Marcello Mathias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Marcelo Mathias)
Ir para: navegação, pesquisa
Marcello Mathias.

Marcello Gonçalves Nunes Duarte Mathias CvCGCCComSEGCIH (Lisboa, Encarnação, 15 de Agosto de 1903 – Cascais, Estoril, 9 de Junho de 1999) foi um diplomata e político português na época do Estado Novo.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de Leonardo Gonçalves Mathias (Arganil, Benfeita, 13 de Dezembro de 1876 - 1952) e de sua mulher Maria da Assunção Nunes Gonçalves (Arganil, Benfeita, 1877 - Lisboa, Agosto de 1953); neto paterno de José Gonçalves Mathias e de sua mulher Ana de Jesus Garcia, e neto materno de José Elias Gonçalves (filho de António Elias Gonçalves e de sua mulher Josefa Bernarda) e de sua mulher Maria Nunes (Seixal, Seixal - ?, filha de José Duarte e de sua mulher Maria Nunes).[1] Era irmão mais novo de Mário Mathias.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, foi Delegado do Procurador da República nas Comarcas de Mértola e de Alcácer do Sal, Cônsul no Rio de Janeiro, em Paris e em Atenas, Secretário da Embaixada de Portugal em Londres, Diretor-Geral dos Negócios Políticos e da Administração Interna do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Ministro dos Negócios Estrangeiros de Salazar entre 29 de Setembro de 1958 e 1961.[1] [2]

A sua importância histórica deve-se principalmente ao seu longo período de 24 anos como Embaixador de Portugal em Paris, cargo que deixou de exercer por ter atingido o limite de idade, durante o qual convenceu o multimilionário Calouste Gulbenkian a estabelecer a sua fortuna em Portugal e aí criar uma fundação, a Fundação Calouste Gulbenkian.[1] [2]

Foi, também, poeta, ensaísta e escritor.[1] [2]

Condecorações[3] [4] [editar | editar código-fonte]

Ordens honoríficas portuguesas:

Ordens honoríficas estrangeiras:

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou em Atenas, Grécia, a 9 de Março de 1935 com Fedora Charles Zaffiri (Cairo, 6 de Março de 1906 - Cascais, Estoril, 16 de Setembro de 1990), filha de Charalambas Zaffiri, comerciante grego estabelecido no Cairo, Egito, e de sua mulher Despina Baganis. Foram pais de Leonardo Mathias, Marcelo Mathias e Helena Mathias.[1] [2]

Referências

  1. a b c d e Costados, D. Gonçalo de Mesquita da Silveira de Vasconcelos e Sousa, Livraria Esquina, 1.ª Edição, Porto, 1997, N.º 73
  2. a b c d "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo I, p. 521
  3. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2014-05-26. "Resultado da busca de "Marcelo Gonçalves Nunes Duarte Matias"."
  4. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2014-05-26. "Resultado da busca de "Marcelo Gonçalves Nunes Duarte Matias"."
Precedido por
Paulo Cunha
Ministro dos Negócios Estrangeiros
1958 - 1961
Sucedido por
Franco Nogueira
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.