Manuel António Pina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel António Pina
Nome completo Manuel António Pina
Nascimento 18 de novembro de 1943
Sabugal, Portugal
Morte 19 de outubro de 2012 (68 anos)
Porto, Portugal
Nacionalidade Portugal português
Ocupação escritor, jornalista, cronista
Prêmios Prémio Camões (2011)

Manuel António Pina ComIH (Sabugal, 18 de novembro de 1943Porto, 19 de outubro de 2012[1] ) foi um jornalista e escritor português, premiado em 2011 com o Prémio Camões.

O autor licenciou-se em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e foi jornalista do Jornal de Notícias durante três décadas, tendo sido depois cronista do Jornal de Notícias e da revista Notícias Magazine.

A sua obra incidiu principalmente na poesia e na literatura infanto-juvenil, embora tenha escrito também diversas peças de teatro e de obras de ficção e crónica. Algumas dessas obras foram adaptadas ao cinema e TV e editadas em disco.

A sua obra se difundiu em países como França (francês e corso), Estados Unidos, Espanha (espanhol, galego e catalão), Dinamarca, Alemanha, Países Baixos, Rússia, Croácia e Bulgária.

A 9 de Junho de 2005 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[2]

Faleceu no dia 19 de Outubro de 2012 no Hospital de Santo António no Porto, aos 68 anos.[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • 1973 - "O país das pessoas de pernas para o ar" (lit. infanto-juvenil);
  • 1974 - "Ainda não é o fim nem o princípio do Mundo, calma é apenas um pouco tarde" (poesia);
  • 1974 - "Gigões & anantes" (lit. infanto-juvenil);
  • 1976 - "O têpluquê" (lit. infanto-juvenil);
  • 1978 - Aquele que quer morrer (poesia);
  • 1981 - "A lâmpada do quarto? A criança?" (poesia);
  • 1983 - "O pássaro da cabeça" (poesia);
  • 1983 - "Os dois ladrões" (teatro);
  • 1984 - "Nenhum sítio" (poesia);
  • 1984 - "História com reis, rainhas, bobos, bombeiros e galinhas" (lit. infanto-juvenil) ;
  • 1985 - A guerra do tabuleiro de xadrez(lit. infanto-juvenil);
  • 1986 - Os piratas(ficção);
  • 1989 - "O caminho de casa" (poesia);
  • 1987 - "O inventão" (teatro);
  • 1991 - Um sítio onde pousar a cabeça (poesia);
  • 1992 - "Algo parecido com isto, da mesma substância" (poesia);
  • 1993 - "Farewell happy fields" (poesia);
  • 1993 - "O tesouro" (lit. infanto-juvenil);
  • 1994 - "Cuidados intensivos" (poesia);
  • 1994 - "O anacronista" (crónica);
  • 1995 - O meu rio é de ouro (lit. infanto-juvenil);
  • 1998 - "Aquilo que os olhos vêem, ou O Adamastor" (teatro);
  • 1999 - Nenhuma palavra, nenhuma lembrança (poesia);
  • 1999 - "Histórias que me contaste tu" (lit. infanto-juvenil);
  • 2001 - "Atropelamento e fuga" (poesia);
  • 2001 - "A noite" (teatro);
  • 2001 - "Pequeno livro de desmatemática" (lit. infanto juvenil);
  • 2002 - "Poesia reunida" (poesia);
  • 2002 - "Perguntem aos vossos gatos e aos vossos câes" (teatro);
  • 2002 - "Porto, modo de dizer" (crónica);
  • 2003 - Os livros (poesia);
  • 2003 - "Os papéis de K." (ficção);
  • 2004 - "O cavalinho de pau do Menino Jesus" (lit. infanto-juvenil);
  • 2005 - "Queres Bordalo?" (ficção);
  • 2005 - "História do Capuchinho Vermelho"(lit. infanto-juvenil);
  • 2006 - "A Cabeça no Ar" (poesia)
  • 2007 - "Dito em voz alta" (entrevistas);
  • 2008 - "Gatos" (poesia);
  • 2009 - "História do sábio fechado na sua biblioteca" (teatro);
  • 2010 - "Por outras palavras e mais crónicas de jornal" (crónica);
  • 2011 - "Poesia, saudade da prosa" (antologia poética);
  • 2011 - "Como se desenha uma casa" (poesia);
  • 2012 - "Todas as palavras" (poesia).

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • 1978 - Prémio de Poesia da Casa da Imprensa (“Aquele que quer morrer”);
  • 1987 - Prémio Gulbenkian 1986/1987 (“O Inventão”);dfgtert
  • 1988 - Menção do Júri do Prémio Europeu Pier Paolo Vergerio da Universidade de Pádua, Itália (“O Inventão);
  • 1988 - Prémio do Centro Português para o Teatro para a Infância e Juventude (CPTIJ) (conjunto da obra infanto-juvenil);
  • 1993 - Prémio Nacional de Crónica Press Club/ Clube de Jornalistas;
  • 2002 - Prémio da Crítica, da Secção Portuguesa da Associação Internacional de Críticos Literários” ("Atropelamento e fuga");
  • 2004 - Prémio de Crónica 2004 da Casa da Imprensa (crónicas publicadas na imprensa em 2004);
  • 2004 - Prémio de Poesia Luís Miguel Nava 2003 (Os livros);
  • 2005 - Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores/CTT (Os Livros);
  • 2010 - Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância (O Cavalinho de Pau do Meninio Jesus e Outros Contos de Natal)
  • 2011 - Prémio Camões.[3]

Referências

  1. a b publico.pt (19-10-2012). Morreu o escritor Manuel António Pina. Página visitada em 19-10-2012.
  2. http://www.ordens.presidencia.pt/
  3. Manuel António Pina ganha prémio Camões. Público (12 de maio de 2011). Página visitada em 14 de maio de 2011.
Precedido por
Ferreira Gullar
Prémio Camões
2011
Sucedido por
Dalton Trevisan


Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.