Marisol (telenovela brasileira)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marisol
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Inés Rodena
(obra original)
Henrique Zambelli
(adaptação)
Ecila Pedroso
(supervisão)
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Antonino Seabra
Jacques Lagôa
Henrique Martins
David Grimberg
Elenco Bárbara Paz
Carlos Casagrande
Glauce Graieb
Carla Fioroni
Rodrigo Lombardi
Alexandre Frota
Gabriela Alves
(ver mais)
Tema de abertura "Eu Te Amo Você" - Patrícia Coelho[1]
Tema de
encerramento
"Eu Te Amo Você" - Patrícia Coelho
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 9 de abril de 20025 de novembro de 2002
N.º de episódios 181 (original)
64 (1ª reprise)
118 (2ª reprise)
Cronologia
Último
Último
Amor e Ódio
Pequena Travessa
Próximo
Próximo
Programas relacionados Marcha nupcial
Marisol

Marisol foi uma telenovela brasileira produzida pelo Sistema Brasileiro de Televisão, e exibida entre 9 de abril e 5 de novembro de 2002, totalizando 181 capítulos, substituindo Amor e Ódio, e sendo substituída por Pequena Travessa, às 20h30.

Escrita por Henrique Zambeli , com supervisão de texto de Ecila Pedroso e direção de Antonino Seabra, Jacques Lagôa, Henrique Martins e David Grimberg,[1] é inspirada na telenovela mexicana Marisol de 1996 escrita por Inés Rodena que, por sua vez, havia sido inspirada na telenovela mexicana Marcha nupcial, de 1977.

Bárbara Paz interpreta a personagem principal Marisol, uma moça que vende flores de papel nas ruas, mas desconhece que é neta de um poderoso empresário, dono de uma grande mineradora. Carlos Casagrande interpreta Rodrigo, o herdeiro que se apaixona por Marisol. Serafim Gonzalez, Carlo Briani, Martha Mellinger, Vanessa Vholker, Carla Fioroni , Rodrigo Lombardi, Alexandre Frota, Gabriela Alves e Glauce Graieb interpretaram os demais papéis principais da história.

Marisol foi a terceira novela da parceria entre SBT e Televisa.[2] No capítulo exibido em 26 de agosto de 2002, Marisol tornou-se a primeira telenovela brasileira a ser transmitida com o recurso closed caption - sistema de inserção de legendas ocultas desenvolvido especialmente para que as pessoas com deficiência auditiva possam acompanhar a trama.[3]

Foi reapresentada em duas ocasiões: a primeira entre 1 de janeiro a 23 de março de 2007, em 60 capítulos, substituindo a inédita Feridas de Amor e antecedendo a também inédita Mundo de Feras. Essa reprise foi extremamente editada pela emissora por alcançar baixos índices de audiência.

Foi reexibida pela segunda vez entre 5 de março e 21 de agosto de 2012 , em 118 capítulos, substituindo Fascinação e antecedendo Canavial de Paixões.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O Sistema Brasileiro de Televisão assinou um contrato de cinco anos com a Televisa em abril de 2001 que faria o SBT desembolar cerca de US$ 200 milhões em compras de textos e dublagens de novelas mexicanas.[4] Desde então, foram produzidas Pícara Sonhadora, Amor e Ódio, Marisol, Pequena Travessa, Jamais Te Esquecerei, Canavial de Paixões, Seus Olhos, Esmeralda, Os Ricos também Choram, Cristal, Maria Esperança e Amigas & Rivais.[5] Após o fim do contrato, Íris Abravanel escreveu a obra original Revelação e adaptou um texto radiofônico em Vende-se um Véu de Noiva.[6] [7] [8] Logo, Tiago Santiago entrou para a teledramaturgia da emissora e produziu Uma Rosa com Amor, cuja sucessora seria o primeiro remake mexicano desde 2007, Corações Feridos, porém um folhetim original de Santiago, Amor e Revolução, foi colocado em seu lugar e a obra de Abravanel foi lançada após seu término.[9] [10]

