Maria da Sicília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Maria da Sicília foi Duquesa de Atenas. Esteve à frente dos destinos do ducado de 1377 até 1388. Seguiu-se-lhe Nério I Acciajuoli. Dividiu o governo do condado a partir de 1381 com Pedro IV de Aragão.

Maria de Sicilia ( 2 de julho de 1370 - 25 de maio de 1401), rainha da Sicília, Foi filha e herdeira de Frederico III da Sicília. Ao morrer seu pai quando ela era ainda muito jovem, o governo efetivo caiu em uma das famíilias de barões que atuaram como "vicários".

Em 1390, Maria viajou à Península Ibérica para casar-se com Martim o Jovem, sobrinho do rei João I de Aragão. Em 1392, os reis Maria e Martim regressaram à Sicília com uma força militar. Juntos conseguiram vencer a oposição dos barões, reinando ambos conjuntamente até a morte de Maria em 1402. Após a morte, Martim o Jovem rechaçou o Tratado de 1327, firmado pelo último rei Federico III, e governou a Sicília solitariamente.

Precedido por:

Frederico III

Rainha da Sicília
(1377-1401)
Sucedido por:
Martim I
Precedido por:

Frederico III

Duquesa de Atenas
(1377-1381)
Sucedido por:
Pedro o Cerimonioso

Ver também[editar | editar código-fonte]