Maria da Conceição Tavares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria da Conceição Tavares
Economia, Matemática e Estatística
Maria da Conceição Tavares, 2004
Dados gerais
Nome de nascimento Maria da Conceição de Almeida Tavares
Nacionalidade Portugal portuguesa
Brasil brasileira
Residência Brasil, Portugal
Nascimento 24 de abril de 1930 (84 anos)
Local Anadia, Portugal
Atividade
Campo(s) Economia, Matemática e Estatística
Instituições Unicamp e UFRJ
Alma mater Universidade de Lisboa
Universidade de Paris II
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Orientador(es) John Meyer
Orientado(s) Fábio Gianbiagi
Edward Amadeo
Aloísio Teixeira
Mário Luis Possas
João Manuel Cardoso de Melo
Conhecido(a) por Estudos da economia brasileira
desenvolvimentismo
substituição de importações
Influência(s) Karl Marx, John Maynard Keynes, Mário Henrique Simonsen, Octávio Gouveia de Bulhões, Isaac Kerstenetzky, Celso Furtado, Caio Prado Jr., Ignácio Rangel, Roberto Campos, Raúl Prebisch, Aníbal Pinto, Delfim Netto, Edmar Bacha, Carlos Lessa, Francisco Lopes, João Manuel Cardoso de Melo
Influenciado(s) José Serra, Pedro Malan, Carlos Lessa, Guido Mantega, Fernando Henrique Cardoso, Luciano Coutinho, Luís Gonzaga Beluzzo, João Manuel Cardoso de Melo, Dilma Vana Rousseff
Prêmio(s) Medalha Pedro Ernesto
Medalha de Honra da Inconfidência
Comendador da Ordem do Mérito de Portugal
Prêmio Jabuti
Ordem de Bernardo O'Higgins
Ordem de Rio Branco
Prêmio Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia
Notas É uma das principais acadêmicas da história do Instituto de Economia da UFRJ e, mais tarde, do instituto homônimo da Unicamp.

Maria da Conceição de Almeida Tavares (Anadia, 24 de abril de 1930) é uma economista portuguesa naturalizada brasileira.

É também professora-titular da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e professora-emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Filiada ao Partido dos Trabalhadores, Maria da Conceição já foi deputada federal pelo estado do Rio de Janeiro entre 1995 e 1999, e é autora de diversos livros sobre desenvolvimento econômica

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Anadia, cresceu em Lisboa. Sua mãe era católica, e seu pai, um anarquista, que abrigou refugiados da Guerra Civil Espanhola, em plena era Salazar.[1] Graduada em matemática, chegou ao Brasil em fevereiro de 1954, já casada com o engenheiro português Pedro Soares, e grávida de sua primeira filha, Laura (seu segundo marido, Antonio Carlos Macedo, professor de ciências biológicas da UFRJ, é o pai de Bruno, nascido em 1965).[2] Trabalhou na elaboração do Plano de Metas de Juscelino Kubitschek. Naturalizou-se brasileira em 1957. No mesmo ano, decidiu estudar economia, influenciada por três clássicos do pensamento econômico brasileiro: Celso Furtado (1920-2004), Caio Prado Jr. (1907-1990) e Ignácio Rangel (1908-1994), que a despertou para as questões relacionadas ao capital financeiro. "Isso eu devo ao Ignácio Rangel, que chegou para mim e disse: "A esquerda tem a mania de não estudar essa coisa de moeda e finanças, e isso dá muito mau resultado." Eu disse: "Em finanças públicas tem gente." "Mas eu não estou falando disso, estou falando de bancos, balanços, essas coisas que vocês nem dão bola. Precisa estudar, precisa saber, porque a inflação..." E começou com as coisas dele sobre a inflação."[3]

Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi aluna de Octávio Gouvêa de Bulhões (1906-1990) e Roberto Campos (1917-2001). Trabalhou como analista matemática no BNDES.

Escreveu centenas de artigos e vários livros, destacando-se o clássico "Auge e Declínio do Processo de Substituição de Importações no Brasil – Da Substituição de Importações ao Capitalismo Financeiro", de 1972. O texto foi escrito no fim dos anos 1960, quando chefiava o escritório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) no Brasil.

Entre 1968 e 1972, durante a ditadura militar, autoexilou-se no Chile, onde trabalhou no ministério da Economia, durante o governo de Salvador Allende, .

Ao longo de 60 anos, formou gerações de economistas e líderes políticos brasileiros, entre eles Dilma Rousseff, José Serra, Carlos Lessa, Edward Amadeo, Aloísio Teixeira, Luciano Coutinho, Luís Gonzaga Beluzzo, e João Manuel Cardoso de Melo. Maria da Conceição Tavares é torcedora apaixonada do Club de Regatas Vasco da Gama.

Bibliografia básica[editar | editar código-fonte]

  • Da substituição de importações ao capitalismo financeiro. Rio de Janeiro, Zahar, 1972 (Fazem parte desse livro os artigos: "Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil"; "Notas sobre o problema do financiamento numa economia em desenvolvimento - o caso do Brasil"; "Além da estagnação"; Natureza e contradições do desenvolvimento financeiro recente).
  • Acumulação de capital e industrialização no Brasil. Campinas, Editora da Unicamp, 1986. Republicada em 1998 pelo Instituto de Economia da Unicamp.
  • Ciclo e crise: o movimento recente da industrialização brasileira. Campinas, Instituto de Economia, 1998.
  • Poder e dinheiro. José Luís Fiori (org.) Petrópolis, Vozes, 1997 (Destacam-se seus artigos: A retomada da hegemonia norte-americana e, em co-autoria com Luiz Eduardo Melin, Pós-escrito 1997: a reafirmação da hegemonia norte-americana).
  • (Des)ajuste global e modernização conservadora. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1993. [ Links ]
  • "Uma reflexão sobre a natureza da inflação contemporânea" (com Luís Gonzaga Beluzzo). In: Rego, José Márcio (org.). Inflação inercial, teorias sobre inflação e o Plano Cruzado. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.