Mar Egeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Location Aegean Sea.png
Aegean Sea map.png
Ev9112 AegeanSea.A2001161.0915.1km-crop.jpg

O mar Egeu (em grego: Αιγαίο Πέλαγος, transl. Eiêo Pélaghos; em turco: Ege Denizi ou em turco: Adalar Denizi[1] ) é um mar interior da bacia do mar Mediterrâneo situado entre a Europa e a Ásia. Estende-se da Grécia, a oeste, até a Turquia, a leste. Ao norte, possui uma ligação com o mar de Mármara e o mar Negro através do Dardanelos e do Bósforo. Diversas ilhas estão localizadas no mar Egeu, inclusive Creta e Rodes, que formam o seu limite meridional.

O mar era tradicionalmente conhecido como o Arquipélago (em grego: Αρχιπέλαγος, "mar principal"), devido a sua importância para os gregos. Por metonímia, o termo também se aplicava ao conjunto das ilhas do Egeu e, posteriormente, veio a designar qualquer conjunto de ilhas (ver arquipélago).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Já na Idade Antiga havia várias explicações propostas para a origem do nome. Dizia-se que a origem seria devida à cidade grega de Aegae, ou a Egeia, rainha das Amazonas que morreu no mar, ou a Aigaion, um dos nomes de Briareu, um dos arcaicos Centímanos, ou, especialmente entre os atenienses, Egeu, pai de Teseu, que se arrojou ao mar ao concluir, erroneamente, que seu filho estava morto.

Uma possível etimologia é uma derivação da palavra grega αἶγεςaiges = "ondas" (Hesíquio de Alexandria; uso metafórico de αἴξ (aix) "cabra"), daí o "mar ondulado", cf. também αἰγιαλός (aigialos = aiges (ondas) + hals (mar)),[2] portanto, significa "beira-mar".

Em uma língua eslava do Sul o mar é frequentemente chamado de Mar Branco (em búlgaro: Бяло море, Byalo more, macedônio e sérvio: Бело море, Belo more).[3]

Geografia[editar | editar código-fonte]

O mar Egeu cobre uma superfície de cerca de 214 000 km² e se estende por cerca de 611 km de norte a sul e 299 km de oeste a leste.[4] Numerosas ilhas são banhadas pelo mar, cujo limite meridional é marcado pelas ilhas de Citera, Anticítera, Creta, Cárpato e Rodes (de oeste para leste).

As cerca de 1415 ilhas do Egeu costumam ser divididas em sete grupos: as ilhas de nordeste, Eubeia, as Espórades Setentrionais, as Cíclades, as Sarônicas, o Dodecaneso (ou Espórades Meridionais) e Creta. Pertencem à Turquia as ilhas de Bozcaada (em grego: Τένεδος, transl. Tênedos) e Gökçeada (em grego: Ίμβρος, transl. Imvros), e o restante pertence à Grécia.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

As falésias na Ilha de Santorini, Grécia.

A superfície da água do mar Egeu circula em um giro anti-horário, com água hipersalina Mediterrânea movendo-se para o norte ao longo da costa oeste da Turquia, antes de ser deslocado para a saída menos densa do Mar Negro. As densas águas do Mediterrâneo afundam-se abaixo da entrada do Mar Negro a uma profundidade de 23-30 metros, então fluem através do Estreito de Dardanelos e para o Mar de Mármara em velocidades de 5-15 cm/s. A saída do mar Negro se move para oeste ao longo do norte do Mar Egeu, então, flui para sul ao longo da costa leste da Grécia.[5]

História[editar | editar código-fonte]

O litoral atual remonta a cerca de 4 000 a.C.. Antes dessa época, no auge da última era glacial (cerca de 16 000 a.C.), os níveis do mar em todos os lugares estavam 130 metros mais baixo, e havia grandes planícies costeiras bem regadas, em vez de a maior parte do norte do Mar Egeu. Quando eles estavam ocupados em primeiro lugar, as ilhas atuais, incluindo Milos com sua produção de obsidiana importante foram, provavelmente, ainda ligadas ao continente. A presente forma costeiro apareceu em cerca de 7 000 a.C., com o nível do mar na era pós-glacial continuando a aumentar por mais de 3000 anos depois.[6]

As seguintes civilizações da Idade do Bronze na Grécia e no Mar Egeu deram origem ao termo geral civilização egeia. Nos tempos antigos, o mar foi o berço de duas civilizações antigas - os minoicos de Creta e da civilização micênica do Peloponeso.[7]

O mar Egeu foi colonizado pelos gregos há mais de quatro milênios. Até 1922 e o tratado de Lausanne, que cedeu à Turquia a costa oriental, todas as ilhas e costas norte, leste e oeste eram habitadas por uma maioria de gregos.

Durante a Idade Antiga, o mar Egeu propiciou o desenvolvimento da navegação marítima pelos gregos. Suas costas montanhosas e irregulares formam abrigos naturais e seu grande número de ilhas permitia navegar sempre à vista de terra.

O Egeu é também o berço das primeiras talassocracias da história da Europa, a dos minoicos de Creta e a de Atenas no século V a.C. (Liga de Delos). Com a conquista romana (cerca de 167 a.C.), as costas passaram a integrar a mesma unidade política, o Império Romano e, em seguida, o Império Bizantino.

Na Idade Média, as costas foram partilhadas entre os diferentes impérios gregos, os turcos e os Estados latinos, até a queda de Rodes, em 1522, e a conquista de Creta, no século XVII (tomada de Cândia em 1669 e de Spinalonga em 1715).

A Grécia logrou obter sua independência contra o Império Otomano em 1830. Limitada ao Peloponeso, à Ática e à Tessália, o país passou a opor-se ao Império Otomano - e depois à Turquia - ao longo de um século.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Busca Wikisource Wikisource tem o texto da
Encyclopædia Britannica (11ª edição)
artigo Aegean Sea.

Referências

  1. Ege Denizinin Orijinal Adı Nedir? (em turco) dzkk.tsk.tr. Visitado em 31 de outubro de 2013.
  2. Henry George Liddell, Robert Scott, A Greek-English Lexicon, s.v. "αἰγιαλός"
  3. Zbornik Matice srpske za društvene nauke: (1961), Volumes 28-31, p.74 (sérvio)
  4. Guo, Rongxing. Territorial Disputes and Resource Management: A Global Handbook. Nova Publishers, 2006. pp. 42. ISBN 1600214452
  5. Aksu, A. E., D. Yasar, et al. (1995). "Ao final do Holoceno-Glacial a evolução paleoceanográfica e paleoclimática do Mar – evidências micropaleontológicas isotópicas estáveis." Marine Micropaleontology 25(1): 1–28.
  6. Tjeerd H. van Andel; Judith C. Shackleton. Late Paleolithic and Mesolithic Coastlines of Greece and the Aegean (em <código de língua não-reconhecido>). [S.l.]: Journal of Field Archaeology, 1982. p. 445–454. vol. 9. Visitado em 31 de outubro de 2013.
  7. Tracey Cullen, Aegean Prehistory: A Review (American Journal of Archaeology. Supplement, 1); Oliver Dickinson, The Aegean Bronze Age (Cambridge World Archaeology).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mar Egeu