Manuel José Borges da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manuel José Borges da Costa (Angra do Heroísmo, 15 de Dezembro de 1798 — Angra do Heroísmo, 6 de Janeiro de 1841) foi um aristocrata e político açoriano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi moço fidalgo da casa real, escrivão da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo por hereditariedade até 1838, com exclusão do tempo em que foi demitido por acompanhar o movimento liberal, sendo reintegrado ao serviço da dita câmara quando foi ministro o Conde de Subserra.

Exerceu o cargo de guarda-mor de saúde. Foi administrador de um vínculo instituído pelo padre Domingos Fernandes Fagundes, o Morgado de Santa Bárbara, localizado na freguesia de Santa Bárbara. Pertencia-lhe a capela da Sé Catedral dos Açores, onde está a imagem de São João.

Relações Familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho Alexandre Sebastião Borges da Costa, (6 de Janeiro de 1751 —?) e de D. Maria da Luz Borges da Costa ou Maria da Luz Coelho Borges Falcão, como também era conhecida.

Casou por duas vezes, a primeira com D. Maria Doroteia Bettencourt de Barcelos, filha de Manuel de Barcelos Machado Evangelho e de D. Joana de Bettencourt, e a segunda com D. Maria Carlota de Barcelos. Do primeiro casamento teve:

  1. Alexandre Sebastião Borges da Costa (10 de Dezembro de 1824 —?), casado com D. Angélica Augusta Clara Borges de Menezes.

Do segundo casamento teve:

  1. Maria Teotónia de Barcelos Borges da Costa, casada com John Meredyth Read

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.