Maria Bonita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Bonita
Maria Bonita
Nome completo Maria Gomes de Oliveira
Nascimento 8 de março de 1911[1]
Paulo Afonso, BA
Morte 28 de julho de 1938 (27 anos)
Poço Redondo, SE
Nacionalidade Brasil brasileira
Progenitores Mãe: Maria Joaquina Conceição Oliveira
(Dona Déa)[2]
Pai: José Filipe[2]
Cônjuge Virgulino Ferreira da Silva
Filho(s) Expedita Ferreira Nunes, Arlindo e Ananias Gomes de Oliveira[3]
Ocupação Cangaceira
Inacinha, companheira do cangaceiro Gato

Maria Gomes de Oliveira, vulgo Maria Bonita (Paulo Afonso,[4] 8 de março de 1911[1]28 de julho de 1938) companheira de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião e a primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros.

Maria Bonita nasceu e cresceu no povoado Malhada da Caiçara, que se localiza no município Paulo Afonso[5] , na época município Gloria, na Bahia.

Depois de um casamento fracassado, no qual não gerou filhos, em 1929 tornou-se a namorada de Virgulino Ferreira da Silva, conhecido também como o "Rei do Cangaço".

Morando na chácara dos pais, um ano depois do namoro foi chamada por Lampião para fazer efetivamente parte do bando de cangaceiros,[carece de fontes?] assim se tornando a mulher dele, com quem viveria por oito anos.

Supõem-se que Maria Bonita engravidou quatro vezes e que em duas gravidezes perdeu os filhos, sendo eles natimortos.[carece de fontes?] Comprovadamente ela teve uma filha com Lampião de nome Expedita Ferreira Nunes[4] , a única reconhecida legalmente,[3] que foi criada por um casal de amigos vaqueiros. Existem porém dúvidas sobre o parentesco dos supostos gêmeos Arlindo e Ananias Gomes de Oliveira. Ambos até então considerados filhos de Maria Bonita e Lampião.[2]

Maria Bonita morreu em 28 de julho de 1938, quando o bando acampado na Grota de Angicos, em Poço Redondo (Sergipe),[4] foi atacado de surpresa pela polícia armada oficial (conhecida como "volante"). Foi degolada ainda viva, assim como Lampião, porém este já morto, e outros nove cangaceiros.

Em 2006 a Prefeitura de Paulo Afonso restaurou a casa de infância de Maria Bonita, instalando o Museu Casa de Maria Bonita no local.[5]

Notas

  1. a b Segundo o Antônio Amaury, a certidão de batismo em nome de Maria Bonita não pode ser localizada. Maria deve ter nascido por volta do ano de 1908 (ARAÚJO 1984, fls. 168)
  2. a b c FILHOS DO REI DO CANGAÇO, João de Sousa Lima, escritor e pesquisador, membro da SBEC-Sociedade de Estudos do Cangaço, da Academia de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Paulo Afonso
  3. a b Morre em SP o irmão de Maria Bonita, aos 79 anos, pág. visitada 31 de outubro de 2012.
  4. a b c Morte de Lampião completa 70 anos, pág. visitada 31 de outubro de 2012.
  5. a b Lampião provoca medo até depois de morto, pág. visitada 31 de outubro de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Antônio Amaury Corrêa de Araújo. Lampião: as Mulheres e o Cangaço. São Paulo: Traço Editora, 1984.
  • João de Sousa Lima. A Trajetória Guerreira de Maria Bonita, a Rainha do Cangaço. [S.l.: s.n.].