Maria Lúcia Dahl

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Maria Lúcia Dahl
Nascimento 20 de janeiro de 1941 (73 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade  brasileira
Ocupação atriz, roteirista, escritora e colunista brasileira
Cônjuge Gustavo Dahl e
Marcos Medeiros (1 filha)

Maria Lúcia Dahl (Rio de Janeiro, 20 de julho de 1941) é uma atriz, roteirista, escritora e colunista brasileira.

Foi casada com o cineasta Gustavo Dahl que conheceu em Roma, na Itália, e de quem herdou o sobrenome Dahl. Também casou-se com Marcos Medeiros, pai de sua única filha, a atriz Joana Medeiros. Tem dois netos.

É irmã da famosa figurinista global Marília Carneiro.

Estudou nos colégios Sion de Laranjeiras, no Princesa Izabel, no São Fernando e no Colégio Andrews, este último com sede no casarão de Botafogo em que a atriz nasceu e foi criada antes de se mudar com a família para a Avenida Atlântica, em Copacabana.

A atriz era herdeira do famoso Rhum Creosotado, que pertencia ao seu avô Gastão Penalva (pseudônimo de Sebastião de Souza) e fora criado pelo seu bisavô Ernesto de Souza, farmacêutico e poeta[1] . Com a morte dos pais e a fortuna da família depositada em confiança, a Companhia Cívica que pediu falência, as vidas de Maria Lúcia e de sua irmã Marília mudaram completamente.

Estudou Filosofia na PUC do Rio de Janeiro, mas desistiu do curso para abrir com a amiga Sônia Ramalho a butique Condotti, em Copacabana. Fecharam depois de algum tempo para viajar para a Europa e, em Roma, a atriz conheceu o primeiro marido. Voltou depois de um ano, começando uma longa trajetória artística no teatro, cinema e televisão.

Já escreveu quatro livros:

  • sua autobiografia Quem não ouve seu papai, um dia balança e cai, pela Editora Codecri;
  • Paquetá, além da arrebentação;
  • Crônicas JB;
  • uma biografia com crônicas, O Quebra-Cabeças, da Coleção Aplausos.

Em 2004, fez parte do grupo de jurados no Festival de Cinema de Gramado ao lado de Natália do Vale e Rubens Ewald Filho, entre outros.

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Como atriz
Como roteirista

No cinema[editar | editar código-fonte]

No teatro[editar | editar código-fonte]

Fez inúmeras peças, sendo a primeira Se Correr o Bicho Pega, se Ficar o Bicho Come, com o Grupo União e Marília Pera. Fez ainda O Avarento, em 1968, ao lado de Procópio Ferreira, além da famosa peça de Marcos Caruso e Jandira Martini, a comédia Trair e Coçar É Só Começar.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Maria Lúcia Dahl
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.