Produção[editar | editar código-fonte]

Bárbara Paz e Alexandre Frota foram escolhidos pela participação na primeira edição do reality show Casa dos Artistas, Frota foi convidado por Silvio Santos, "Ele (Sílvio) me perguntou que personagem eu queria fazer na novela, e optei pelo vigarista, que transita por todos os núcleos".[11] Bárbara recebeu ajuda de colegas na TV como Frota para lidar com as câmeras, "Ele tem me dado vários toques, pois tem uma vivência em televisão que eu não tenho".[11] David Grinberg, diretor-geral de teledramaturgia, não descartou a participação de outros artistas que integraram a Casa dos Artistas, "Quase todos eles fizeram testes e podem aparecer", diz, referindo-se a Núbia Óliver e Mãri Alexandre.[11]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Marisol é uma moça simples, castigada pela vida, mas de um caráter forte, sem perder a bondade e a doçura. Ela vive com sua mãe, Sofia, que está doente, em um cortiço e vende flores de papel nas ruas, que ela mesma confecciona para sobreviver. Marisol tem um trauma que a deixa angustiada: uma grande cicatriz no rosto, pois ela sofreu um acidente enquanto estava brincando em um parque. Como ela e a mãe são pobres, Marisol nunca pôde fazer a operação necessária para se livrar da cicatriz.

Ela é neta de um poderoso empresário, dono de uma grande mineradora, o Dr. Augusto Lima do Vale. Quando era jovem, Sofia se apaixonou por Rogério, que por ser pobre foi imediatamente rejeitado por Dr. Augusto, pai de Sofia. Sofia enfrentou a família e o preconceito e fugiu com Rogério. Assim que Marisol nasceu, Rogério abandonou as duas. Orgulhosa, Sofia decidiu não procurar por sua família. O casamento de Sofia e Mário foi arquitetado por Amparo, nora do Dr. Augusto. Amparo deu uma boa quantia em dinheiro a Rogério para que ele seduzisse Sofia, a tirasse de casa e do testamento do velho magnata.

À beira da morte, Sofia vive o remorso de nunca ter permitido a Marisol uma vida decente. Sofre porque a filha carrega o trauma da cicatriz. Sofia decide contar sua verdadeira origem a Marisol, que não acredita na mãe. Ela entrega o anel de família a Marisol, mas quando está prestes a revelar o nome de seu avô, Sofia falece. O anel é a chave para que a verdadeira origem de Marisol seja descoberta.

Enquanto isso, Marisol acaba conhecendo o jovem milionário Rodrigo Lima do Vale e ambos terminam por se envolverem. Rodrigo é fruto do casamento do volúvel Leonardo,o outro filho de Augusto, e da arrogante Amparo, uma mulher capaz de tudo para defender seus interesses.

Leonardo vive um casamento falido com Amparo e por isso busca refúgio nos braços de sua amante, a oportunista Zulema. Zulema também é amante de Mário, e quando junto com este descobrir o envolvimento de Rodrigo com Marisol, tentará seduzir Rodrigo para lhe roubar dos braços de Marisol. Para completar os infortúnios na vida de Marisol, o pior acontece e Sofia morre. Desamparada, Marisol torna-se alvo fácil das maldades de Mário e Zulema, porém, em seu caminho, ela acaba se cruzando com o de Augusto também e passa a trabalhar em sua mansão sem saber que ele é seu avó.

Amparo logo de cara passa a infernizar a vida de Marisol e a humilhá-la sempre que pode, e tudo se complica quando Rodrigo assume o seu namoro com ela. Diante disso, Amparo, Leonardo e a interesseira Rosana, noiva de Rodrigo, declaram guerra ao casal.

