Malika Oufkir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Malika Oufkir assina seu livo, Eu, Malika Oufkir, Prisioneira do rei, no Texas Book Festival 2006.

Malika Oufkir (em árabe: مليكة أوفقير; n. Marrakech, Marrocos, 2 de abril de 1953 (61 anos)) foi criada como princesa. Filha do chefe do exército e da policia secreta do Marrocos, no início da década de 50 ela foi adotada pelo rei Mohammed V e, depois da morte dele, por seu filho Hassan II. Morou em palácios, recebeu uma educação refinada e se acostumou a viver com reis e artistas de cinema. Um dia, porém, quando seu verdadeiro pai Mohammed Oufkir, tentou um golpe de estado para derrubar Hassan II, essa vida de sonhos acabou. Seu pai foi assassinado e ela, a mãe e seus cinco irmãos foram levados para uma prisão em algum lugar do Saara. Durante vinte anos eles viveram em condições desumanas, submetidos a toda sorte se humilhações, até conseguirem escapar.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Malika publicou um relato de sua vida na prisão, intitulado Eu, Malika Oufkir, Prisioneira do rei,[1] com a autora tunisiana Michèle Fitoussi. O livro foi escrito em francês, intitulado "La Prisonniere". Este relato foi mais tarde traduzido para o Inglês.[2]

Referências

  1. BBC World service
  2. [The Preface by Michele Fitoussi in La Prisonniere]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]