Marcel Proust

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Marcel Proust
Marcel Proust em 1900
Nome completo Valentin Louis Georges Eugène Marcel Proust
Nascimento 10 de Julho de 1871
Auteuil, França
Morte 18 de Novembro de 1922 (51 anos)
Paris, França
Ocupação romancista, ensaísta, crítico
Influências
Influenciados
Magnum opus Em Busca do Tempo Perdido

Valentin Louis Georges Eugène Marcel Proust (Auteuil, 10 de Julho de 1871Paris, 18 de Novembro de 1922) foi um escritor francês, mais conhecido pela sua obra À la recherche du temps perdu (Em Busca do Tempo Perdido), que foi publicada em sete partes entre 1913 e 1927.

Filho de Adrien Proust, um célebre professor de medicina, e Jeanne Weil, alsaciana de origem judaica, Marcel Proust nasceu numa família rica que lhe assegurou uma vida tranquila e lhe permitiu frequentar os salões da alta sociedade da época.

Após estudos no Liceu Condorcet, prestou serviço militar em 1889. Devolvido à vida civil, assistiu na École Libre des Sciences Politiques aos cursos de Albert Sorel e Anatole Leroy-Beaulieu; e na Sorbonne os de Henri Bergson (1859-1941) cuja influência sobre a sua obra será essencial.

Em 1900, efectuou uma viagem a Veneza e se dedica às questões de estética. Em 1904, publicou várias traduções do crítico de arte inglesa John Ruskin (1819-1900). Paralelamente a artigos que relatam a vida mundana publicados nos grandes jornais (entre os quais Le Figaro), escreveu Jean Santeuil, uma grande novela deixada incompleta, e publicou Os Prazeres e os Dias (Les Plaisirs et les Jours), uma reunião de contos e poemas.

Após a morte dos seus pais, a sua saúde já frágil deteriorou-se mais. Ele passou a viver recluso e a esgotar-se no trabalho. A sua obra principal, Em Busca do Tempo Perdido (À la Recherche du Temps Perdu), foi publicada entre 1913 e 1927, o primeiro volume editado à custa do autor na pequena editora Grasset ainda que muito rapidamente as edições Gallimard recuaram na sua recusa e aceitaram o segundo volume À Sombra das Raparigas em Flor pela qual recebeu em 1919 o prêmio Goncourt.

A homossexualidade é tema recorrente em sua obra, principalmente em Sodoma e Gomorra e nos volumes subsequentes. Trabalhou sem repouso à escrita dos seis livros seguintes de Em Busca do Tempo Perdido, até 1922. Faleceu esgotado, acometido por uma bronquite mal cuidada.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Proust nasceu em Auteuil-Neuilly-Passy (o setor sul do então rústico 16.º arrondissement de Paris), na casa de seu tio-avô, dois meses após o Tratado de Frankfurt terminar formalmente a Guerra Franco-Prussiana. Seu nascimento ocorreu durante a violência que envolveu a supressão da Comuna de Paris e sua infância corresponde ao período da consolidação da Terceira República Francesa. Grande parte de Em Busca do Tempo Perdido diz respeito às grandes mudanças, mais particularmente o declínio da aristocracia e a ascensão das classes médias que ocorreram na França durante a Terceira República e o fin de siècle.

O pai de Proust, Achille Adrien Proust, foi um proeminente patologista e epidemiologista, responsável por estudar e tentar remediar as causas e os movimentos da cólera através da Europa e da Ásia. Foi o autor de muitos artigos e livros sobre medicina e higiene. A mãe de Proust, Jeanne Clémence Weil, era filha de uma rica e culta família judia da Alsácia.[2] Ela era culta e bem informada; suas cartas demonstram um senso bem desenvolvido de humor e seu domínio do inglês foi suficiente para lhe fornecer a assistência necessária para as tentativas posteriores de seu filho de traduzir John Ruskin.[3]

Por volta dos nove anos de idade, Proust teve seu primeiro ataque grave de asma e, a partir daí, ele foi considerado uma criança doente. Proust passou longos períodos de férias na aldeia de Illiers. Esta aldeia, juntamente com as lembranças da casa do seu tio-avô em Auteuil, tornaram-se o modelo para a cidade fictícia de Combray, onde algumas das cenas mais importantes de Em Busca do Tempo Perdido têm lugar. (Illiers foi renomeada para Illiers-Combray por ocasião das comemorações do centenário de Proust).