A fim de prejudicar Marisol, Amparo aproxima-se de Mário, de quem se torna amante, a contragosto de seu outro amante, Mariano, o desonesto advogado da família. Amparo e Mariano tem um grande segredo juntos: Rodrigo é seu filho e não de Leonardo. Amparo passa a investigar a vida de Marisol e termina por descobrir que ela é filha de Sofia, e uma vez que Rodrigo não é filho de Leonardo, Marisol é portanto a única herdeira da fortuna dos Lima do Vale. Para preservar sua descoberta, Amparo envenena Augusto a fim de impedi-lo de descobrir a verdade, o que, porém, Amparo não imaginava é que augusto tinha 2 anos descoberto tudo e deixado Marisol como sua principal herdeira.

Muitas coisas acontecem durante longos 18 anos, Zulema e Mario roubam o filho de Marisol e Rodrigo, e Rodrigo vai preso por dezoito anos pela morte de sua esposa Rosana, e quando sai, a filha adotiva de Marisol, junto com Amparo fará de tudo pra destruir todos os que entrarem em seu caminho. Amparo fica louca e se joga de cima de uma clínica pra doentes mentais. Vanessa tem uma filha de Leonel, um amigo seu, pra dizer que é de Rodrigo, mas abandona a menina ao nascer, depois se joga de um penhasco e morre. Marisol e Rodrigo conseguem ser feliz depois de passarem por tantas coisas ruins, até encontram seu filho, que por uma mentira de Amparo acreditam estar morto, após encontrarem o menino, Gil, conseguem ser felizes.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Bárbara Paz interpretou Marisol Lima do Vale.
Marisol Ribeiro interpretou a Alessandra.
Alexandre Frota interpretou Mario.
Jonatas Faro interpretou o Gil.
Karina Bacchi interpretou a Sabrina.
Rodrigo Lombardi interpretou Chico
Ator Personagem
Bárbara Paz Marisol Mendes Lima do Vale / Verônica Linhares[1]
Carlos Casagrande Rodrigo Lima do Vale[1]
Glauce Graieb Amparo Lima do Vale
Carla Fioroni Mimi
Rodrigo Lombardi Francisco Soares (Chico)
Alexandre Frota Mário Soares[1]
Gabriela Alves Zulema de Carvalho
Serafim Gonzalez Dr. Augusto Lima do Vale
Rosaly Papadopol Margarida Soares
Vanessa Vholker Rosana Valverde
Martha Mellinger Carmem Figueiredo
Carlo Briani Dr. Mariano Reis
Juan Alba Dr. Rubens
Roberto Arduim Leonardo Lima do Vale
Turíbio Ruiz Basílio
Marisol Ribeiro Alessandra Figueiredo
Chica Lopes Dolores
Paulo Leite Dr. Álvaro Linhares
Samantha Monteiro Malu
Nicole Puzzi Rebeca Linhares
Thiago Picchi Daniel
Francisca Queiroz Camila Linhares
Abrahão Farc Dr. Heitor
Rosana Penna Constanza
Gabriela Rabelo Branca
Míriam Lins Sofia Lima do Vale
Rodolfo de Freitas Alberto
Douglas Aguillar Filipe
Luiz Carlos Bahia Joaquim
Breno Bonin Rogério Mendes
Arlete Montenegro Débora Valverde
Sebastião Campos Adolfo Valverde
Cleide Queiroz Zalmúdia
Rosana Muniz Dorina
Márcio Mehiel Nicolas
Jacqueline Cordeiro Teresa
Flávio Cardoso Rui
Paulo Vasconcellos Zeca
Luah Galvão Teca
Dayse Pinheiro Cássia
Gérson Marcch "Pulga"
Yañes Miura '"Piolho"
Alexandre Jábali Gervásio
Magali Biff Inezita
Vera Zimmermann Sandra Queiroz
Jonathan Nogueira Eduardo (Chupa-Cabra)
Jonatas Faro Gil Soares
Adriana Ferreyr Vanessa Lima do Vale
Alexandre Barros Raul Montemar
Karina Bacchi Sabrina Montemar
Mariana Dubois Mariana
Petrônio Gontijo João Vicente
Maria Estela Andréia Marcondes
César Pezzuoli Diego Marcondes
Mayara Constantino Yole
Kadu Torres Leonel
Tereza Piffer Romilda
Eliana Rocha Romualda
Raíssa Medeiros Sofia (Toninho)
Sophia Bisilliat Vilma
Sérgio Amorim Larry
Patrícia Salvador Angélica[12]
Fânia Espinosa Gelatina
Paulo Caruso Gabriel
Chico Abreu Totó
Lucélia Machiavelli Maria Bonita
Delurdes Moraes Loreta

