Maria Branwell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Branwell
Maria Branwell
Nome completo Maria Branwell Brontë
Nascimento 15 de Abril de 1783
Penzance, Cornualha, Inglaterra
Morte 15 de setembro de 1821 (38 anos)
Hightown, Yorkshire, Inglaterra
Nacionalidade Inglesa
Parentesco Thomas Branwell
Anne Carne
Cônjuge Patrick Brontë

Maria Branwell (15 de Abril de 1783 - 15 de Setembro de 1821) foi a mãe das escritoras inglesas Emily Brontë, Anne Brontë e Charlotte Brontë e do pintor Branwell Brontë.[1]

Primeiros Anos[editar | editar código-fonte]

Maria Branwell era a oitava dos doze filhos de Thomas Branwell e Anne Carne em Penzance, na Cornualha, Inglaterra, apesar de apenas duas das cinco filhas e um dos filhos terem chegado à idade adulta. Thomas Branwell era um mercador de sucesso e detinha várias propriedades na cidade. A família Branwell estava envolvida na política local e vários dos seus membros foram presidentes da câmara e exerceram outras funções oficiais ao longo do século XIX. Os membros da família eram metodistas proeminentes e duas das irmãs de Maria casaram com clérigos de ensinamentos weslianos. Juntamente com a família Carne, entre outros, construíram e desenvolveram a primeira capela wesliana de Penzance.

Namoro e Casamento[editar | editar código-fonte]

Maria conheceu Patrick Brontë em 1812, quando estava de visita à sua tia Jane e ao tio John Fennell em Yorkshire depois terem ocorrido quatro mortes na família entre 1808 e 1812. Entre os mortos estavam ambos os seus pais e a tia Jane era irmã do seu pai. Maria mudou-se para o Yorkshire para ajudar a sua tia Jane com a gerência de uma nova escola metodista. John Fennell, um antigo director de escola e líder metodista em Penzance e Wellington, Shropshire, foi nomeado director da recém-criada Woodhouse Grove School para filhos de pastores metodistas em Rawdon em 1812. Patrick tinha conhecido John Fennell durante o seu vicariato em Wellington, Shropshire. Quando Fennell foi convidado para o cargo em Yorkshire, precisava de examinadores externos para os seus estudos e convidou Patrick para esse cargo em Woodhouse Grove. Maria e Patrick apaixonaram-se à primeira vez e casaram nesse mesmo ano. O casamento celebrou-se no dia 29 de Dezembro de 1812 na igreja paroquial de Guiseley por um amigo de ambos, o reverendo William Morgan que, no mesmo dia, casou a filha de Jane e John Fernnell, Jane Branwell Fennell. À medida da proximidade que existia entre os Branwell, a irmã mais nova de Maria, Charlotte, também se casou no mesmo dia, à mesma hora com o seu primo Joseph Branwell na igreja paroquial de Madron, na Cornualha.

Vida Posterior[editar | editar código-fonte]

A primeira casa de Maria e Patrick foi Clough House em Hightown. As suas duas primeiras filhas, Maria e Elizabeth nasceram lá em 1814 e 1815. A sua segunda casa foi em Thornton, onde nasceram os restantes filhos: Charlotte (1816), Patrick Branwell (1817), Emily Jane (1818) e Anne (1820). Em 2810, os Brontë mudaram-se para Haworth. Depois de se mudarem para lá, Maria começou a ter os primeiros sintomas do cancro que a mataria sete meses e meio depois. A sua filha mais nova, Anne, tinha apenas vinte meses.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

O único trabalho literário realizado por Maria, além das cartas, foi um ensaio intitulado "The Advantages of Poverty, In Religious Concerns." O ensaio pode ser encontrado na íntegra no livro "Life and Letters" de Clement Shorter.

Referências

  1. Glen, Heather. The Cambridge Companion to the Brontës. Cambridge companions to literature. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.