Maria Pia de Bourbon-Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Pia de Bourbon-Duas Sicílias
Infanta de Espanha
Princesa das Duas Sicílias

Duquesa consorte de Parma e Piacenza

Cônjuge Roberto I de Parma
Descendência
Maria
Luísa
Fernando
Luísa Maria
Henrique
Maria Imaculada
José
Maria Teresa
Maria Pia
Maria Beatriz
Elías
Maria Anastássia
Augusto
Nome completo
Maria Pia da Graça de Bourbon-Duas Sicílias
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Pai Fernando II das Duas Sicílias
Mãe Maria Teresa Isabel da Áustria
Nascimento 2 de Agosto de 1849
Gaeta, Reino das Duas Sicílias
Morte 29 de setembro de 1882 (33 anos)
Biarritz, França
Enterro Villa Borbone, Viareggio

Maria Pia da Graça de Bourbon-Duas Sicílias (em italiano Maria Pia della Grazia di Borbone-Due Sicilie) (Gaeta, 2 de agosto de 1849 - Biarritz, 29 de setembro de 1882), foi princesa da Casa Real das Duas Sicílias e Duquesa de Parma e Piacenza pelo casamento.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Maria Pia era a oitava filha do rei Fernando II das Duas Sicílias e de sua segunda esposa, Maria Teresa de Habsburgo, arquiduquesa da Áustria. Seus avós paternos foram o rei Francisco I das Duas Sicílias e Maria Isabel de Bourbon, infanta de Espanha; enquanto seus avós maternos foram o arquiduque Carlos de Áustria-Teschen (herói austríaco, vencedor da Batalha de Aspern-Essling) e a princesa Henriqueta de Nassau-Weilburg. Membro de uma família numerosa, Maria Pia tinha 12 irmãos (incluindo seu irmão mais velho, Francisco II das Duas Sicílias, único filho do primeiro casamento de seu pai). Tímida e reservada, a princesa, assim como seus irmãos, foi amorosamente criada pela mãe, que abominava as festas da côrte e a vida mundana, preferindo dedicar-se exclusivamente à educação dos filhos.

Maria Pia (à esquerda) com suas irmãs (em sentido horário) Maria Imaculada, Maria Anunciata e Maria Luisa .

Exílio[editar | editar código-fonte]

Com o avanço da Expedição dos Mil de Giuseppe Garibaldi sobre a Sicília e a Calábria, a família real das Duas Sicílias se refugia em Gaeta, onde as tropas fiéis a Francisco II combatem ferozmente por três meses. Em 13 de fevereiro de 1861 o exército finalmente capitula, obrigando o rei e sua família a exilar-se em Roma. Sob a proteção do Papa Pio IX, a realeza destronada ocupa inicialmente o Palácio do Quirinal e, em seguida, o Palácio Farnese.

Foi durante o exílio romano (seu lar dos doze aos vinte anos) que se iniciaram as negociações para o casamento de Maria Pia.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Casamento de Maria Pia com o duque Roberto I de Parma.

A despeito das tentativas de se casar a jovem princesa com um arquiduque austríaco (como suas irmãs mais velhas, Maria Anunciata e Maria Imaculada), o acordo matrimonial acabou sendo firmado com o ex-soberano do pequeno Ducado de Parma. Mesmo destronado, Roberto I era um pretendente disputado por sua fortuna e as dificuldades financeiras enfrentadas pelos seus primos das Duas Sicílias, após o confisco de todos os seus bens, foram decisivas para o sucesso das negociações. A cerimônia de casamento realizou-se em Roma, em 5 de abril de 1869. O casal teve doze filhos e seis deles foram declarados incapacitados mentais por Maria Antonia de Bragança, segunda esposa de Roberto I, após a morte deste:

A duquesa Maria Pia com seu filho Elias (futuro Elias I de Parma.)

Morte[editar | editar código-fonte]

A perigosa rotina de gestações e partos consecutivos (doze filhos em treze anos de casamento), tornou a princesa obesa e doentia. Maria Pia morreu de febre puerperal, em 29 de setembro de 1882, em Biarritz, uma semana após dar à luz seu último filho. Seu corpo foi sepultado na Villa Borbone, em Viareggio.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]