Malu Mader

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Malu Mader
Nome completo Maria de Lourdes da Silveira Mäder
Nascimento 12 de setembro de 1966 (47 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação atriz
Cônjuge Tony Bellotto (1990 - presente)
Outros prêmios
Prêmio Qualidade Brasil (2004) RJ - Melhor Atriz
por: Celebridade

Prêmio Qualidade Brasil (2004) SP - Melhor Atriz
por:Celebridade

IMDb: (inglês)

Maria de Lourdes "Malu" da Silveira Mäder[1] (Rio de Janeiro, 12 de setembro de 1966) é uma atriz brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos 15 anos foi levada pela cunhada Maísa, que estava começando a namorar seu irmão mais velho, para assistir Capitães da areia, e decidiu atuar.

Em 1982, inscreveu-se no curso para atores do Teatro Tablado, dirigido por Maria Clara Machado, e teve como professor Carlos Wilson (Damião), diretor de Capitães de Areia e a professora, a atriz Louise Cardoso. No final do ano, fez sua primeira encenação ao participar da montagem de Os Doze Trabalhos de Hércules, de Monteiro Lobato. Através desse trabalho, chamou a atenção do diretor Dennis Carvalho, que assistiu à peça, e a convidou para viver Dóris Cantomaia, na novela Eu Prometo. Aos 16 anos, em 1983, Malu estreou na TV Globo, sendo a única emissora de televisão aberta para a qual presta trabalhos até os dias atuais.

Em 1984, participou da novela Corpo a Corpo, tendo feito par romântico com o ator Lauro Corona e, em 1985, despontou em Ti Ti Ti, como Wal, filha do costureiro Jacques Léclair, de Reginaldo Faria. Do grande público ficou conhecida aos dezenove anos, como protagonista da minissérie Anos Dourados, de Gilberto Braga, sucesso de audiência da Rede Globo, em 1986. Com esse trabalho, Malu, tornou-se uma das atrizes favoritas do autor, repetindo a parceria em várias outras produções de sucesso da emissora. Foi também, através da minissérie que conheceu, o ator Taumaturgo Ferreira, que viria a ser seu marido, e a atriz Isabela Garcia, que se tornaria uma de suas melhores amigas. No mesmo ano, estreou no cinema em Rock Estrela.

Em 1987, trabalhou em O Outro, interpretando a Glorinha da Abolição, uma ex-menina de rua. No ano seguinte, protagonizou sua primeira novela, Fera Radical. Na trama, sua personagem – Cláudia – buscava se vingar do extermínio de sua família, ocorrido quando ainda era criança. Após a novela, mudou-se para São Paulo e fez a sua estreia no teatro profissional, encenando Dores de Amores.

Outros filmes e novelas vieram em seguida, mas com o tempo, passou a ser mais exigente na escolha de seus papéis.

Malu declarou que se tornou mais preocupada em sentir prazer no seu trabalho a partir de 1989, quando ocorreu um episódio marcante em sua vida. No dia em que estava se mudando para São Paulo, ela se envolveu num grave acidente de carro. Uma moça de dezoito anos ficou em coma por um mês, e se recuperou. A atriz foi acusada – e depois inocentada – em processos criminal e civil.[carece de fontes?]

Em 1989, protagonizou a novela Top Model, vivendo a modelo Duda, uma menina pobre que é descoberta e guindada à condição de Top Model e, em 1991, viveu a protagonista de O Dono do Mundo, quando encarnou a ingênua Márcia.[2] Na trama, sua personagem é seduzida pelo cirurgião plástico Felipe, de Antonio Fagundes, que apostara com um amigo que teria relações amorosas com ela, no dia do seu casamento, antes do marido.

É sondada até hoje para posar nua para a revista Playboy, e recusou todos os convites. Na última foi oferecido um milhão de reais.[carece de fontes?]

Em 1992, integrou o elenco da minissérie Anos Rebeldes, ambientada no Rio de Janeiro durante a ditadura militar, e que tinha como pano de fundo o movimento estudantil. Posterior a esse trabalho, foi convidada a protagonizar mais uma novela, O Mapa da Mina. Porém, cansada de papéis de mocinha, a atriz pediu para viver Wanda, uma moça simples, sensualíssima, desbocada e nem tão politicamente correta quanto Elisa. Carla Marins, que viveria Wanda, topou trocar de papel, porque também queria um papel que representasse um novo desafio em sua carreira. Ainda nesse ano, encenou o espetáculo Vestido de Noiva, no cinquentenário da peça, onde dividiu o palco com os também atores Tuca Andrada e Luciana Braga. A peça foi um sucesso de crítica e público.[carece de fontes?]

