Maria da Glória Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Maria da Glória Carvalho é uma miss brasileira que venceu o concurso de Miss Beleza Internacional 1968.[1] Nasceu em 15 de Agosto de 1950, dia de Nossa Senhora da Glória.

Miss Guanabara[editar | editar código-fonte]

A bela carioca venceu o concurso em Junho de 1968, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro. Ela derrotou vinte e sete jovens, representando o antigo Clube Monte Líbano. Com a vitória, veio a chance de representar o estado no famoso concurso Miss Brasil.

Miss Brasil[editar | editar código-fonte]

Maria da Glória, mesmo contra o gosto dos fotógrafos locais, foi terceira colocada no Miss Brasil 1968, no qual representou a Guanabara e foi escolhida para representar o país no Miss Internacional, realizado pela primeira vez em Tóquio, no Japão.

Miss Internacional[editar | editar código-fonte]

Em Tóquio, onde seria realizado o concurso, chegou como uma das favoritas ao título. Seus conhecimentos de língua japonesa contribuíram para sua vitória no concurso[2] , depois da soma das notas dos jurados, que favoreceu Glória com uma diferença de 12 votos contra a candidata sueca, que ficou em segundo.

Um fato curioso foi que Maria da Glória venceu o Miss Internacional no mesmo ano em que Martha Vasconcellos foi eleita Miss Universo, um fato inédito para o Brasil até então.

Pós-reinado[editar | editar código-fonte]

Com o primeiro lugar, Maria da Glória Carvalho recebeu 2 milhões de yens e uma coroa de pérolas, brilhantes e platina da Mikymoto. Ganhou muita fama e popularidade no Japão, onde trabalhou quatro anos como modelo e apresentadora de televisão, até que decidiu voltar definitivamente para o Brasil.

Ela foi casada com o empresário Tião Maia e depois com o publicitário Aquiles Limberti de Mora, falecido em 1984, pai do seu filho Carlos Alberto.

Referências

  1. Pageant Almanac Pageant-almanac.com. Visitado em 11 de abril de 2008.
  2. Helped her win over the crowd and judges Translate.google.com.
Precedido por
Virgínia Barbosa de Souza
Miss Brasil Internacional
1968
Sucedido por
Maria Lúcia Alexandrino dos Santos
Precedido por
Mirta Massa
Miss Internacional
1968
Sucedido por
Valerie Holmes
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.