Manoel Philomeno de Miranda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manoel Philomeno de Miranda, segundo a ortografia vigente Manuel Filomeno de Miranda, (Conde, 14 de novembro de 1876Salvador, 14 de julho de 1942) foi um médico e espírita brasileiro. A partir da década de 1970, o seu nome foi adotado em psicografias, através da mediunidade de Divaldo Franco.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Manoel Philomeno tomou conhecimento da Doutrina Espírita em 1914 através do médium Saturnino Favila. Na mesma época, conheceu o conceituado espírita baiano José Petitinga, passando a freqüentar a União Espírita Baiana (atual Federação Espírita do Estado da Bahia), fundada em 1915.

Presidia as reuniões mediúnicas e os trabalhos do Grupo Fraternidade, e a partir de 1921 passou a integrar a Diretoria da UEB, função que exerceu até desencarnar. Sucedeu a José Petitinga na Presidência da Assembléia Geral da União Espírita Baiana.

Livros de sua autoria[editar | editar código-fonte]

Em defesa da doutrina, publicou diversas obras sob pseudônimo, entre as quais:

  • Resenha do Espiritismo na Bahia;
  • Excertos que justificam o Espiritismo; e
  • Porque sou Espírita (opúsculo em resposta ao então Padre Huberto Rohden);

O espírito Manoel Philomeno[editar | editar código-fonte]

Em 1950 o médium Francisco Cândido Xavier psicografou para Divaldo Pereira Franco uma mensagem assinada pelo espírito de Manoel Philomeno,[1] mas somente em 1970 é que esta entidade se apresentou a Divaldo como um trabalhador atuante na área da desobsessão quando em vida, e que teria prosseguido nesses estudos, após a morte física.

Teve início, desse modo, uma parceria mediúnica que trouxe a público diversas obras enfocando o tema "obsessão", visando auxiliar o seu entendimento e oferecer suporte aos trabalhos mediúnicos nessa área desenvolvidos pelos Centros Espíritas no Brasil.

Livros psicografados[editar | editar código-fonte]

As obras de Manoel Philomeno, psicografados pela mediunidade de Divaldo Franco, têm sido publicados pela Federação Espírita Brasileira e pela Editora Leal, de Salvador. Entre os principais títulos, destacam-se:

  • Nos Bastidores da Obsessão 1970 FEB
  • Grilhões Partidos 1974 LEAL
  • Tramas do destino 1976 FEB
  • Nas Fronteiras da Loucura 1982 LEAL
  • Painéis de Obsessão 1984 LEAL
  • Loucura e Obsessão 1988 FEB
  • Temas da Vida e da Morte 1996 FEB
  • Trilhas da Libertação 1996 FEB
  • Tormentos da Obsessão 2001 LEAL
  • Sexo e Obsessão 2003 LEAL
  • Entre os Dois Mundos 2006 LEAL
  • Reencontro com a Vida 2006 LEAL
  • Transtornos Psiquiátricos e Obsessivos 2009 LEAL
  • Transição Planetária 2010 LEAL
  • Mediunidade: Desafios e Bençãos 2012 LEAL
  • Amanhecer de Uma Nova Era 2012 LEAL

Amanhecer de uma Nova Era, a última obra do autor, enfoca a transição do Planeta Terra (de Mundo de Expiação e Provas para Mundo de Regeneração). Trata-se da continuação do livro Transição Planetária.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. SCHUBERT, Suely Caldas. Semeador de Estrelas.

Transição Planetária (2010) - Leal

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Manoel Philomeno de Miranda