Marcos Mazoni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcos Mazoni
Mazoni em entrevista à Agência Brasil, em 2012.
Nome completo Marcos Vinícius Ferreira Mazoni
Nascimento 19 de Dezembro de 1960 (54 anos)
 Rio Grande do Sul
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Administrador
Principais interesses Software livre e OpenDocument

Marcos Vinícius Ferreira Mazoni, mais conhecido por Marcos Mazoni, ou simplesmente Mazoni (19 de dezembro de 1960), gaúcho, é, atualmente, diretor-presidente do Serpro[1] [2] . Entusiasta em software livre, foi um dos percussores nesse ramo, no Brasil, tendo coordenado o I FISL.[2]

Currículo[editar | editar código-fonte]

Mazoni é formado em administração de empresas e pós-graduado em tecnologia da informação, pela FGV, e em gestão empresarial, pela UFRGS. Trabalhou, por 20 anos, na Companhia Riograndense de Telecomunicações.[1] [2]

Atuou também na Prefeitura de Porto Alegre, na Procempa e na ASBEMI e ABEP.[1]

Foi presidente da Procergs, de 1999 a 2002[1] , e diretor, da Celepar, empresa estadual de informática do Paraná, de 2003 a 2006[3] . É, desde 31 de maio de 2007,[4] até hoje,[1] [5] diretor-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO).

No dia 6 de maio de 2015, o então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, por meio do secretário-executivo Tarcísio Godoy, teria comunicado Mazoni de sua demissão do Serpro, prevista para ocorrer oficialmente no dia 8. Levy estaria alinhado com o então ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, que decretou intervenção federal de 180 dias no fundo de pensão dos funcionários do Serpro, o Serpros,[6] sem razão aparente, uma vez que o fundo estava superavitário.[7] A demissão de Mazoni, entretanto, não foi publicada no Diário Oficial da União e sua permanência foi confirmada através de um comunicado no dia 14.[5] [8]

Envolvimento com o movimento do software livre[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade. Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marcos Mazoni e Sérgio Amadeu no II Fórum Cearense de Software Livre, em 2006.

Mazoni é um dos precursores do movimento de software livre no Brasil, onde ajudou a coordenar o I Fórum Internacional de Software Livre, realizado em Porto Alegre, em 2000[2] , que é um dos maiores eventos de software livre do mundo. Foi um dos principais criadores do maior evento de informática do Paraná, a Latinoware, realizado anualmente em Foz do Iguaçu.[carece de fontes?]

Na Celepar, Mazoni é considerado um dos principais responsáveis pela adoção de software na empresa e no Governo do Estado do Paraná. Aumentou o número de funcionários mas gerou uma redução de custos através do novo paradigma.[carece de fontes?]

Principais projetos de grande porte, desenvolvidos em Software Livre no Governo do Paraná, sob sua liderança:[carece de fontes?]

  • Criação do correio Expresso Livre baseado em Software Livre
  • Framework Pinhão (ambiente de desenvolvimento de software, com Software Livre)
  • PORTAL DIA-A-DIA EDUCAÇÃO. Esse projeto possui o APC - Ambiente Pedagógico Colaborativo.
  • Paraná Digital, rede de computadores nas Escolas públicas do estado, em parceria com a UFPR. Esse projeto possui 44.000 estações (multiterminal), em Software Livre.
  • Desenvolvimento de todos os portais e sites do Governo do Paraná em Software Livre, XOOPS
  • Circuito Paranaense de Software Livre
  • Asterisco Paraná, sistema telefônico por VoIP
  • Primeira Lei ODF Open Document Format no Brasil, a Lei 15742/2007 do Paraná

Principais projetos de grande porte, desenvolvidos em Software Livre no Governo Federal:[carece de fontes?]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de maio de 2009, recebe das mãos do Presidente Lula a Medalha Cruzeiro do Sul, no grau de Grande Oficial, em reconhecimento aos relevantes serviços da organização na área de tecnologia da informação à Administração Pública Federal.[9] [10]

Referências

  1. a b c d e Organograma >> Estrutura organizacional >> Diretor-Presidente (em português) Serviço Federal de Processamento de Dados. Visitado em 15 de maio de 2015.
  2. a b c d Mazoni assume a presidência do Serpro Sindicato dos Trabalhadores em Informática e Tecnologia da Informação do Paraná (1º de junho de 2007). Visitado em 15 de maio de 2015.
  3. Galeria de Diretores Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná Projeto Memória. Visitado em 15 de maio de 2015.
  4. Brasil. Decreto s/nº, de 31 de maio de 2007. Sem ementa. Diário Oficial da União, Brasília, v. 145, n. 104-A, 31 de maio de 2007. Seção 1, edição extra, p. 17 (em português).
  5. a b Brasil. Decreto s/nº, de 14 de maio de 2015. Sem ementa. Diário Oficial da União, Brasília, v. 153, n. 91, 15 de maio de 2015. Seção 2, p. 1 (em português).
  6. Brasil. Portaria Nº 241, de 5 de maio de 2015. Sem ementa. Diário Oficial da União, Brasília, 5 de maio de 2015. Seção 1, p. 30.
  7. Marcos Mazoni deixa o Serpro depois de oito anos no comando da estatal (em português) Convergência Digital (7 de maio de 2015). Visitado em 15 de maio de 2015.
  8. Mesmo sob "fogo amigo", Mazoni é mantido na presidência do Serpro Convergência Digital (15 de maio de 2015). Visitado em 15 de maio de 2015.
  9. Marcos Mazoni recebe a Medalha Cruzeiro do Sul Serviço Federal de Processamento de Dados (8 de maio de 2009). Visitado em 15 de maio de 2015.
  10. Marcos Mazoni recebe a Medalha Cruzeiro do Sul [ligação inativa] TI News.



Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.