Manuel António de Almeida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manuel António de Almeida CvCComMAIComNSC (Vila Nova de Foz Coa, Touça, 6 de Outubro de 1860 - Lisboa, São Paulo, 9 de Agosto de 1929), 1.º Visconde de Pinhel e 1.º Conde de Pinhel, foi um farmacêutico, empresário agrícola e político português.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de Francisco António de Almeida e de sua mulher Maria dos Santos, Proprietários em Freixeda do Torrão, Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, e neto paterno de Francisco de Almeida e Morais e de sua mulher Luísa Maria de Campos, da família do 1.º Barão de Vila Nova de Foz Coa e do 1.º Visconde de Vila Nova de Foz Coa.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Farmacêutico diplomado em Farmácia com o Curso de 1.ª Classe pela Escola Médico-Cirúrgica do Porto, foi grande Proprietário no Distrito da Guarda e no Distrito de Bragança, Senhor do Palácio do Largo do Conde-Barão, em Lisboa, e da Casa Grande, em Pinhel, etc., e Deputado da Nação em várias Legislaturas, era Fidalgo Cavaleiro da Casa Real por Alvará de 12 de Agosto de 1889, Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, Comendador da Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Agrícola e Cavaleiro da Ordem Militar de Cristo.[1] [2]

O título de 1.º Visconde de Pinhel foi-lhe concedido por Decreto de D. Luís I de Portugal de 12 de Julho de 1888, e foi elevado à Grandeza, como 1.º Conde de Pinhel, por Decreto de D. Carlos I de Portugal de 6 de Abril de 1893. Era Fidalgo de Cota de Armas por concessão de Mercê Nova por Alvará de D. Luís I de Portugal de 21 de Agosto de 1889 e Carta de D. Carlos I de Portugal de 10 de Novembro de 1889: escudo esquartelado, o 1.º e o 4.º de azul, com uma cruz simples firmada de ouro, o 2.º e o 3.º de prata, com um pinheiro de sua cor; timbre: uma águia vermelha, armada de ouro; coroa de Visconde, acrescentadas depois com a coroa de Conde por nova Carta de D. Manuel II de Portugal de 7 de Março de 1910.[1] [2]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou em Pinhel, Pinhel, na Igreja Paroquial de Santa Maria do Castelo, em 1889 com sua parente Luísa de Campos Henriques (Pinhel, Pinhel, 28 de Fevereiro de 1860 - Lisboa, 10 de Fevereiro de 1939), filha única e universal herdeira de Luís de Campos Henriques, Senhor da Casa dos Campos, em Vila Nova de Foz Coa, grande Proprietário em Pinhel e Vila Nova de Foz Coa, no Distrito da Guarda e no Distrito de Bragança, sobrinho paterno do 1.º Barão de Vila Nova de Foz Coa, e de sua mulher Cãndida Augusta Gaspar, com geração,[1] [2]

Referências

  1. a b c d "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo I, p. 494
  2. a b c "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Terceiro, p. 130