Manuel Elkin Patarroyo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manuel Elkin Patarroyo Murillo (Ataco, Tolima, 3 de novembro de 1946 -) é um médico colombiano mundialmente reconhecido pelo desenvolvimento de uma vacina sintética contra a malária, uma doença transmitida pelo mosquito Anopheles gambiae. Esta vacina, cujos primeiros resultados em humanos foram publicados na revista Nature em 13 de agosto de 1987, mostrou uma eficácia entre 30-60% no ser humano.[1] [2] Acredita-se que ela poderia ajudar a evitar a ação destruidora da malária evitando o óbito de um milhão de habitantes em diversos países considerando que 3 milhões de pessoas morrem anualmente devido à malária.[3] Em 1994 ganhou o Prémio Príncipe das Astúrias como reconhecimento de seu estudos sobre a malária. Em 1999 a OMS testou a vacina na Gâmbia, Tanzânia e Tailândia, com resultados parcialmente efetivos. Atualmente coordena o desenvolvimento de uma vacina com uma eficácia maior para a malária.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Patarroyo estudou medicina no Universidade Nacional da Colômbia. Recebeu bolsa de estudo na Universidade de Yale.

Trabalhou no melhoramento da vacina contra a malária no Instituto Nacional de Imunologia do Hospital San Juan de Dios em Bogotá, Colômbia. Devido à falta de verbas governamentais para o hospital passou a desenvolver a vacina em laboratório próprio.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

A vacina desenvolvida por Patarroyo é cercada de algumas controvérsias: apesar seus resultados parciais de eficácia, cientistas norte-americanos concluíram que a vacina não era viável e seu uso deveria ser descontinuado. Patarroyo acusou "arrogância" na orientação desses cientistas porque a vacina foi elaborada num país em desenvolvimento.[1]

Referências

  1. a b Health: Race for malaria money. BBC News (26 de julho de 1999). Página visitada em 2008-01-26.
  2. Susan Aldridge, Magic Molecules: How Drugs Work (Cambridge University Press, 1998), p. 89
  3. Vacina contra a malária será eficaz em dois anos (2007-06-17). Página visitada em 2008-01-09.