Maraú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Maraú
Taipus de Fora, em Maraú

Taipus de Fora, em Maraú
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 30 de março
Fundação 1938
Gentílico marauense
Prefeito(a) Maria das Graças de Deus Viana ( Gracinha) (Partido Progressista (Brasil))
(2009–2012)
Localização
Localização de Maraú
Localização de Maraú na Bahia
Maraú está localizado em: Brasil
Maraú
Localização de Maraú no Brasil
14° 06' 10" S 39° 00' 54" O14° 06' 10" S 39° 00' 54" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Valença IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Camamu, Ibirapitanga, Ubaitaba e Itacaré
Distância até a capital 366 ou 251 (via ferry-boat) km
Características geográficas
Área 823,362 km² [2]
População 21 016 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 25,52 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,593 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 61 842,917 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 557,05 IBGE/2008[5]
Página oficial

Maraú é um município do estado da Bahia, no Brasil. Sua população estimada em 2013 era de 21 016 habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo "Maraú" deriva do termo tupi maíra 'y, que significa "rio do francês" ou "rio do homem branco" (maíra = francês ou homem branco, 'y = rio).[6]

História[editar | editar código-fonte]

A cidade, inicialmente chamada de Mayrahú, tem sua origem numa aldeia indígena denominada Mayra. Foi descoberta em 1705 por frades capuchinhos italianos que lhe deram o nome de São Sebastião de Mayrahú. Em 1717, foi elevada a freguesia, e, em 1761, a vila e sede de concelho. Em 1938, tornou-se cidade.

Os padroeiros do município são São Sebastião e Nossa Senhora da Conceição do Cambuízo, que têm, como data festiva, 20 de janeiro e 8 de dezembro, respectivamente.

Com uma cultura riquíssima e quase totalmente preservada, essa cidade atrai cada vez mais turistas de todas as partes do mundo.

Chamada pela mídia de "Polinésia Baiana" devido à sua rara beleza e transparência de suas águas, Maraú possui belíssimas praias distribuídas entre seus vários povoados, além de dezenas de ilhas, cachoeiras, manguezais e quilômetros de Mata Atlântica totalmente preservados. Seus povoados costeiros mais conhecidos são: Barra Grande, Saquaíra, Taipus de Fora e Algodões. Maraú faz parte da Costa do Dendê, uma das regiões mais belas da Bahia. Lá, também, fica localizada a terceira maior baía do país, a Baía de Camamu, onde desagua o rio Maraú. Recentemente, a Península de Maraú começou a ser descoberta por baianos e turistas. Os moradores mais antigos contam que Maraú já foi visitada até pelo escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry, autor de "O Pequeno Príncipe", que teria permanecido no povoado o tempo suficiente para ali manter uma residência.

A importância da cidade de Maraú em séculos passados se revela hoje nos prédios de arquitetura antiga, inclusive alguns com características de estilo e gosto portugueses do século XVIII.

Do mirante na cidade alta, consegue-se uma bela vista do estuário de Maraú e da cidade baixa, podendo-se observar a ampla área de feira e as embarcações no atracadouro. O coco, a piaçava e a madeira são os principais materiais para a confecção do artesanato da região. No município, também são cultivados seringueira, dendê (introduzido em fins do século XIX), cravo-da-índia, pupunha, cacau, guaraná e pimenta-do-reino. Uma feira livre movimenta a cidade aos sábados e a pesca é importante fonte de renda para a cidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Praias[editar | editar código-fonte]

Taipus de Fora

Porto de Campinho[editar | editar código-fonte]

Durante a Ditadura, o governo fez um projeto para escoar a produção do Oeste Baiano (principalmente soja), construindo um porto na região de Campinho, e uma rodovia (BR-030). Porém, como a estrada cortava a Mata Atlântica, o trabalho de asfaltamento não pôde ser realizado e o porto acabou por não atingir o objetivo inicial. Atualmente, com o desenvolvimento do povoado de Campinho e de Barra Grande, a estrada vem recebendo várias melhorias periódicas, como a adição de cascalho na pista.

Tremembé[editar | editar código-fonte]

Subindo o rio Maraú, chega-se à vila de Tremembé, cujo acesso é possível através de barcos e por veículo através da cidade de Camamu. Próxima a vila, existe uma cachoeira (Cachoeira de Tremembé) , que deságua diretamente na Baía de Camamu, proporcionando um belíssimo espetáculo.

Piabanha[editar | editar código-fonte]

É um dos sub-distritos de Maraú, formado por moradores antigos da região. A principal fonte de renda do distrito é a lavoura cacaueira e a cafeeira, além da prefeitura. Tem, em média, 800 moradores entre crianças, adultos e idosos. As ruas são calçadas com paralelepípedos. Fica a 1 quilômetro da BR-330 e está localizado ao sudoeste do município de Maraú. Tem, como cidades vizinhas ao sul, Ubaitaba, que fica a 20 quilômetros pela BR-330 e pela BR-101; ao norte, Ubatã, que fica a 17 quilômetros pela BR-330 Piabanha. Dispõe de um posto do Programa Saúde da Família com atendimento médico de três vezes por semana. Possui, também, um cartório e uma sub-delegacia de polícia. Tem rede de esgoto, água encanada para todas as casas, uma escola com ensino fundamental da 1ª a 8ª série e um campo de futebol para o lazer. O vilarejo é pacato e muito agradável com a temperatura média anual de 28°C.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Maraú

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013 Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Página visitada em 30 de setembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 16 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 586.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.