Manuel II Paleólogo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel II Paleólogo
Imperador bizantino
Manuel II Paleologus.jpg
Imperador Manuel II
Governo
Reinado 13911425
Antecessor João V Paleólogo
Sucessor João VII Paleólogo
Dinastia Paleólogo
Vida
Nascimento 27 de junho de 1350
Constantinopla
Morte 21 de julho de 1425 (75 anos)
Constantinopla
Cônjuges
Helena Dragas
Filhos Filha de nome desconhecido
Constantino Paleólogo
João VIII Paleólogo
Andrônico Paleólogo
Filha de nome desconhecido
Teodoro II Paleólogo
Miguel Paleólogo
Constantino XI Paleólogo
Demétrio Paleólogo
Tomás Paleólogo
Pai João V Paleólogo
Mãe Helena Cantacuzena

Manuel II Paleólogo (em grego: Μανουήλ Β΄ Παλαιολόγος; transl.: Manouēl II Palaiologos; 27 de Junho de 1350 (664 anos) – 21 de julho de 1425) foi imperador de Bizâncio entre 1391 e 1425.

Vida[editar | editar código-fonte]

Manuel II Paleólogo era o segundo filho do imperador João V Paleólogo (1341–1376, 1379–1390, 1390–1391) e da sua mulher Helena Cantacuzena. Os seus avós maternos eram o imperador João VI Cantacuzeno (r. 1347–1354) e Irene Asanina.

Feito déspota pelo seu pai, o futuro Manuel II viajou para o Ocidente procurando granjear apoio para o Império Bizantino em 1365 e em 1370, desempenhando o cargo de governador de Tessalónica a partir de 1369. A tentativa falhada de usurpação do trono pelo seu irmão mais velho Andrónico IV Paleólogo em 1373 elevou Manuel a herdeiro do trono e co-imperador juntamente com o seu pai. Em 1376–1379 e novamente em 1390 foram ambos destronados por Andrónico IV e, depois, pelo filho dele João VII Paleólogo, mas Manuel derrotou pessoalmente o seu sobrinho com o auxílio de Veneza em 1390. Embora João V tivesse sido reposto no trono, Manuel foi obrigado a ser um refém na corte do sultão otomano Bayezid I em Bursa. Durante o seu cativeiro Manuel viu-se forçado a participar na campanha otomana que conquistou Filadélfia, o último exclave bizantino na Anatólia.

Tendo tido notícia da morte do seu pai em fevereiro de 1391, Manuel II evadiu-se da corte turca e reentrou em Constantinopla a fim de precaver-se contra qualquer golpe ou pretensão do seu sobrinho João VII. Apesar da melhoria das relações entre Manuel II e João VII, o sultão Bayezid I montou cerco a Constantinopla de 1394 a 1402. Depois de cinco anos de cerco, Manuel II confiou a regência a João VII e partiu para uma longa viagem pelas cortes ocidentais, tendo visitado Inglaterra, França, o Sacro Império Romano-Germânico e Aragão, procurando auxílio contra o Império Otomano.

Entretanto a cruzada anti-otomana sob a liderança do rei da Hungria Segismundo fracassou na batalha de Nicópolis, em 25 de Setembro de 1396, mas os otomanos foram em seguida eles próprios esmagados por Tamerlão na batalha de Ancara em 1402. Enquanto os filhos de Bayezid I se guerreavam durante a guerra civil otomana, João VII conseguiu recuperar para o Império a margem europeia do mar de Mármara e Tessalónica. Quando Manuel II regressou da sua viagem em 1403, João VII entregou o poder ao imperador e foi recompensado com o governo da recém-recuperada Tessalónica.

Manuel II aproveitou este período de calma para melhorar as defesas do Despotado da Moreia, onde o Império Bizantino estava a conseguir expandir-se à custa dos resquícios do Império Latino. Aqui Manuel II supervisionou a construção do Hexamilião, uma muralha que atravessava o istmo de Corinto, destinada a defender o Peloponeso dos otomanos.

Manuel II desenvolveu relações amigáveis com o vencedor da guerra civil, o sultão Maomé I (r. 1402–1421), mas as suas tentativas de ingerir-se na sucessão deste levaram a que Murad II (r. 1421–1451) atacasse Constantinopla em 1422. Nos últimos anos da sua vida Manuel II delegou quase todos os deveres oficiais no seu filho e herdeiro João VIII e em 1424 foram obrigados a assinar um tratado de paz com os otomanos, pelo qual o Império Bizantino se tornava um tributário do sultão. Manuel II faleceu em 21 de julho de 1425.

Manuel II foi o autor de numerosas obras sobre diversos assuntos, incluindo cartas, poemas, vidas de santos, tratados teológicos e sobre retórica, e de um epitáfio para o seu irmão Teodoro I Paleólogo.

Família[editar | editar código-fonte]

Com sua esposa Helena Dragaš, filha do príncipe sérvio Constantino Dragaš, Manuel II teve vários filhos:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
João V Paleólogo
Device of the Palaiologos Dynasty.svg
Imperador bizantino
com João VII (1399-1402)

1391 — 1425
Sucedido por
João VIII Paleólogo

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Oxford Dictionary of Byzantium, Oxford University Press, 1991.