Marino de Tiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marino, à direita, e Ptolomeu

Marino de Tiro ou Marinus de Tiro (em grego: Μαρίνος ο Τύριος) (ca. 70130) foi um geógrafo, cartógrafo e matemático grego, fundador da geografia matemática.[1]

Biografia e contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Originalmente da província romana da Síria,[2] Considera-se que Marinus tenha vivido tanto na cidade de Tiro quanto em Rodes. Ele e seu trabalho eram precursores ao geógrafo grego Ptolomeu (90-168 d.C.), que utilizou o trabalho de Marinus como uma referência para sua obra, Geografia, e reconheceu seu grande débito com Marinus.[3] Depois, Marinus também é citado pelo geógrafo árabe Al-Masudi. Além disto há pouco documentado sobre sua vida.

Contribuição à Geografia[editar | editar código-fonte]

Ele apresentou melhorias à construção de mapas e desenvolveu um sistema de tabelas náuticas. Seu maior legado é a determinação de uma latitude e longitude a cada local: utilizando um "Meridiano das Ilhas Afortunadas" como meridiano zero e o paralelo de Rodes para medir a latitude. Os trabalhos utilizados por Ptolomeu incluem "Geografia" e também "Tabelas geográficas corrigidas", datadas normalmente como de 114 d.C., apesar dele ter sido quase um contemporâneo de Ptolomeu. Marinus estimou um comprimento de 90,000 stadias para o paralelo de Rodes, correspondendo à circunferência da Terra de 33,300 quilômetros, cerca de 17% menos do que o valor real (Ambos os números dependem do tamanho dado à stadia, uma antiga e obsoleta unidade de medida grega).

Marinus tambem estudou cuidadosamente os trabalhos de seus predecessores e os diários de viajantes. Seus mapas foram os primeiros no Império Romano a mostrar a China. Em meados de 120 d.C. Marinus escreveu que o mundo habitável estava restrito ao oeste pelas Ilhas Afortunadas. O texto de sua dissertação geográfica, contudo, está perdido. Ele também inventou a projeção cilíndrica equidistante, que é utilizada até os dias atuais na criação de mapas. Algumas das opiniões de Marinus são creditadas a Ptolomeu. Marinus tinha a opinião de que Oceano era separado em duas partes, uma ocidental e outra oriental, pelos continentes (Europa, Ásia e África, até então). Ele acreditava que o mundo inabitado esticava-se em sua latitude de Tile (hoje Shetland) até Agisymba (o Trópico de Capricórnio) e em sua longitude das Ilhas Afortunadas até Shera, (hoje China). Marinus também cunhou o termo "antártico" para referir-se à região que circunda o polo sul, em oposição a "ártico".

Referências

  1. Hubert Cancik and Helmuth Schneider (ed.): "Marinus", Brill's New Pauly, Brill, 2010: "M. of Tyre (Μαρῖνος; Marînos), Greek geographer, 2nd cent. AD"
  2. George Sarton (1936). "The Unity and Diversity of the Mediterranean World", Osiris 2, pág. 406-463 [430].
  3. Harley; David Woodward. The History of cartography. [S.l.: s.n.]. 178– p. ISBN 9780226316338

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]