Marco Pacúvio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Marco Pacúvio (em latim Marcus Pacuuius; 29 de abril de 220 a.C.7 de fevereiro de 130 a.C.) foi um autor trágico romano, considerado o maior da república. Era sobrinho e pupilo de Quinto Ênio, com o qual a tragédia romana atingira uma posição digna e influente. Entre a morte de Ênio e o advento de Lúcio Ácio, foi o único poeta que manteve a continuidade do drama em Roma.

Provavelmente nasceu na colônia romana de Brindisium. A sua linguagem nunca alcançou a perfeição idiomática e a pureza em estilo de um Névio ou um Plauto. Destacou-se inicialmente como pintor, sendo citado por Plínio, o Velho[1] como autor de um trabalho para o templo de Hércules. Contudo, a sua fama é devida a ter sido considerado como o fundador da tragédia latina.

Meus prolífico do que Ênio ou Ácio, apenas se conhecem uma dúzia das suas obras sobre temas gregos, assim como outra escrita para celebrar a vitória de Lúcio Emílio Paulo Macedônico na Batalha de Pidna de 168 a.C., durante a Terceira Guerra Macedônica. Continuou escrevendo tragédias até os oitenta anos. Faleceu em Taranto, onde passara os últimos anos da sua vida.

Cícero tinha-o em uma altíssima estima:

...pode dizer-se que Ênio seja o sumo poeta épico ..., e Pacúvio o sumo trágico, e Cecílio, talvez, o sumo cómico
De optimo genere oratorum, 2.
licet dicere et Ennium summum epicum poetam ... et Pacuvium tragicum et Caecilium fortasse comicum

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • González de Salas, J. A. y Sánchez, L. (2003), Nueva idea de la tragedia antigua. ISBN ISBN 3-935004-65-6
  • Mommsen, Theodor (2006), El mundo de los cesares. ISBN ISBN 968-16-7724-2

Referências

  1. Plínio o Velho, Nat. Hist. XXXV
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Marco Pacuvio».