Maria de Schwarzburg-Rudolstadt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria de Mecklemburgo-Schwerin
Grã-duquesa de Mecklemburgo-Schwerin
Princess Marie of Schwarzburg-Rudolstadt.jpg
Governo
Consorte Frederico Francisco II de Mecklemburgo-Schwerin
Vida
Nascimento 29 de Janeiro de 1850
Raben Steinfeld, Mecklemburgo-Schwerin
Morte 22 de abril de 1922 (72 anos)
Haia, Holanda
Filhos Isabel de Mecklemburgo-Schwerin
Frederico Guilherme de Mecklemburgo-Schwerin
Adolfo Frederico de Mecklemburgo-Schwerin
Henrique de Mecklemburgo-Schwerin
Pai Adolfo de Schwarzburg-Rudolstadt
Mãe Matilde de Schonburg-Waldenburg

Maria de Schwarzburg-Rudolstadt (29 de janeiro de 1850 - 22 de abril de 1922) foi a consorte e terceira esposa do grão-duque Frederico Francisco II de Mecklemburgo-Schwerin. Era a mãe do príncipe Henrique, consorte da rainha Guilhermina dos Países Baixos e pai da rainha Juliana.

Origens[editar | editar código-fonte]

A princesa Maria de Schwarzburg-Rudolstadt era a filha mais velha do príncipe Adolfo de Schwarzburg-Rudolstadt e da sua esposa, a princesa Matilde de Schonburg-Waldenburg.[1] O seu bisavô paterno era o conde Frederico V de Hesse-Homburg.

A sua família pertencia ao principado de Schwarzburg-Rudolstadt.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de Julho de 1868, Maria casou-se com o grão-duque Frederico Francisco II de Mecklemburgo-Schwerin, filho do grão-duque Paulo Frederico I de Mecklemburgo-Schwerin.[1] Antes, Francisco já tinha sido casado duas vezes, a primeiro em 1849 com a princesa Augusta de Reuss-Köstritz que morreu em 1862. O seu segundo casamento aconteceu dois anos depois com a princesa Ana de Hesse-Darmstadt, mas ela também morreu menos de um ano depois. Na altura do casamento Frederico tinha 45 anos e Maria 18. Juntos tiveram quatro filhos:

Morte[editar | editar código-fonte]

Maria morreu em 1922 em Haia quando estava na cidade para comemorar o 46.º aniversário do seu filho Henrique. A carruagem funerária real levou o corpo desde o Palácio de Noordeinde até à estação de comboio. Depois o corpo foi levado para a Alemanha onde foi enterrado.

Referências

  1. a b C. Arnold McNaughton, The Book of Kings