Manuel Carvalho da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carvalho da Silva

Manuel Carvalho da Silva (Viatodos, 2 de Novembro de 1948) é um sindicalista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Proveniente de uma família de pequenos agricultores, terminou o Curso Industrial de Montador Electricista, na Escola Industrial Carlos Amarante, em Braga. Trabalhava há pouco tempo, quando foi chamado a cumprir o serviço militar obrigatório, tendo participado na Guerra Colonial, em Cabinda, entre 1970 e 1972. Regressado a Portugal, ingressou na empresa Chromolit Portugal, de onde passou para a Electromecânica Portuguesa Preh. Nesta empresa pertenceu à Comissão de Trabalhadores, a partir de 1974, iniciando um percurso no sindicalismo, que o levaria a coordenador (secretário-geral, a partir de 1990) da CGTP-IN, durante 25 anos, entre 1986 e 2011.

Em representação da CGTP-IN, foi membro do Comité Executivo da Confederação Europeia de Sindicatos e do Conselho Económico e Social, onde dirigiu a Comissão Especializada Permanente da Política Económica e Social. Foi ainda membro do Conselho Consultivo da Universidade Aberta e do Instituto da Educação e Psicologia da Universidade do Minho, e presidente da Assembleia-Geral do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Eléctricas do Norte e Centro.

Tendo retomado os estudos, Carvalho da Silva licenciou-se em Sociologia no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa (2000), apresentando uma dissertação com o título Acção social - transformação e desenvolvimento, abordando problemas laborais vividos no complexo industrial da Grundig, em Braga e no Vale do Ave. Dando continuidade à sua formação académica, defendeu em 13 de Julho de 2007, também no ISCTE-IUL, a sua dissertação de doutoramento, com o título A centralidade do trabalho e acção colectiva. Sindicalismo em tempo de globalização. Além das suas intervenções em congressos e colóquios, publicou os livros Acção social - transformação e desenvolvimento (2000), Agir contra a corrente – reflexões de um sindicalista (2002) e Trabalho e sindicalismo em tempo de Globalização – reflexões e propostas (2007).

Actualmente é investigador do Centro de Estudos Sociais, sendo coordenador do seu Pólo de Lisboa, e professor no curso de licenciatura em Sociologia da Universidade Lusófona.

Em 2013, sem confirmação de nenhuma das partes, foi anunciado na imprensa que Carvalho da Silva se tinha desfiliado do PCP, optando por não tornar pública a sua decisão. O ex-líder da CGTP entregou o cartão de militante, o que teria acontecido pouco tempo depois de sair da liderança da CGTP, no início de 2012[1] .

Referências