Manda Bala (Send a Bullet)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manda Bala (Send a Bullet) é um documentário americano dirigido por Jason Kohn, sobre a corrupção e o sequestro no Brasil.

Kohn disse "Eu imaginei Manda Bala como um Robocop da vida real, demonstrando uma sociedade verdadeiramente defeituosa e violenta". O filme estreou em 20 de janeiro de 2007 no Sundance Film Festival, aonde ganhou o Grande Prêmio do Júri na categoria Documentários, e o prêmio de Excelência em Cinematografia. O mesmo teve um lançamento limitado na América do Norte, começando em 17 de Agosto de 2007. Em 18 de março de 2008, Manda Bala ganhou o prêmio de "Outstanding Achievement" na categoria Não-ficção no inaugural Cinema Eye Honors.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Manda Bala traça o perfil de pessoas como um empresário que blinda seu carro, um cirurgião plástico que reconstrói as orelhas de vítimas de sequestro, e o ex-Governador e Senador Jáder Barbalho, um poderoso político brasileiro do estado do Pará, que usava uma fazenda de sapos para lavagem de dinheiro, e o próprio criador de sapos (ver SUDAM).
O filme detalha muitas das razões para a corrupção brasileira, incluindo o fato que políticos em exercício, perante a lei, têm tratamento e julgamento diferentes de civis, e consequentemente nunca serão punidos por crimes que cometeram enquanto exerciam seus cargos. Outro fator - e outro ponto principal do filme - é a ubiquidade do sequestro no Brasil, o que garante que a chance de alguma compensação ou reparo é muito baixa, e que o inimigo de alguém (político ou outro qualquer) está sujeito a "desaparecer" com certa facilidade.

Entrevistados[editar | editar código-fonte]

  • Diniz, criador de rãs Um criador de rãs que realmente gosta da profissão. Sua esposa lhe mandou escolher entre ela e as rãs. Ele escolheu as rãs. As suas fazendas para criação de rãs eram usadas por Jader Barbalho para lavar dinheiro ilegalmente.
  • "Mr.M", empresário Depois de contar como foi roubado enquanto estava no trânsito, discute como ele se sente inseguro dirigindo em São Paulo, e como decidiu blindar carros porque andar sem blindagem "seria loucura".
  • Jamal, chefe da unidade AntiSequestro Fala como sequestros são acontecimentos comuns e quão difíceis são de resolver com sucesso, e a sua crença de que o governo deveria estar envolvido na solução e prevenção de sequestros. Exibe algumas cicatrizes causadas por tiros, no seu trabalho.
  • "Patrícia", vítima de sequestro Uma vítima de sequestro que teve suas orelhas cortadas conta detalhes sobre como seus sequestradores a fizeram dormir em condições horríveis, com um balde servindo de banheiro, a TV que passava filmes de Hitchcock, e como eles enviaram pedaços de suas orelhas para a sua família.
  • Hélio Dias Leite, delegado da Polícia Federal Discute os detalhes de sua investigação sobre a lavagem de dinheiro na criação de rãs, corrupção, e como coletou as evidências contra Jáder Barbalho.
  • "Magrinho", sequestrador Fala como um sequestro é planejado e o que acontece quando uma pessoa não tem seu resgate pago, e também como ele e outros do seu grupo cuidam dos outros da comunidade onde vivem, pavimentando ruas, distribuindo comida, e outros. Ele então se compara a um político que dá aos pobres, ao invés dos que estão em seus cargos e esqueceram os necessitados.
  • Jáder Barbalho, político corrupto Discute a região Amazônica (a mais pobre do Brasil), porque a SUDAM falhou, e quando o assunto da criação de rãs surge, ele responde que "precisaria de mais tempo para falar sobre isso, mais isso…isso não" e repentinamente termina a entrevista.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio do Grande Júri: Documentário no Sundance Film Festival de 2007.
  • Prêmio de Excelência em Cinematografia: Documentário para Heloísa Passos no Sundance Film Festival de 2007.
  • Vencedor do Prêmio Especial do Grande Júri no BritDoc Film Festival de 2007.
  • "Outstanding Achievement" na categoria Não-ficção no inaugural Cinema Eye Honors.
  • "Outstanding Achievement" na categoria Edição no Cinema Eye Honors.
  • "Outstanding Achievement" na categoria Cinematografia no Cinema Eye Honors.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]