Maria Ana da Saxónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Ana
Grã-duquesa da Toscana
Princesa da Saxónia
Maria Anna of Saxony.jpg
Maria Ana
Governo
Consorte Leopoldo II, Grão-duque da Toscana
Vida
Nascimento 15 de Novembro de 1799
Dresden
Morte 24 de março de 1832 (32 anos)
Pisa
Filhos Carolina da Áustria
Augusta Fernanda da Áustria
Maximiliana da Áustria
Pai Maximiliano, Príncipe-herdeiro da Saxónia
Mãe Carolina de Parma

Maria Ana Carolina Josefa Vincentina Xavier Nepomucena Francisca de Paula Francisca de Chantal Joana Antônia Isabel Cunigunde Gertrudes Leopoldina, Grã-duquesa da Toscana ( em alemão: Marie Anna Carolina Josepha Vincentia Xaveria Nepomucena Franziska de Paula Franziska de Chantal Johanna Antonia Elisabeth Cunigunde Gertrud Leopoldina), (15 de Novembro de 1799 - 24 de Março de 1832) foi uma Princesa da Saxônia. Tornou-se Grã-duquesa da Toscana através do seu casamento com o Grão-duque Leopoldo II da Toscana.

Família[editar | editar código-fonte]

Maria Ana foi uma das sete crianças nascidas da união entre Maximiliano, Príncipe-herdeiro da Saxônia e a Princesa Carolina de Bourbon-Parma.

O seu pai era filho de Frederico Cristiano, Eleitor da Saxônia. A sua mãe era filha de Fernando, Duque de Parma.

Vida[editar | editar código-fonte]

Durante a sua curta vida ela mostrou um interesse especial por pintura antiga e poesia clássica, adquirindo o "Liber Interitus" de Horácio por um preço desconhecido, mas extremamente alto. Inspirou-se pelos escritos gnósticos para escrever um pequeno poema chamado Chuchotet d'Archont, publicado depois da sua morte. Juntamente com o seu marido foi a primeira patrocinadora do Istituto Statale della Sa Annunziata, o primeiro internato feminino em Florença, criado para educar jovens nobres e aristocratas. Morreu em Itália, de Tuberculose que passou a Augusta, a sua filha.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

A avó do seu marido, a Arquiduquesa Luísa da Áustria, descreveu Maria Ana como "uma menina altamente nervosa que estava tão aterrorizada com a ideia de conhecer o seu noivo desconhecido que se recusou a sair de Dresden se não fosse acompanhada pela irmã", a Princesa Maria Fernanda da Saxônia. Como a sua irmã concordou em viajar com ela, Maria Ana foi obrigada a casar-se no dia 16 de Novembro de 1817 com o futuro Grão-duque Leopoldo II da Toscana, filho de Fernando III, Grão-duque da Toscana e da sua primeira esposa, a Princesa Luísa das Duas Sicílias. Durante as celebrações do casamento, Fernando ficou muito chegado à irmã de Maria Ana e eles acabariam por se casar mais tarde. A sua irmã Maria Fernanda tornou-se assim na sua sogra-madrasta.

Eles tiveram três filhas:

Depois da morte de Maria Ana em 1832 o seu marido casou-se com a Princesa Maria Antônia das Duas Sicílias.

Referências[editar | editar código-fonte]