Marie Fredriksson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marie Fredriksson
Marie Fredriksson durante um concerto no festival Bospop na Holanda em 2011
Informação geral
Nome completo Gun-Marie Fredriksson
Nascimento 30 de Maio de 1958 (56 anos)
Local de nascimento Össjö, Escânia
 Suécia
Gênero(s) Pop,dance, soft rock, blues-rock
Instrumento(s) voz, piano, guitarra
Período em atividade 1986 - presente
Afiliação(ões) Roxette
Página oficial www.mariefredriksson.se

Marie Fredriksson (Össjö, 30 de Maio de 1958) é uma cantora e compositora sueca, vocalista da dupla Roxette ao lado de Per Gessle. Dona de uma bem sucedida carreira solo na Suécia, Marie alcançou ao lado de Per Gessle sucesso internacional a partir do começo dos anos 90, com seis canções no Billboard Hot 100.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Marie Fredriksson nasceu em Össjö, Suécia, caçula de uma família de cinco filhos. Após seu nascimento, sua família mudou-se para a pequena cidade sueca de Östra Ljungby. Como sua família era pobre (ambos os pais eram obrigados a trabalhar) Marie costumava passar longos períodos sozinha. Foi durante este tempo a sós que ela desenvolveu um interesse em cantar, interpretando em pé na frente de um espelho. Juntamente com seus irmãos e vizinhos, Marie começou a tocar alguns instrumentos musicais e cantar. Sua mãe frequentemente lhe pedia que cantasse diante de seus amigos, que ficaram impressionados com o modo como a menina cantava, similar à performance de Olivia Newton-John.

O interesse pela música tornou-se mais forte na adolescência, quando ela descobriu artistas como Joni Mitchell, The Beatles e Deep Purple. Aos 17 anos, Marie matriculou-se em uma escola de música e passou a se apresentar em um teatro local. No entanto, ela achou a experiência incrivelmente chata, preferindo a emoção de uma audiência. Marie então se envolveu no teatro, e depois de se mudar para a cidade de Halmstad, ela se viu envolvida na cena da música local. Com a banda Strul, na qual cantava ao lado de seu namorado Stefans, eles tocaram em festivais locais e até gravaram um single. Após o fim do Strul, Marie e um novo namorado, Martin Sternhuvsvud, formaram a banda MaMas Barn, chegando a gravar um álbum. Per Gessle, vocalista do famoso grupo sueco Gyllene Tider, dividiu um estúdio com Marie e ambos tornaram-se amigos. Gessle acreditava que Marie era muito talentosa para se "esconder" atrás de teclados em bandas locais, e por isso ele conseguiu uma audição para Marie com o seu produtor, Lasse Lindbom, figura famosa na Suécia. Impressionado com a voz de Marie, Lasse ofereceu-lhe um contrato.

Carreira solo: Het vind e Den Vågen sjunde[editar | editar código-fonte]

Lasse Lindbom pediu para que Marie gravasse um dueto com ele "Så nära nu", que a levou a se juntar ao grupo "The Lasse Lindbom Band". Per Gessle começou a incentivá-la para iniciar uma carreira solo e, quando Fredriksson finalmente aceitou, gravou seu primeiro álbum solo, Het Vind, produzido por Lindbom e lançado em 20 de setembro de 1984.

"Ännu doftar kärlek", primeiro single do álbum, foi um grande hit de rádio. O álbum recebeu críticas mistas. Um jornal escreveu: "É este o melhor que você pode fazer Marie?". A cantora saiu em turnê com a banda de Lasse Lindbom, pois ela não tinha auto-confiança suficiente para iniciar sua própria turnê. Lindbom, Marie, Gessle e Mats "MP" Persson começaram uma nova banda, chamada "Spännande Ostar", que excursionou por um curto período de tempo em alguns clubes. Em 1985, Marie e Lindbom passaram uma temporada nas Ilhas Canárias, onde escreveram canções para o segundo álbum solo de Marie, gravado na Suécia.

