Manifestações estudantis de 2012 no Quebec

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Red square badge Quebec student strike.png

As manifestações estudantis de 2012 no Quebec são diversos protestos organizados por agremiações estudantis no estado, contra uma proposta do primeiro-ministro do Quebec Jean Charest, para aumentar a anuidade das universidades de 2.168 para 3.793 dólares canadenses entre 2012 e 2017.[1]

Diversas propostas de negociação do governo foram recusadas pelos representantes estudantis.[2] A greve estudantil começou em 13 de fevereiro de 2012, quando os estudantes da Universidade Laval decidiram entrar em greve estudantil, seguido pela Universidade do Quebec em Montreal.[3] [4] [5] [6]

Em 22 de março de 2012, eram cerca de 166.068 estudantes em greve estudantil e prevenindo outros estudantes de assistirem as aulas,[7] com mais de 300.000 manifestantes, incluindo apoiadores e membros não-estudantes, nesta época.[8]

Descontentes com uma lei que restringia os protestos (a Bill 78), em 22 de maio houve a marcha denominada "O maior ato de desobediência civil na história do Canadá", com entre 100.000 e 400.000 manifestantes no centro de Montreal.[9] [10] [11] [12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Manifestações estudantis de 2012 no Quebec

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.