Mapa de Vinland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O Mapa de Vinland

O Mapa de Vinland é alegadamente um mapa-múndi do século XV, redesenhado a partir de um original do século XIII. Além de exibir África, Ásia e Europa, o mapa mostra uma grande ilha chamada Vinland, no Atlântico, a oeste da Groenlândia; o mapa descreve essa ilha como tendo sido visitada no século XI. Se autêntica, tal evidência é uma importante contribuição a achados arqueológicos como o sítio L'Anse aux Meadows, documentando viagens nórdicas pré-colombianas para a América. Atualmente não está decidido se o mapa é falso ou autêntico, mas a maioria das autoridades no assunto tende a acreditar que seja falso, principalmente após testes terem encontrado cristais de anatásio na tinta, embora o pergaminho possa ser original.

O texto no canto superior esquerdo do mapa diz: "Pela vontade de Deus, após uma longa viagem para o sul a partir da Ilha da Groenlândia em direção às mais remotas partes remanescentes do mar oceano ocidental, navegando para o sul em meio ao gelo, os companheiros Bjarni e Leif Eiriksson descobriram uma nova terra, extremamente fértil e tendo até videiras ... à qual eles deram o nome de Vinland."

A revelação do mapa[editar | editar código-fonte]

O Mapa de Vinland veio à luz pela primeira vez em 1957 (três anos antes da descoberta do sítio arqueológico nórdido em L'Anse aux Meadows, em 1960) e foi oferecido à Universidade Yale por um ex-aluno que havia se tornado um vendedor de livros antigos. Sem condições de pagar o preço pedido, Yale contactou um outro ex-aluno, Paul Mellon, que aceitou comprar o mapa e doá-lo à universidade se a sua autenticidade fosse comprovada. Reconhecendo sua potencial importância como o primeiro mapa a mostar a América, Mellon insistiu que a autenticação, conduzida por dois curadores do Museu Britânico e um bibliotecário de Yale, fosse realizada secretamente. Após anos de estudo eles decidiram que o mapa era autêntico, Mellon o doou a Yale, e ele foi revelado para o mundo em 1965.

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.