Mano Brown

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mano brown)
Ir para: navegação, pesquisa
Mano Brown
ManoBrown2012.jpg
Mano Brown em 2012
Informação geral
Nome completo Pedro Paulo Soares Pereira
Também conhecido(a) como Mano Brown, Poeta dos Loucos, Bandido Mau, Don Corleone
Nascimento 22 de abril de 1970 (44 anos)
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Rap, hip hop alternativo
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1988 – atualmente
Gravadora(s) Cosa Nostra
Afiliação(ões) Racionais MC's
RZO
Dexter
Jorge Ben Jor

Pedro Paulo Soares Pereira (São Paulo, 22 de abril de 1970), mais conhecido como Mano Brown, é um rapper brasileiro, vocalista dos Racionais MC's, grupo de rap formado na capital paulista em 1988 e integrado por Ice Blue (Paulo Eduardo Salvador), Edi Rock (Edivaldo Pereira Alves) e KL Jay (Kleber Geraldo Lelis Simões). É autor de canções como "Vida Loka I", "Vida Loka II", "Negro Drama" (com Edy Rock), "A Vida é Desafio", "Jesus Chorou", "Da Ponte pra Cá", "Capítulo 4, Versículo 3", "Tô Ouvindo Alguém Me Chamar", "Diário de um Detento", "Fórmula Mágica da Paz", "Homem na Estrada", "Fim de Semana no Parque" (com Edy Rock), "Mano Na Porta do Bar", "Negro Limitado" (com Edi Rock) e "Pânico na Zona Sul". "Artigo 157"

A revista Rolling Stone promoveu em outubro de 2008 a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, onde Mano Brown ficou com o 28° lugar.[1]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Mano Brown (foto: Guilherme Perez/Revista Forum)

Se notabilizou por sua aversão à mídia. Não dá entrevistas a jornais, revistas ou programas televisivos. São raras as vezes que os Racionais MC'S fizeram alguma apresentação na TV. Suas letras tratam da realidade que ele viu e presenciou em favelas, periferias. Mano Brown chegou a ser preso em 27 de julho de 2004, por desacato à autoridade, ao tentar agredir policiais militares após eles perseguirem o compositor até sua casa por terem descoberto uma ponta de cigarro de maconha.[2] [3] No dia seguinte, foi liberado após pagar fiança de R$ 60,00.[4] Em 2007, ele se envolveu em uma briga em um jogo do clube do time pelo qual torce, o Santos Futebol Clube, onde também é associado a Torcida Jovem do Santos. Foi detido e posteriormente solto por falta de provas.[5] Segundo o que disse à revista, ele não se envolvia com o crime.[6] A publicação revelou também que o pai que ele nunca conheceu possuía origens italianas.[7]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Álbuns Solo[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

DVD[editar | editar código-fonte]

Referências

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Mano Brown