Malik Shah I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Büyük Selçuklu Sultanı Melikşah.jpg

Jalāl al-Dawlah Malik-shāh ou simplesmente Malik Shah (persa: ملكشاه, turco: Melikşah)(morto em 1092) foi um sultão seljúcida de 1072 a 1092.

Ele levou o Império Bizantino a se retirar da maior parte da Anatólia após a derrota por seu pai, Alp Arslan, na Batalha de Manziquerta em 1071. Da mesma forma, ele reformou o calendário instituindo o calendário Jalali em 1079. Malik Shah também expandiu poder seljúcida na Síria, em detrimento do Califado Fatímida do Egito, a criação de príncipes clientes em Edessa, Alepo e Damasco, e é lembrado como um dos maiores dos sultões seljúcidas.

Revolta na Anatólia[editar | editar código-fonte]

Sulimão ibn Qutulmish revoltou-se contra Malik Shah I e proclamou-se sultão de Rum, estabelecendo sua capital em Niceia. Suleimão expandiu seu reino, mas foi morto perto de Antioquia em 1086 por Tutush I, o governante seljúcida da Síria. O filho de Suleimão, Kilij Arslan I, foi capturado e levado como refém por Malik Shah I para Isfahan. É incerto se Tutush matou Suleimão por lealdade para com Malik Shah I, ou simplesmente para ganho pessoal.

Organização do Estado[editar | editar código-fonte]

O cargo principal do império era o de vizir Nizam al-Mulk que serviu a ele e a seu pai, e atingiu uma estatura quase mítica na história contemporânea muçulmano.

Ele mudou a capital de Rayy de Esfahan.

Ver também[editar | editar código-fonte]