Mariangelo Accorso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mariangelo Accorso
Nascimento 1489
L'Aquila
Morte 4 de agosto de 1546 (57 anos) 4 de agosto de 1546
L'Aquila
Nacionalidade Itália italiano
Ocupação Escritor, crítico

Mariangelo Accorso (em latim: Accursio ou Accursius; L'Aquila, 1489 – L'Aquila, 4 de agosto de 1546) foi um escritor e crítico italiano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Accorso nasceu em L'Aquila (Abruzos), então parte do Reino de Nápoles.

Foi muito admirado por Carlos V, em cuja corte residiu por trinta e três anos, e por quem foi encarregado de várias missões no exterior. Além do seu perfeito conhecimento do grego e do latim, possuía uma íntima familiaridade com várias línguas modernas. Gostava de descobrir e colecionar antigos manuscritos, no que suas viagens ao exterior proporcionavam-lhe oportunidades especiais para aumentar o seu acervo. Seu trabalho intitulado Diatribae in Ausonium, Solinum et Ovidium (1524) é um monumento de erudição e capacidade crítica. Foi o primeiro editor das Cartas de Cassiodoro, em seu Tratado da Alma (1538); e sua edição de Amiano Marcelino (1533), contém cinco livros a mais do que qualquer outra anterior. O uso excessivo de termos antiquados, utilizados por alguns dos escritores latinos da época, é humoristicamente ridicularizado por ele, em um diálogo no qual um osco, um volsco e um romano são apresentados como interlocutores (1531). Accorso foi acusado de plágio em suas notas sobre Ausonius, uma acusação que ele mais solene e energicamente repudiou.

Referências

Wikisource  "Accorso (Accursius), Marianoelo". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press.