Maria de Hesse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Vitória
Princesa de Hesse
Nome completo
Maria Vitória Frederica Leopoldina de Hesse
Casa Hesse
Pai Luís IV de Hesse
Mãe Alice do Reino Unido
Nascimento 24 de Maio de 1874
Hesse-Darmstadt, Império Alemão
Morte 16 de Novembro de 1878 (4 anos)
Hesse-Darmstadt, Império Alemão
Religião Luterana

Maria Vitória Frederica Leopoldina de Hesse (Hesse-Darmstadt, 24 de maio de 1874 – Hesse-Darmstadt, 16 de novembro de 1878) foi a filha mais nova nascida do Grão-Duque Luís IV de Hesse e do Reno e da sua esposa, a princesa Alice do Reino Unido, segunda filha da rainha Vitória.

Morreu de difteria com quatro anos de idade e foi enterrada junto à mãe, que morreu poucas semanas depois da mesma doença. Ela e sua avó Vitória partilhavam da mesma data de aniversário.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascimento e família[editar | editar código-fonte]

Maria tinha seis irmãos mais velhos, Vitória, Isabel, Irene, Ernesto, Frederico (que morreu um ano antes de ela nascer devido a um ataque de hemofilia) e Alice.

Era conhecida por May entre a família. A sua irmã Alice, dois anos mais velha, era a sua companheira constante. As duas meninas eram vestidas de forma semelhante e partilhavam o quarto. Segundo os relatos da época, Maria era a filha preferida da sua mãe.

Maria era descrita como uma menina bonita,com longos cabelos negros e tendo lindos olhos azul-esverdeados. Sua sobrinha Maria Nikolaevna era muito parecida consigo, chegando ao ponto da rainha Vitoria chorar ao vela pela primeira vez, pensando que era a sua pequena May. A rainha Vitoria escreveu em seu diario que sua neta mais jovem teria se tornado mais bela do que sua irmã. Ela, que foi considerada a mais bela das filhas da princesa Alice, se tivesse vivido mais tempo.

Doença e Morte[editar | editar código-fonte]

A tragédia atingiu a família em 1878. No dia 5 de novembro toda a família estava reunida na sala quando a irmã mais velha, Vitória, começou a sentir a garganta irritada. Vitória contou o que sentia à mãe e ela pensou que a filha estava a sofrer de papeira dizendo que seria “cómico” se todos a apanhassem. Nessa noite ela sentiu-se suficientemente bem para ler “Alice No País Das Maravilhas” aos seus irmãos mais novos enquanto a sua mãe se sentava numa cadeira próxima a conversar com a sua amiga Katie Macbean que estava a substituir uma dama-de-companhia. Maria foi para o colo da mãe e implorou por mais uma fatia de bolo. As irmãs pediram a Miss Macbean para tocar piano para que pudessem dançar e foram dormir bem-dispostas.

Na manhã seguinte, Vitória foi diagnosticada com difteria e às três da manhã do dia 12 de novembro o mesmo aconteceu a Alice de 6 anos. A Princesa Alice ordenou que fosse levado um inalador de calor para o quarto da sua segunda filha mais nova (que estava gravemente doente) para impedir que ela sufocasse até à morte. Algumas horas mais tarde Maria de 4 anos, muito próxima da sua irmã, fugiu para o seu quarto, subiu para a cama dela e deu-lhe um beijo. Nessa tarde começou a sofrer os primeiros sintomas da doença com febre alta e manchas brancas na parte de trás da garganta. No dia seguinte foi a vez da sua irmã Irene ficar doente e no dia 14 de Novembro a doença foi diagnosticada ao seu irmão Ernesto e ao seu pai Luís. Alice e os médicos desdobraram-se em esforços para tratar de toda a família.

Na manhã do dia 16 de novembro, Maria sufocou até à morte devido à membrana que lhe cobria a garganta. Alice sentou-se junto do corpo e beijou-lhe o rosto e as mãos tentando encontrar uma forma de dar a notícia ao seu marido doente. Depois observou o corpo da sua filha mais nova ser levado dentro de um caixão para o mausoléu da família.

Durante várias semanas Alice escondeu a morte de Maria dos seus irmãos que perguntavam frequentemente por ela e tentavam enviar-lhe brinquedos. A notícia foi apenas transmitida no inicio de Dezembro com grande pesar principalmente por parte de Alice e de Ernesto, com 10 anos na altura, que eram os mais próximos da irmã mais nova. Ernesto recusou-se a acreditar e teve um ataque de choro que foi acalmado pela sua mãe que o abraçou e beijou, apesar de saber do risco de infecção.

No dia 7 de dezembro Alice reconheceu os primeiros sintomas da doença e acabaria também por morrer uma semana mais tarde. A Princesa foi enterrada junto da sua filha mais nova e foi construída uma estátua na sua sepultura onde Alice está a segurar a pequena Maria nos braços.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]