Marine Le Pen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marine Le Pen
Marine Le Pen (2014)
2° Presidente da Frente Nacional
Mandato 16 de janeiro de 2011
até presente
Antecessor(a) Jean-Marie Le Pen
Eurodeputada União Europeia
Mandato 14 de julho de 2009
até presente
Mandato 20 de julho de 2004
até 13 de julho de 2009
Conselheira regional de Nord-Pas-de-Calais
Mandato 26 de março de 2010
até presente
Conselheira regional de Île-de-France
Mandato 28 de março de 2004
até 21 de março de 2010
Conselheira regional de Nord-Pas-de-Calais
Mandato 15 de março de 1998
até 28 de março de 2004
Vida
Nome completo Marion Anne Perrine Le Pen
Nascimento 5 de Agosto de 1968 (45 anos)
Neuilly-sur-Seine (92), França
Nacionalidade  França
Progenitores Mãe: Pierrette Lalanne
Pai: Jean-Marie Le Pen
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Paris
Partido Frente Nacional
Profissão Advogada
Website http://www.marinelepen2012.fr/

Marine Le Pen (Neuilly-sur-Seine, Hauts-de-Seine, 5 de agosto de 1968) é uma advogada e política da França.

Deputada do Parlamento Europeu desde 2004, foi eleita presidente da Frente Nacional em 16 de janeiro de 2011, em substituição a seu pai, Jean-Marie Le Pen. É também conselheira regional de Nord-Pas-de-Calais desde março de 2010 e conselheira municipal de Hénin-Beaumont desde março de 2008.

É pré-candidata a presidência da França nas eleições marcadas para 2012. Em 7 de março de 2011, o jornal Le Figaro deu Marine como franca favorita nas pesquisas eleitorais para a eleição de 2012, com 24% dos votos, à frente do presidente Nicolas Sarkozy e do pré-candidato do PSF, já tendo garantido sua passagem para o segundo turno das eleições presidenciais.[1]

No primeiro turno das eleições presidenciais francesas de 2012 ficou em 3º lugar, atingindo 18% dos votos, imediatamente atrás de Sarkozy e, dois lugares abaixo de François Hollande, candidato socialista e, vencedor do primeiro turno. Foi o melhor resultado da Frente Nacional em eleições na França. [2]

Nos últimos meses vem impondo-se na vida política, obtendo recordes de audiência na televisão, com um talento oratório que faz recordar o de seu pai.[3] . Seu pai, em 2002, conseguiu chegar ao segundo turno junto com Jacques Chirac.

Com esta finalidade, Marine Le Pen adotou temas ligados ao sucesso de seu pai: oposição à imigração, retorno da pena de morte, denúncia da "casta política" e dos "eurocratas" de Bruxelas.

Assim como o pai, gosta das frases trabalhadas e de provocar. Recentemente, comparou a ocupação nazista às rezas dos muçulmanos nas ruas, por falta de locais de oração.

Seus discursos contra os muçulmanos são semelhantes a posições defendidas pela direita populista e a extrema-direita em outros países europeus, como Suíça e Holanda.

Marine tem tomado medidas para moderar a imagem da Frente Nacional e fazer esquecer os desvios antissemitas ou negacionistas de seu pai, [4] que qualificou em 1987 as câmaras de gás de "um detalhe da história da Segunda Guerra Mundial", e livrar o partido das acusações de que membros da FN tem simpatia pelo Nazismo. Em Abril de 2011, Marine expulsou da FN o legislador regional Alexandre Gabriac, que em uma foto divulgada pela revista Le Nouvel Observateur, aparecia fazendo a saudação nazista em frente a uma bandeira nazista.[5]

Esta dirigente política, duas vezes divorciada e mãe de três filhos, também quer suavizar as posições de seu partido sobre questões sociais, declarando-se favorável ao aborto.[6]

Em relação à economia, esta eurodeputada, representante do norte industrial devastado da França, tem uma linguagem mais social que a do pai e questiona os "dogmas" da "globalização" e do "livre comércio" - uma posição que pode causar frisson, num contexto de crise.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Autobiografia[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Marine Le Pen
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.