Em 1882, na idade de onze anos, Proust se tornou um aluno do Liceu Condorcet, mas sua educação foi interrompida por causa de sua doença. Apesar disso, ele destacou-se na literatura, recebendo um prêmio em seu último ano. Foi através de seus colegas que ele foi capaz de ganhar acesso a alguns dos salões da alta burguesia, fornecendo-lhe material abundante para Em Busca do Tempo Perdido.[4]

Apesar de sua saúde debilitada, Proust serviu durante um ano (1889-1890) no exército francês, estabelecido em Coligny Caserne em Orleans, uma experiência que providenciou um longo episódio em O Caminho de Guermantes, parte três de seu romance. Quando jovem, Proust foi um diletante e um alpinista social cujas aspirações como escritor foram prejudicadas pela sua falta de disciplina. Sua reputação a partir deste período, como um esnobe e um amador, contribuíram para seus problemas mais tarde com a obtenção de No Caminho de Swann, a primeira parte de seu romance em grande escala, publicado em 1913.

Proust tinha uma estreita relação com sua mãe. A fim de agradar seu pai, que insistia que ele seguisse uma carreira, Proust obteve uma posição de voluntário na Bibliothèque Mazarine no verão de 1896. Depois de exercer um esforço considerável, obteve uma licença por doença que se estendeu por vários anos até que ele foi considerado aposentado. Nunca trabalhou em seu emprego e não se mudou do apartamento de seus pais até que ambos estivessem mortos.[3]

Túmulo de Marcel Proust no cemitério Père Lachaise .

Proust, que era homossexual,[5] foi um dos romancistas da Europa a tratar a homossexualidade de forma aberta e detalhada.

Sua vida e círculo familiar mudou consideravelmente entre 1900 e 1905. Em fevereiro de 1903, o irmão de Proust, Robert, casou-se e deixou a casa da família. Seu pai morreu em novembro do mesmo ano.[6] Finalmente, e de efeitos muito mais devastadores, a querida mãe de Proust morreu em setembro de 1905. Ela deixou uma herança considerável. Sua saúde durante este período continuou a deteriorar-se.

Proust passou os últimos três anos da sua vida confinado em seu quarto, dormindo durante o dia e trabalhando à noite para concluir seu romance. Ele morreu de pneumonia e de um abscesso pulmonar em 1922. Foi enterrado no cemitério Père Lachaise, em Paris.

Obras[editar | editar código-fonte]

Em Busca do Tempo Perdido[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. James Marcus, review of John Updike's Due Considerations (2007), 28 October 2007, "Updike [is] a self-proclaimed 'Proust-lover'" Link
  2. [1] (em inglês) Literaryreview.co.uk.
  3. a b Tadié, J-Y. (Euan Cameron, trans.) Marcel Proust: A life. New York: Penguin Putnam, 2000
  4. Painter, George D (1959) Marcel Proust A Biography Vols. 1 & 2. London: Chatto & Windus
  5. White, Edmund (1999). Marcel Proust (em inglês) Nytimes.com. Visitado em 2008-06-13.
  6. Carter, William C. (2000) Marcel Proust: A Life. New Haven: Yale University Press

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Adorno, Theodor (1967) "Prisms." The MIT Press: Cambridge, MA.
  • Aciman, André (2004) The Proust Project. New York Farrar, Straus and Giroux
  • Albaret, Céleste (Barbara Bray, trans.) (2003) Monsieur Proust. The New York Review of Books
  • Alexander, Patrick (2009) 'Marcel Proust's Search for Lost Time.' Vintage Books, New York, ISBN 978-0-307-47232-8
  • Bernard, Anne-Marie (2002) The World of Proust, as seen by Paul Nadar. Cambridge: MIT Press
  • Carter, William C. (2000) Marcel Proust: A Life. New Haven: Yale University Press
  • Davenport-Hines, Richard (2006) A Night at the Majestic. Faber and Faber ISBN 978-0-571-22009-0
  • De Botton, Alain (1998) How Proust Can Change Your Life. New York: Vintage Books
  • Deleuze, Gilles (2004) Proust and Signs: The Complete Text. Minneapolis: University of Minnesota Press
  • Painter, George D (1959) Marcel Proust A Biography Vols. 1 & 2. London: Chatto & Windus
  • Shattuck, Roger (1963) Proust's Binoculars: A Study of Memory, Time, and Recognition in À la recherche du temps perdu. New York: Random House
  • Shattuck, Roger (2000) Proust's Way: A Field Guide To In Search of Lost Time, W. W. Norton
  • Tadié, Jean-Yves: Marcel Proust: A Life. Viking, New York, 2000
  • White, Edmund (1998) Marcel Proust. New York: Viking Books

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Marcel Proust
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marcel Proust