Margarida Marinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Margarida Marinho
Nascimento 27 de Janeiro de 1963 (52 anos)
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Actriz

Margarida Pinto Marinho da Silva[1] (27 de Janeiro de 1963) é uma actriz portuguesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Quinta de seis filhos e filhas de Raul Marinho da Silva, que morreu de cancro em 2007, e de sua mulher Margarida Pinto e irmã de António (produtor de música), Pedro (crítico de jazz), Francisco José (arquiteto), Maria Emília (enfermeira) e João Pinto Marinho da Silva.

Iniciou a sua formação e actividade no teatro universitário, sob a direcção de Paulo Filipe Monteiro, no grupo Íbis. Cursou Formação de Actores no Instituto de Ficção, Investigação e Criação Teatral, onde foi dirigida por Adolfo Gutkin, estreando-se na peça Eclipse do Sol (1982). Posteriormente foi dirigida por Giorgio Barberio Corsetti, Maria Germana Tânger, Mário Feliciano, Norberto Barroca, João Grosso e Alberto Lopes, Diogo Infante, José Wallenstein, Jorge Lavelli, João Perry, Luís Miguel Cintra, Luís Assis, João Canijo, António Feio, Solveig Nordlund, Jorge Silva Melo, entre outros. Destaca as recentes participações em E no Intervalo Faz-se Qualquer Coisa (encenação de José Wallenstein) Luz de Inverno, de David Hare (encenação de João Lourenço) e Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, encenação de José Wallenstein.

Tem dito poesia em vários recitais, como Abril.25, poemas de vários autores e Os Poetas (que dirigiu com música de Rodrigo Leão e Gabriel Gomes).

No cinema trabalhou com os realizadores Teresa Villaverde (A Idade Maior), Luís Álvarães, João Botelho (No Dia Dos Meus Anos), Pedro M. Ruivo, Fernando Lopes (O Fio do Horizonte), Joaquim Leitão, Christopher Frank, Marian Handwerker, Edgar Pêra (Manual de Evasão – LX94), Raoul Ruiz, Margarida Cardoso, Marco Martins, Solveig Nordlund, Leonel Vieira, entre outros.

Aparece com regularidade nos ecrãs televisivos, participando em várias séries e telefilmes (destacando Fuga, de Luís Filipe Costa; As Contas do Morto, de Rita Nunes; Os Cavaleiros de Água Doce, de Tiago Guedes) e estrangeiros (onde destaca Quand J’ Etais P’tit, de Danniel Janneu).

A actriz tem um filho, Manuel Marinho da Silva Canijo, nascido em 1993, fruto da sua relação com o realizador João Canijo.

Em 1998 participou num vídeo institucional comemorativo dos 50 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, juntamente com a actriz Lurdes Norberto.

Foi nomeada ao Globo de Ouro de Melhor Actriz em 2003 pelo filme Aparelho Voador a Baixa Altitude.

Em 2008, durante as gravações da novela A Outra, a actriz descobriu que estava grávida do seu agora ex-marido, o arquiteto Ricardo Zúquete, o qual tinha já um filho, Afonso, do seu primeiro casamento. Margarida deu à luz uma menina, Carlota Marinho da Silva Zúquete, no dia 15 de Dezembro de 2008, na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa. O casal separou-se em Março de 2010[2] e divorciou-se em 2012[3] .

Em 2009, ganhou o troféu de televisão da TV7 dias na qualidade de melhor atriz principal (Helena, Meu Amor).

Em 2010, a novela "Meu Amor", onde a Margarida era uma das protagonistas, foi nomeada e vencedora dos Emmy's Internacionais da categoria de melhor telenovela.

Em 2011, participação em Remédio Santo, como personagem principal.

Em 2012 é uma das protagonistas da peça Cenas da Vida Conjugal juntamente com Adriano Luz e Paula Mora, no Teatro D. Maria II. No mesmo ano, participou no filme "Teia de Gelo", de Nicolau Breyner, tendo sido o primeiro filme português rodado em duas línguas (português e inglês).

A 8 de Outubro de 2012, a novela Remédio Santo, na qual foi protagonista, é nomeada para o Emmy Internacional para melhor telenovela.

Em 2013, participou na novela Mundo ao Contrário na qualidade de protagonista. Ainda no mesmo ano, participou no filme "Beatriz - Entre a Dor e o Nada".

Em 2014, participou na novela "O Beijo do Escorpião", onde fez parte do elenco principal, tendo as gravações começado em Novembro de 2013.

Em 2015, muda-se para a SIC para integrar a 2ª novela portuguesa de horário nobre da estação, Poderosas.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]