Em 1995, a atriz dá a luz a seu primeiro filho. A partir dai, surge o primeiro período sabático de sua carreira. Pelos próximos seis anos dedicaria-se mais a família, limitando-se somente a participações em seriados e minisséries.

Em 1996, fez parte do elenco fixo da série A Vida Como Ela É, além de ter participado de alguns episódios da série A Comédia da Vida Privada, ambos exibidos dentro do dominical Fantástico. Depois, em 1997, protagonizou o seriado A Justiceira, no papel de Diana, uma ex-policial que tem o filho seqüestrado por traficantes de armas e resolve agir contra a criminalidade, ingressando em uma organização internacional. O seriado foi criado para ter 32 episódios, mas a atriz engravidou durante o programa, e a produção teve que ser reduzida a somente 12 episódios. Por fim, em 1998, atuou na minissérie Labirinto, como a prostituta Paula Lee.

Da parceria com o autor Gilberto Braga, de quem a atriz é muito amiga, surgiram vários trabalhos importantes, como Força de um Desejo, novela que foi um grande sucesso de crítica em 1999 e que rendeu à Malu vários elogios por seu desempenho como a bela e determinada cortesã Ester Delamare,[3] e também a novela Celebridade, em que Malu interpretou a batalhadora Maria Clara Diniz, em 2003.[4] [5] Numa entrevista, Braga declarou, a respeito da atriz: "Se eu não tivesse optado por outro estilo de vida, ela seria a mulher com quem eu gostaria de casar e ter filhos. Além disso, ela sabe misturar com perfeição beleza e simplicidade, como Jacqueline Bisset." Celebridade foi escrita especialmente para Malu, em comemoração aos seus vinte anos de carreira.

Em 2007, Malu e Gilberto iriam trabalhar pela oitava vez na novela Paraíso Tropical, mas isso acabou não acontecendo. O autor declarou que essa foi uma das novelas que ele criou a trama sem pensar nos seus atores favoritos, o contrário do que havia feito com outras de suas novelas, e não viu nenhum papel que se adequasse a Malu. Nesse mesmo ano, integrou o elenco da novela Eterna Magia, interpretando uma vilã, a pianista Eva Sullivan.

No mesmo ano, foi diretora, junto a Mini Kerti, do documentário Contratempo, longa-metragem que conta a história de um grupo de músicos de favelas do Rio de Janeiro. O filme foi premiado e viajou para vários festivais no Brasil e no exterior.

Em 2008, estreou como diretora em Essa História Dava Um Filme, programa do canal pago Multishow, que na verdade trata-se de uma mistura de reality, ficção, documentário e making of, mostrando o processo de produção do curta-metragem desde as reuniões de pauta até as filmagens. O curta produzido por Malu foi inspirado em uma caso verídico que aconteceu com o ator Thiago Lacerda. Além de Thiago, a história contou também com a participação da atriz Daisy Lúcidi. Também atuou no projeto Se Não Fosse o Onofre, dirigido por sua sobrinha Erika Mader, em que interpreta a mãe de Zé, vivido por seu filho caçula.

Em 2010 gravou a refilmagem da novela Ti Ti Ti, de Cassiano Cabus Mendes, reescrita por Maria Adelaide Amaral e dirigida por Jorge Fernando.

No cinema, atuou em filmes que marcaram a década de 1980: Dedé Mamata e Feliz Ano Velho, ambos de 1988. Em 1999, acompanhando o renascimento do cinema nacional, fez Mauá - O Imperador e o Rei. Em 2002, interpretou uma prostituta no filme O Invasor. Já havia interpretado um papel semelhante no ano anterior, quando protagonizou o filme Bellini e a Esfinge, baseado no livro de Tony Bellotto. Também fez participações memoráveis em Sexo, Amor e Traição, Brasília 18%, Podecrer! e Sexo com Amor?.

Em 2013, volta à televisão na novela das 19h, Sangue Bom de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari interpretando Rosemere.[6]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Filha de um coronel do exército brasileiro, Rubens Tramujas Mäder (que cede seu nome à rodovia RJ-163, que vai a Penedo) e de uma assistente social, Ângela Maria da Silveira, a atriz possui ascendência libanesa.[7] [8] [fonte fiável?][vago]

É casada desde 1990 com o músico, apresentador e escritor Tony Bellotto, que integra o conjunto de rock Titãs. A atriz Betty Gofman foi quem mediou a formação do casal. Da união, nasceram dois filhos, João Mäder Bellotto, nascido em 14 de maio de 1995, no dia das mães, e Antonio Mäder Bellotto, nascido em 1 de setembro de 1997.

