Marco Haurélio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco Haurélio

Marco Haurélio
Nome completo Marco Haurélio Fernandes Farias
Nascimento 05 de julho de 1974 (40 anos)
Riacho de Santana,  Bahia
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Cordelista
Principais trabalhos Contos e Fábulas do Brasil,
Meus Romances de Cordel,
Os 12 Trabalhos de Hércules
Gênero literário Cordel
Página oficial
http://marcohaurelio.blogspot.com/

Marco Haurélio (Riacho de Santana, Bahia, 5 de julho de 1974) é um escritor, professor e pesquisador da literatura de cordel e do folclore brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Ponta da Serra, localidade rural do município de Riacho de Santana, desde cedo travou contato com a cultura espontânea e com as histórias tradicionais narradas pela avó Luzia Josefina de Farias (1910-1982). Dessa experiência nasceram os livros Contos folclóricos brasileiros (2010), Contos e fábulas do Brasil (2011) e Lá detrás daquela serra (2013). Cursou Letras na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus VI - Caetité. Coordena, atualmente, pela editora Nova Alexandria, a Coleção Clássicos em Cordel, pela qual lançou A Megera Domada (versão da peça clássica de William Shakespeare).[1] Para a mesma coleção adaptou O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, uma das obras ganhadoras do Prêmio Mais Cultura de Literatura de Cordel 2010, do Ministério da Cultura, na categoria Produção (livros e CDs). É, ainda, idealizador da coleção Fábulas do Brasil em Cordel, da editora LeYa. É colaborador do Centro de Estudos Ataíde Oliveira, da Universidade do Algarve, Faro, Portugal.

Com vários livros e folhetos de cordel editados, profere palestras e ministra oficinas sobre a Literatura de Cordel e o Folclore Brasileiro. É um dos fundadores do grupo Caravana do Cordel, presença marcante na cena cultural paulistana. Representou o Brasil, ao lado de Antônio Barreto e Edilene Matos, no Encontro Internacional de Poetas, ocorrido em Assunción, Paraguai, em 2010. Vários de seus livros foram selecionados por programas de governo, como o PNBE, do Ministério da Educação, Apoio ao Saber e Salas de Leitura, do Estado de São Paulo, Minha Biblioteca, da prefeitura paulistana, Leitura para a Cidadania (Paulus Editora), Itaú Social e para composição do acervo da Biblioteca Nacional.

Influências[editar | editar código-fonte]

Em sua obra é notória a influência de cordelistas do passado, a exemplo de Leandro Gomes de Barros, Manuel d'Almeida Filho, Minelvino Francisco Silva e Delarme Monteiro Silva. Muitos de seus cordéis tem raízes na tradição oral, o que se explica por sua atuação como pesquisador da cultura popular brasileira. [2] Outro tema de sua predileção são as sagas mitológicas, que renderam livros como Os 12 trabalhos de Hércules (Cortez) e A Saga de Beowulf (Aquariana). No romance de cordel O Herói da Montanha Negra, escrito originalmente em 1987 e incluído na obra Meus Romances de Cordel (Global Editora), há muitas referências à mitologia grega, a exemplo destas estrofes:

Naquela triste montanha
Nascia o riacho Eterno,
Que descia numa gruta
E desaguava no Inferno,
Com suas águas ferventes
Que percorriam o Averno.
Glauco se aproximou
Do rio amaldiçoado
E subiu na frágil ponte
Pra chegar do outro lado,
Ansioso pra enfrentar
O monstro endemoninhado.
Essa ponte o conduziu
A uma caverna escura —
Nela o moço penetrou
Através duma abertura,
Mas lá dentro o esperava
Uma estranha criatura.
Esse ser era um mastim
Com cauda de escorpião,
Escamas por todo o corpo
E as garras de leão,
Mais horroroso que Cérbero,
O tartáreo guardião.