O álbum foi lançado em 1986, sob o nome Den Sjunde Vågen. "Den bästa dagen" e "Silver i din hand" foram lançadas como singles, e o álbum foi um grande sucesso, dando a Marie o incentivo que faltava para iniciar sua turnê solo.

O início do Roxette e Efter stormen[editar | editar código-fonte]

Marie Fredriksson em 1987 na turnê "Rock Runt Riket".

Gessle e Marie discutiam a possibilidade de trabalhar juntos há anos. Fredriksson havia feito backing vocal em algumas canções da banda Gyllene Tider e em outros projetos dessa banda, incluindo uma tentativa do Gyllene Tider de lançar um álbum em inglês nos Estados Unidos. À época da formação do Roxette, Marie via sua carreira solo em ascensão na Suécia, enquanto Gessle - um ex-membro de uma boy band cuja carreira solo não estava indo bem - tinha pouca receptividade em seus trabalhos solo. Amigos e pessoas da indústria eram céticos em relação à ideia de Marie colaborando com Gessle. A ideia de ambos era formar uma dupla, cantando em inglês e tentando obter algum sucesso na Europa.

Em 1986, ela decidiu se aliar à Gessle sob o nome Roxette - mesmo nome que a banda Gyllene Tider tinha usado quando tentaram lançar seu álbum The Heartland Café nos Estados Unidos. Seu primeiro single "Neverending Love" foi um sucesso na Suécia, e o álbum de estreia do Roxette, Pearls of Passion, além de dar um alento à carreira de Per, consolidou Marie como uma artista de renome.

Em 1987, o recém-formado Roxette apresentou-se na turnê "Rock Runt Riket" em conjunto com ao Eva Dahlgren e Ratata. Nesse mesmo ano, Marie gravou seu terceiro álbum solo Efter Stormen. Mais uma vez, ela trabalhou junto com Lasse Lindbom, tanto como produtor quanto como compositor. O lançamento deste álbum foi seguido por outra turnê solo.

Em fevereiro de 1989, ela também gravou uma canção especialmente para uma série de televisão sueca. Chamada "Sparvöga", essa canção tornou-se um de seus maiores sucessos. Marie já era, então, uma das cantoras mais conhecidas da Suécia.

Sucesso internacional[editar | editar código-fonte]

Em 1989, a dupla voltou ao estúdio e gravou um segundo álbum, Look Sharp! que mais uma vez foi um grande sucesso na Suécia. No entanto, a dupla inesperadamente conseguiu chegar ao topo do Billboard Hot 100, principal ranking musical dos Estados Unidos, com o single "The Look", em abril de 1989. Quase de imediato, Gessle e Marie tornaram-se grandes artistas internacionais, que de repente viram-se viajando por todo o mundo, vendendo milhões de discos, e recebendo prêmios. Look Sharp! foi um grande sucesso, com mais duas canções além de "The Look" no top 10 do Billboard Hot 100 ("Listen to Your Heart" e "Dangerous").

Em 1990, Gessle foi abordado pela produtora Touchstone Pictures para escrever uma canção para o filme Uma Linda Mulher. Como não teve tempo para criar uma nova canção, ele re-editou uma antiga canção de Natal, "It Must Have Been Love", que foi incluída no filme, chegou ao topo das paradas musicais norte-americanas por 2 semanas em junho de 1990 e se tornou uma das canções mais conhecidas da dupla.

Em 1991, um terceiro álbum, Joyride, foi lançado, alcançando, assim como Look Sharp!, o certificado de álbum de platina pela RIAA. O lançamento do álbum foi seguido pela turnê "Join the Joyride World Tour 1991-92", com shows realizados em mais de 100 cidades. No entanto, após a turnê, nenhuma outra música lançada pelo Roxette conseguiu chegar ao top 10 do Billboard Hot 100 novamente.