A atriz é tia da também atriz Erika Mader, que não esconde de ninguém o fato de ter escolhido a profissão por influência da tia famosa, filha da sua irmã Patrícia. Malu tem também um irmão, Luís Felipe Mäder.

Quando o marido começou a escrever romances policiais, Malu logo alimentou o desejo de levar o livro de estreia, Bellini e a Esfinge, para o cinema, o que aconteceu em 2001. Malu participou do filme, não só como atriz, mas também como co-produtora. Além de ter trabalhado no lançamento e na distribuição.

Em agosto de 2005, depois de sofrer uma convulsão em Florianópolis, foi-lhe diagnosticado um cisto benigno no lado esquerdo da cabeça, do qual foi operada com sucesso. Malu já tinha passado por um susto semelhante quando tinha 25 anos, quando numa consulta para engravidar do primeiro filho foi-lhe diagnosticado um tumor de 8 centímetros no figado e outro na bexiga.[carece de fontes?] Seguiu para Nova Iorque, onde foi operada no Memorial Hospital, e os tumores foram diagnosticados como benignos. Em Nova Iorque, ainda fez seu primeiro curso de roteiro de cinema, enquanto esperava seu primeiro filho.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
1983 Eu prometo Dóris Ribeiro Cantomaia
1984 Corpo a Corpo Beatriz Fraga Dantas - Bia
1985 Ti Ti Ti Walkíria Spina
1986 Anos Dourados Lourdinha (Maria de Lourdes Carneiro)
1987 O Outro Glorinha da Abolição
1988 Fera Radical Cláudia da Silva
1989 Top Model Duda
1991 O Dono do Mundo Márcia Nogueira
1992 Anos Rebeldes Maria Lúcia Damasceno
1993 O Mapa da Mina Wanda Machado
1996 A Comédia da Vida Privada Beatriz / Clara
A Vida Como Ela É Vários personagens
1997 A Justiceira Diana Maciek
1998 Labirinto Paula Lee (Ângela)
1999 Força de um Desejo Ester Ramos Delamare Sobral
2000 Brava Gente De Lourdes / Patsy
2001 Sítio do Pica Pau Amarelo Cuca
Os Normais Paula
2003 Celebridade Maria Clara Melo Diniz
2004 A Grande Família Ela mesma
2007 Eterna Magia Eva O'Brian Sullivan
2008 Guerra e Paz Sônia
2009 Zorra Total Ela mesma[9]
2010 Ti Ti Ti Suzana Martins
2011 A Turma do Didi Ela mesma[10]
2012 Casseta & Planeta Vai Fundo Policial[11]
2013 Sangue Bom Rosemere
2014 O Rebu assistente de direção [12] [13]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1981/1982 - Os Doze Trabalhos de Hércules"
  • 1989/1990 - Dores de Amores
  • 1993/ 1994 - Vestido de Noiva

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Conheça os nomes reais dos famosos Terra
  2. GERALDO BESSA (19 de maio de 2011). Há 20 anos, a ousada 'O Dono do Mundo' estreava na Globo. Terra Networks. Página visitada em 21 de dezembro de 2011.
  3. Força de um Desejo. Globo.com. Página visitada em 21 de dezembro de 2011.
  4. Paula, Júnior de (12 de dezembro de 2003). Máquina de fazer manias (em português). Folha de S.Paulo. Folha Online. Página visitada em julho de 2010.
  5. Redação Estadão (29 de janeiro de 2004). Malu Mader alucina povo da moda no SPFW (em português). O Estado de S.Paulo. Caderno Variedades. Página visitada em julho de 2010.
  6. Rede Globo (08 de março de 2013). Sangue Bom: Malu Mader e Felipe Camargo revivem antiga parceria. Rede Globo - sangue bom. Página visitada em 21 de julho de 2014.
  7. Bastidores: Malu Mader filma cena de curta-metragem no Leblon, GlamaSet - UOL, 15 de dezembro de 2007 (visitado em 20-8-09).
  8. Malu Mader. MSN (9 de setembro de 2009).
  9. [1] estrelando
  10. [2] globo
  11. [3] videoshow
  12. [4] notícias da Tv
  13. Carla Bittencourt (19 de julho de 2014). Malu Mader trabalha por trás das câmeras e é estagiária de ‘O rebu’. Extra. Telinha. Página visitada em 21 de julho de 2014.
  14. Cinemateca Brasileira, Feliz Ano Velho [Ficha do filme]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Malu Mader