A esse respeito escreveu a estudiosa Vilma Mota Quintela: "A referência à mitologia grega, nesse caso, vem a enriquecer o enredo de aventuras, chegando este ao clímax em passagens como a da travessia do riacho Eterno pelo herói, que lembra a travessia do Aqueronte por heróis mitológicos como Hércules e Orfeu". [3]

Obra[editar | editar código-fonte]

Cordéis publicados pela Editora Luzeiro
  • Presepadas de Chicó e Astúcias de João Grilo
  • Os Três Conselhos Sagrados
  • História de Belisfronte, o Filho do Pescador
  • O Herói da Montanha Negra
  • A Idade do Diabo
  • História da Moura Torta
  • Nordeste – Terra de Bravos
  • Serra do Ramalho – um Brasil que o Brasil Precisa Conhecer
  • Romance do Príncipe do Reino do Limo Verde
  • A Briga do Major Ramiro com o Diabo
  • As Três Folhas da Serpente
  • O Cordel – Seus Valores, Sua História (com João Gomes de Sá)
  • Florentino e Mariquinha no Tribunal do Destino
Cordéis publicados pela Tupynanquim
  • Galopando o Cavalo Pensamento
  • Traquinagens de João Grilo
  • A Maldição das Sandálias do Pão-Duro Abu Kasem
  • As Três Folhas da Serpente (segunda edição)
  • A Roupa Nova do Rei ou O Encontro de João Grilo com Pedro Malazarte (primeira edição)
Publicado pela editora Queima-Bucha
Infantis, infantojuvenis e juvenis
  • A Lenda do Saci-Pererê em Cordel (Paulus)
  • O Príncipe que Via Defeito em Tudo (Acatu)
  • A Megera Domada em Cordel (Nova Alexandria)
  • Os Três Porquinhos em Cordel (Volta e Meia)
  • Lendas do Folclore Capixaba (Nova Alexandria)
  • Traquinagens de João Grilo (segunda edição, Paulus)
  • As Babuchas de Abu Kasem (Conhecimento Editora)
  • O Conde de Monte Cristo em Cordel (Nova Alexandria)
  • A Roupa Nova do Rei ou O Encontro de João Grilo com Pedro Malazarte (Volta e Meia)
  • História dos combates, amores e aventuras do valoroso cavaleiro Palmeirim de Inglaterra (FTD, com José Santos e Jô Oliveira)
  • O Noivo Defunto e Outros contos de Mal-Assombro (Claridade)
  • Os 12 Trabalhos de Hércules (Cortez Editora)
  • O Pobre que Trouxe a Sorte de Casar com uma Princesa (Armazém da Cultura)
  • Lucíola (versão em cordel da obra de José de Alencar)
  • A História de Amor de Pitá Moroti (Volta e Meia)
  • Peripécias da Raposa no Reino da Bicharada (LeYa)
  • A Lenda do Batatão (SESI-SP Editora)
  • João Destemido e as Três Folhas da Serpente (Conhecimento Editora)
  • A História dos Dois Homens que Sonharam (Giramundo)
  • A Saga de Beowulf (Aquariana)
  • Artes do Caipora em cordel (Paulus)
  • Lá Detrás Daquela Serra - quadras e cantigas populares (Peirópolis)
  • Quem conta história de dia cria rabo de cutia (Cortez Editora)
  • O Urubu-Rei e outros contos do Brasil (Volta e Meia)
  • Rei Lear em cordel (Amarylis)
  • Nem borboleta, nem cobra (Volta e Meia)
  • Brasil 12 x 12 Alemanha (Organizado por Hedi Gnadinger, Editora DSOP) com o conto Futebol na selva
Folclore, ensaios, antologias e estudos da poesia popular
  • Contos Folclóricos Brasileiros (Paulus)
  • Contos e Fábulas do Brasil (Nova Alexandria)
  • Breve História da Literatura de Cordel (Claridade)
  • Meus Romances de Cordel (antologia, Global Editora)
  • Antologia do Cordel Brasileiro (antologia, org., Global Editora)
  • O príncipe Teiú e Outros Contos Brasileiros (DeLeitura)
  • Literatura de Cordel: do Sertão à sala de Aula (Paulus)
  • Contos e Lendas da Terra do Sol (com Wilson Marques, Folia de Letras)

Referências

  1. Notícia, sítio oficial da prefeitura municipal de Guarulhos. Acessado em 2 de março de 2009
  2. Artigo, sítio oficial do Ministério da Educação. Acessado em 28 de fevereiro de 2014
  3. QUINTELA, Vilma Mota. Apresentação. In: Meus Romances de Cordel. São Paulo: Global, 2013.