Den ständiga resan[editar | editar código-fonte]

Em 1992, Marie retornou à sua carreira solo com Den ständiga resan. O álbum é considerado seu auto-retrato musical e foi escrito como um diário, contendo canções muito pessoais sobre sua vida, sentimentos e relacionamentos. "Isso reflete um período de quatro a cinco anos de minha vida", disse Marie sobre o álbum. "Foi uma crise, com efeitos colaterais infernais. Mas estou feliz com ele." A canção "Ett Enda Liv" foi escrita sobre um amigo que cometeu suicídio.

Durante a turnê mundial de Joyride, Marie conheceu um amigo de alguns membros da banda, Mikael Bolyos, na Austrália. Eles iniciaram um relacionamento dentro de 3 dias e Fredriksson ficou grávida em um ano. Durante a gravidez, ela realizou uma pequena turnê pela Suécia para divulgar o álbum Den ständiga resan, e também apresentou-se com o Roxette para a série MTV Unplugged. Ela deu à luz sua filha Inez Josefin (conhecida como Josefin) em 29 de abril de 1993.

I en tid som vår[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Marie gravou um álbum em espanhol com o Roxette, Baladas En Español, e um novo ábum solo, I en tid som vår. Seu segundo filho, Oscar Mikael, nasceu em 26 de Novembro de 1996.

Äntligen - Marie Fredrikssons bästa 1984–2000[editar | editar código-fonte]

Em 1998 e 1999, Marie trabalhou em conjunto com Per Gessle no novo álbum do Roxette, Have A Nice Day. Em 2000, Marie lançou um álbum de grandes sucessos sob o título Äntligen - Marie bästa Fredrikssons 1984-2000, que foi seguido por uma turnê de verão, mais tarde lançado como CD/DVD ao vivo chamado Äntligen - Sommarturné. O álbum vendeu mais de 350.000 e dois singles foram lançados do álbum: "Äntligen" e "Det som var nu".

Nesse mesmo ano, Marie relançou todos os seus álbuns em um box set chamado Kärlekens Guld. Os álbuns foram remasterizados e traziam algumas canções inéditas, bem como vinham em uma nova embalagem.

Câncer[editar | editar código-fonte]

Em 11 de setembro de 2002, Marie desmaiou no banheiro de sua casa, batendo a cabeça e sofrendo uma concussão. Exames indicaram que ela tinha um tumor cerebral na parte de trás de sua cabeça.[1] [2] Depois de esperar várias semanas até se recuperar da concussão, ela passou por uma cirurgia bem-sucedida para remover o tumor, que era maligno. Em seguida, ela resistiu por meses de quimioterapia e radioterapia. Marie sofreu alguns danos permanentes no cérebro, perdeu a capacidade de ler e contar[3] , a visão no olho direito e teve os movimentos do lado direito de seu corpo ligeiramente afetados.

Em janeiro de 2003, o Roxette recebeu uma premiação do rei da Suécia, Carl Gustaf XVI[4] . A cerimônia foi o primeiro evento em que Fredriksson aparecereu depois de sua operação. Esta foi uma das poucas aparições públicas realizadas durante a sua doença. Ela retirou-se da vida pública por quase dois anos.

Em 21 de outubro de 2005, Marie declarou: "Foram três anos muito difíceis", mas em uma entrevista com Jens Peterson publicado no tablóide Aftonbladet, Fredriksson diz que ganhou sua luta contra o câncer. "Estou saudável", diz ela. "Não estou mais em tratamento".[5]

The Change[editar | editar código-fonte]

Cerca de 6 meses após o diagnóstico de seu câncer, Marie e seu marido começaram a trabalhar em The Change, primeiro álbum solo da cantora em inglês.

