Manuel Vásquez Montalbán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manuel Vázquez Montalbán (Barcelona, 14 de Junho de 1939Banguecoque, Tailândia, 18 de Outubro de 2003) foi um escritor, jornalista espanhol, poeta e novelista espanhol, de orientação política comunista e adepto do F.C.Barcelona.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O seu pai, Evaristo Vázquez, republicano exilado em França, entrou clandestinamente em Espanha para conhecer o filho recém-nascido e foi preso. Enquanto estudava jornalismo, Montalbán trabalhou como cobrador de uma casa funerária e deu aulas no seu bairro. Estudou Filosofia e Letras na Universidade Autónoma de Barcelona.

O seu primeiro trabalho profissional foi uma biografia do Cid. Em 1960 foi chefe nacional de propaganda do Servicio Universitário del Trabajo e depois colaborador interno da imprensa do Movimiento. Em 1961 casou com Ana Sallés e depois passou um ano e meio na prisão por ter participado numa manifestação. Ali escreveu o seu ensaio Informe sobre la información (1963). Entre 1963 e 1969 foi-lhe proibido o acesso aos meios de comunicação, e foi-lhe retirado o passaporte até 1972.

Participou na revista CAU (1970-74) e foi colaborador fixo da Triunfo e animador indiscutível das revistas Mundo Obrero, La Calle e Interviú. Em 1977 ingressou no Comité Central do Partido Socialista Unificado da Catalunha.

Montalbán é o criador do detetive galego Pepe Carvalho, protagonista de uma série policial que se passa em Barcelona. Escreveu ainda livros de poesia e vários ensaios. Publicou também a Autobiografia do General Franco (1992).

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Recordando a Dardé, 1969
  • Crónica sentimental de España, 1971
  • Yo maté a Kenedy, 1972
  • A la sombra de las muchachas sin flor, 1973
  • Happy End, 1974
  • Tatuaje, 1975
  • La soledad del mánager, 1977
  • Los mares del Sur, 1979 - (Distinguido com o Prémio Planeta, 1979)
  • Manifesto subnormal, 1979
  • Asesinato en el Comité Central, 1981
  • Los pájaros de Bangkok, 1983
  • La rosa de Alejandría, 1984
  • El pianista, 1985
  • Praga, 1985
  • El balneario, 1986
  • Los alegres muchachos de Atzavara, 1987
  • El delantero centro fue asesinado al atardecer, 1989
  • Pêro el viajero que huye, 1990
  • Galindez, 1990
  • Movimiento sin êxito, 1990
  • El laberinto griego, 1991
  • Autobiografia del General Franco, 1992
  • Sabotaje olímpico, 1993
  • El hermano pequeño, 1994
  • El Premio, 1996
  • Quinteto de Buenos Aires, 1997
  • El hombre de mi vida, 2000
  • Milenio Carvalho, 2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Manuel Vásquez Montalbán
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.