Maria Teresa de Saboia (1803-1879)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Teresa de Saboia
Princesa da Sardenha
Duquesa consorte de Lucca
Duquesa consorte de Parma
Infanta de Espanha
Maria Teresa di Savoia.jpg
Governo
Consorte Carlos I de Lucca
Casa Real Casa Real da Sardenha
Dinastia Saboia
Vida
Nascimento 19 de Setembro de 1803
Roma, Estados Pontifícios
Morte 16 de julho de 1879 (75 anos)
Viareggio, Ducado de Lucca
Filhos Luísa
Carlos
Pai Vítor Emanuel I da Sardenha
Mãe Maria Teresa de Áustria-Este

Maria Teresa Ferdinanda Felicitas Gaetana Pia di Savoia (em português Maria Teresa Fernanda Felicitas Caetana Pia de Sabóia) (Roma, 19 de setembro de 1803 - Viareggio, 16 de julho de 1879), foi princesa da Sardenha e duquesa de Lucca pelo seu casamento.

Infância[editar | editar código-fonte]

Nascida no Palazzo Colonna em Roma, Maria Teresa era filha de Vítor Emanuel I, rei da Sardenha e de Maria Teresa de Áustria-Este. Tinha uma irmã gêmea, Maria Ana, mais tarde Imperatriz da Áustria pelo seu casamento com Fernando I. As duas princesas foram batizadas pelo Papa Pio VII, tendo como padrinhos os avós maternos, o arquiduque Fernando Carlos de Áustria-Este e Maria Beatriz d'Este. No Palazzo Braschi, em Roma, existe um retrato do batizado.

Maria Teresa passou a maior parte de sua infãncia em Cagliari na ilha da Sardenha, onde sua família se refugiou do exército de Napoleão. Em 1814 seu pai foi restaurado no governo do Piemonte e toda a família retornou a Turim.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Casou-se em 5 de setembro de 1820 com Carlos I, duque de Lucca. O casal teve dois filhos:

  • Luisa Francisca de Paula Teresa Ana Beatriz Maria Clotilde de Bourbon-Parma (1821-1823).

Maria Teresa e seu marido eram considerados um par incompatível. Ela era uma mulher profundamente religiosa e comprometida com sua fé e não teve um casamento feliz devido à personalidade de seu marido, pois Carlos vivia para seu próprio prazer. Homem bonito e totalmente imprevisível, gostava de longas viagens ao exterior, muitas vezes ignorando as suas responsabilidades para com o governo. Viveram a maior parte da vida conjugal separados um do outro.

Duquesa de Parma[editar | editar código-fonte]

Em 17 de dezembro de 1827 morre a arquiduquesa Maria Luísa de Áustria e, conforme determinação do Congresso de Viena, Carlos troca o Ducado de Lucca pelo Ducado de Parma; passa a reinar como Carlos II e Maria Teresa torna-se duquesa de Parma. Durante meses a duquesa foi a governante virtual de Parma até a revolução de março de 1848. No ano seguinte Carlos abdicou em favor de seu filho Carlos III. Maria Teresa passou a ser tratada como Duquesa-Viúva Maria Teresa de Parma.

Maria Teresa passou a viver na Villa delle Pianore, em Viareggio. Lá ela recebeu a notícia da morte de seu filho, mas seus interlocutores a pouparam de saber que Carlos III foi assassinado num atentado (o duque foi esfaqueado no abdômen por um homem não identificado que, acredita-se, fosse m carbonário). Sempre ignorando tal fato, a duquesa sobreviveu à extinção do Ducado de Parma (anexado pelo recém criado Reino de Itália), vindo a falecer em 1879.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • FERRARA, G. & VITTORINI, E. Sangue a Parma, Mondadori, Milano, 1967;
  • LUCARELLI, G. Lo sconcertante Duca di Lucca Carlo Ludovico di Borbone Parma, Maria Pacini Fazzi editore, Lucca, 1986.
  • CIFERRI, E. Maria Teresa di Savoia, duchessa di Lucca in «Dizionario Biografico degli Italiani», 70, Roma, Istituto della Enciclopedia Italiana fondata da Giovanni Treccani, 2008.