O álbum foi bem recebido pelo público sueco e entrou nas paradas musicais suecas em primeiro lugar. O primeiro single, "2nd Chance", entrou na parada de singles suecos no número 1. Logo após seu lançamento, The Change alcançou status de ouro (20.000 cópias vendidas) na Suécia, de acordo com a IFPI. [6]

Juntamente com o lançamento de The Change, Marie lançou uma nova editora, juntamente com seu marido Mickael Bolyos. A MaryJane Music foi criada "como uma casa para os álbuns solo de Marie", afirma o site da gravadora, "mas como a colaboração musical entre Marie e Mikael continua e se expande, não se surpreenda se você encontrar outros projetos interessantes com alguns de seus amigos músicos lançados com esse selo".

Min bäste vän[editar | editar código-fonte]

Em 2006, Marie lançou um novo álbum de covers de canções suecas chamado Min vän bäste.

Durante sua doença, Marie redescobriu seu amor pelo desenho. Embora não pudesse ler ou escrever, ela ainda podia desenhar e ela encontrou uma verdadeira paixão nisso. Marie exibiu uma coleção de seus desenhos em uma galeria, numa mostra intitulada "Após a mudança". O vernissage na galeria Doktor Glas, em Kungsträdgården, destacava 24 dos seus desenhos a carvão e ocorreu de 21 a 30 de Outubro de 2006. Mais tarde, ela lançou o livro "Após a Mudança", apresentando cópias de todos os 24 desenhos.

De 2006 ao presente[editar | editar código-fonte]

Marie Fredriksson continua seu trabalho tanto como musicista quanto como desenhista. No entanto, ela ainda não está plenamente recuperada dos danos causados em seu cérebro pelo câncer, e não se sabe se ela voltará à estressante rotina de gravações, entrevistas e turnês. Exceto por algumas aparições ocasionais, Marie atualmente dedica seus dias ao desenho e a fazer companhia ao seu marido, Mikael Bolyos, e seus dois filhos, Inez Josefin e Oscar Mikael.

Em 23 de Outubro de 2009, Marie se apresentou ao lado de Per Gessle durante a turnê solo do mesmo, o que foi a primeira apresentação ao vivo do Roxette em anos. Empolgados pela reunião dos dois em um palco novamente os dois decidiram embarcar na Night of the Proms 2009, uma Turnê que a Nokia promove na Europa onde artistas consagrados se apresentam com a orquestra NOTP. O Roxette já havia sido convidado em 2002, mas a participação foi cancelada devido à doença de Marie.

Em 2010 o Roxette fez uma pequena turnê de verão na Europa e finalmente no início de 2011 lançaram Charm School e embarcaram numa extremamente bem sucedida turnê mundial que só foi finalizada em 2012. Durante a turnê lançaram Traveling, um álbum com músicas gravadas durantes as viagens, em estúdios, palcos, passagens de som, entre outros.

Para o início de 2013 estão previstos os lançamentos do DVD ao vivo e segundo entrevista concedida por Per Gessle, Marie está trabalhando em um disco solo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Het Vind (1984)
  • Den Sjunde Vågen (1985)
  • Efter Stormen (1987)
  • Den Ständiga Resan (1992)
  • I En Tid Som Vår (1996)
  • Äntligen - Marie Fredrikssons Bästa 1984-2000 (2000)
  • The Change (2004)
  • Min Bäste Vän (2006)
  • Tid For Tystnad (2007)
  • A family affair (2007)
  • Tid för tystnad - Marie Fredrikssons ballader (2007)

Referências

  1. Marie har en hjärntumör Aftonbladet. Visitado em 16 de abril de 2012.
  2. Cancern slog ut synen Aftonbladet. Visitado em 16 de abril de 2012.
  3. "Jag har haft en jäkla tur som klarat det" Sydsvenskan. Visitado em 16 de abril de 2012.
  4. Roxette get king's honour BBC News. Visitado em 16 de abril de 2012.
  5. Roxette fick pris av kungen Aftonbladet. Visitado em 16 de abril de 2012.
  6. ÅR 2004 IFPI. Visitado em 16 de abril de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Marie Fredriksson