Marcello Giordani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde julho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Marcello Giordani, nascido Marcello Guargliardo (25 de Janeiro de 1963) é um tenor italiano que fez sucesso e cantou nas maiores casas de óperas do mundo. Atualmente associado com o Metropolitan Opera, onde ele já fez 170 performances desde sua estréia em 1993.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Marcello Giordani nasceu em 1963 em uma pequena cidade siciliana. Seu pai foi um guarda da prisão e sua mãe foi dona-de-casa. Ele mostrou seu talento desde pequeno e tendo lições privadas em Augusta, também cantava no coral da igreja. Quando completou dezenove anos ele deixou seu trabalho em um banco e mudou-se para Milão, onde estudou voz com Nino Carta.

Giordani fez sua estréia operística profissionam em 1986 como Duque em Rigoletto (uma obra de Giuseppe Verdi) no Festival dos Dois Mundos em Spoleto. Sua estréia no La Scala ocorreu dois anos depois quando ele interpretou o papel de Rodolfo da ópera La Bohème (uma obra de Giacomo Puccini). No ano de 1988 ele fez sua estréia nos Estados Unidos cantando Nadir em Les Pêcheurs de Perles com a Ópera de Portland, uma companhia com quem ele apareceu frequentemente no começo de sua carreira. Giordani também foi associado com muitas outras companhias de óperas estadunidensesn, incluindo Ópera de São Francisco, Ópera de Seattle, Ópera de Los Angeles e a Companhia de Ópera da Filadélfia.

Giordani fez sua estréia no Metropolitan Opera House em 1993 como Nemorino de L'elisir D'amore (uma ópera de Donizetti).

Em 1994 problemas vocais fizeram com que ele se afastasse um pouco das óperas. Ele começou a cuidar de sua voz com Bill Schuman em Nova Iorque. Em 1995 ele cantou Alfredo em La Traviada no Covent Garden sob a batuta de Sir Georg Solti. Em 1997 Giordani voltou a cantar no Covent Garden com Solti, desta vez como Gabriele Adorno em Simon Boccanegra, na última vez em que Solti conduziu uma performance de ópera. Sua carreira no Met começou a crescer. Até o fim de 2008 ele já tinha se apresentando no Met 170 vezes, incluindo performances de estréia no Metropolitan, como as estréias de Benvenuto Cellini e Il Pirata. Giordani também cantou na abertura de temporadas no Met: em 2006 como Pikerton em Madama Butterfy (Puccini), em 2007 como Edgardo em Lucia di Lammermoor (Donizetti) e dia 18 de Setembro de 2008 ele foi o tenor solista na obra Requiem de Verdi em memória a Luciano Pavarotti.

Algumas outras casas de ópera e festivais onde Giordani cantou durante sua carreira são: Opernhaus Zürich, Ópera do Estado de Viena, Ópera Nacional de Paris, Grande Teatro de Liceu, Ópera Alemã de Berlim, Grande Ópera de Houston, Maggio Musicale Fiorentino, Teatro da Ópera de Roma, Teatro Regio de Parma, Teatro Regio de Torino, Teatro Massimo Bellini de Catania, Arena de Verona, o Festival Verbier e o Festival Puccini.

Em Agosto de 2008 ele apareceu em um concerto com Salvatore Licitra e Ramón Vargas no Great Hall of the People em Pequim durante a primeira semana das Olimpíadas de 2008.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Giordani conheceu sua esposa quando ele cantou em Lucerne em 1988. Eles se casaram dois anos após isso. O casal e seus dois filhos moram em Nova Iorque.

Repertório Operístico[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]