Os Malucos do Riso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Malucos do riso)
Ir para: navegação, pesquisa
Malucos do Riso
Informação geral
Formato Série
Género Comédia
Duração 30 min.
País de origem  Portugal Recomendado para indivíduos com mais de doze anos, seguindo com acompanhamento parental (AP). i CPT (Portugal)
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Jorge Marecos Duarte
Elenco Camacho Costa
Exibição
Emissora de
televisão original
SIC
N.º de episódios 575 (até ao momento)

Os Malucos do Riso é a série de humor mais antiga da SIC. Começou em 1995 e consiste na dramatização de anedotas populares referentes aos alentejanos, loiras, à mercearia, e muitas outras.

O sucesso desta série já levou a que fossem criada outras versões como "Os Mini Malucos do Riso", "Os Malucos na Praia", "Os Malucos nas Arábias", "Malucos e Filhos", "Os Malucos no Hospital" e "Os Malucos na Selva".

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Encenação de anedotas. Gargalhadas, anedotas e boa disposição para toda a gente. O lema é nunca perder o humor nem um só episódio de Os Malucos do Riso. Todas as semanas sucedem-se mais e melhores anedotas para fazer rir o país inteiro. Os inúmeros cenários (mais de 350) não passam despercebidos: do manicómio ao paraíso, parando no quarto de hotel e seguindo para a prisão, quase tudo é permitido nesta fantástica série cheia de animação. Uma equipa de 20 actores foi escolhida a dedo para divertir os portugueses e fazer grandes encenações de humor a partir de mais de 3000 anedotas. Um programa para o divertir até à exaustão.

Elenco[editar | editar código-fonte]

1995-1997

1999-2000


2001-2004

2005-2011 (inclui Malucos na Praia, na Selva, no Hospital e nas Arábias)

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

  • Formato: Guilherme Leite; Jorge Marecos Duarte
  • Adaptação de Textos: Guilherme Leite; Fernando Heitor
  • Realização: Jorge Marecos Duarte
  • Produção: Pedro Correia Martins
  • Direcção Técnica: Duvídeo
  • Maquilhagem: Leonel Araújo

Personagens e Frases Célebres[editar | editar código-fonte]

  • Lello da Purificação, o cigano
  • Os Alentejanos (Guilherme Leite e João de Carvalho): "Cabecinha pensadora!"; "Isto é que vai p'ra aqui uma açorda, hein?"
  • Sr. André da mercearia (Camacho Costa): "[produto] importado directamente da Tailândia."; "Vossa excelência acabou de entrar no local certo, na hora exacta, no momento oportuno."; "O lema desta casa é «servir bem e bem servir dá saúde e faz sorrir.»"
  • Senhor Barata da loja de Antiguidades (Fernando Gomes): "Bê e Bê, só no Bê.", "Bom e barato, só no Barata."
  • Chefe da Esquadra de Polícia (Pedro Pinheiro): "Ai Costa! A vida, Costa..."
  • Farmacêutica (Raquel Maria): "O seu receituário?"; "Quer um produto químico, natural, ou assim-assim?"
  • Celso (António Melo) e Fannan (Fernando Ferrão): "Vai lá, vai! Até a barraca abana."
  • GNR (Duarte Victor): "Ora vamos lá ver isto que ainda não está visto."
Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão em Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.