape, o editor inglês que já havia publicado Ultramarina, que aceita o romance mas recomenda mudanças importantes, dando ocasião a Lowry para escrever uma longa carta de explicação na qual explana toda a beleza e a complexidade da sua obra. Apesar de inícios prometedores, esta segunda estada de Lowry no México corre mal quando o casal é contactado pelos serviços de imigração mexicanos, que exigem o pagamento imediato duma multa contraída por Malcolm aquando da sua anterior estada. Lowry recusou-se ceder ao pedido de suborno e, com Margerie, é definitivamente expulso do país. (Estes acontecimentos tragicómicos fornecer-lhe-ão a trama de La Mordida, romance composto entre 1946 e 1952 e publicada a título póstumo em 1996). Os Lowry decidem seguidamente passar o inverno de 1946-1947 no Haiti.

O casal viajou pela Europa, a América e o Mar das Caraíbas, e apresar de Lowry continuar a beber em excesso, aquele parece ter sido um período relativamente pacífico e produtivo que duraria até 1954, seguindo-se-lhe um último período nómada, que incluiu Nova Iorque e Londres, entre outros lugares.

Lowry morreu na aldeia de Ripe, no Sussex, onde vivia com sua esposa. Com certeza o álcool, e muito provavelmente uma dose excessiva de comprimidos para dormir, contribuíram para a sua morte.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Publicada em vida[editar | editar código-fonte]

  • Ultramarina (Ultramarine, 1933)
  • Debaixo do Vulcão (Under the Volcano, 1947)

Póstuma[editar | editar código-fonte]

  • Hear Us O Lord from Heaven Thy Dwelling Place (1961)
  • Selected Poems of Malcolm Lowry (1962)
  • Lunar Caustic (1968)
  • Dark as the Grave wherein my Friend is Laid (1968)
  • October Ferry to Gabriola (1970)
  • The Collected Poetry of Malcolm Lowry (1992) edited by Kathleen Scherf
  • The Voyage That Never Ends (2007), selected stories, poems, and letters; edited by Michael Hofmann

Referências

  1. A Dictionary of Twentieth Century World Biography. Reino Unido: Book Club Associates, 1992, p. 351.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]