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora de Marisol
Trilha sonora de Vários
Lançamento 2002
Gênero(s) MPB, pop, samba
Diretor(es) Cayon Gadia

Capa: Alexandre Frota, Carlos Casagrande e Bárbara Paz

N.º Título Música Duração
1. "Eu Te Amo Você"   Patrícia Coelho  
2. "Solidão"   Sandra de Sá  
3. "Como Uma Onda"   Lulu Santos  
4. "Como Eu Quero"   Kid Abelha  
5. "Quando Gira o Mundo"   Fábio Júnior  
6. "Quando o Amor Acontece"   João Bosco  
7. "Sob Medida"   Tania Alves  
8. "Dom de Iludir"   Maria Creuza  
9. "Notícias"   Marina Lima  
10. "O Amor Não Sabe Esperar"   Vódita  
11. "Simples Desejo"   Luciana Mello  
12. "Com Você Tudo Fica Melhor"   Miúdo  
13. "Do Tipo que Arrasa"   Da Melhor Qualidade  
14. "Tema de Amor (Instrumental)"   João Carlos Martins  

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

A estreia de Marisol, em 9 de abril de 2002, rendeu média de 16 pontos e pico de 20 contra 45 da Globo, com Jornal Nacional e O Clone, das 20h35 às 21h22. Cada ponto no Ibope equivale a 47 mil domicílios com TV ligada em cada canal na Grande São Paulo.[13] No geral, oscilava na audiência entre 10 e 15 pontos, enfrentando o auge do sucesso de O Clone, que em sua reta final tinha médias superiores a 50 pontos.[14] Em julho de 2002, o Jornal Nacional entrevistou os candidatos a presidência nas Eleições presidenciais no Brasil em 2002, a Folha de São Paulo monitorou o Ibope no período, o JN teve 37 pontos contra 19 da novela do SBT, mostrando que Marisol teve melhor desempenho concorrendo com a novela das nove da época e sucessora de O Clone, Esperança, quando alcançou 22 pontos contra 34 da trama global[14] E chegando a ter picos de 25 pontos, contra Esperança. Mas a média final foi baixa, também prejudicada pelo horário eleitoral gratuito que dividia os capítulos no meio.[3]

Avaliação em retrospecto[editar | editar código-fonte]

Após o primeiro capítulo, Carla Nascimento da Folha Online disse "As primeiras cenas mostram Marisol vendendo flores no Pátio do Colégio, no centro de São Paulo. Mas a ambientação, com mães levando seus bebês para passear, vendedor de balões e uma calmaria que passa longe da agitação que já existia no local havia quase 20 anos, mostram o que o público pode esperar em seguida: mais erros. Escrita pela cubana Inés Rodena, autora de "Marimar", "Maria do Bairro" e "A Usurpadora", todas já exibidas pelo SBT, "Marisol" é uma história produzida originalmente para uma emissora mexicana, tem no elenco atores cujo trabalho deixa muito a desejar, erros crassos de continuidade e concepção de cenário e ambientação equivocadas, para dizer o mínimo. Diante disso, o que mais há para ser dito? "Marisol" é ruim e este comentário poderia se encerrar por aqui. Contudo, não é apenas por tais motivos que a nova produção do SBT já nasceu condenada ao fracasso. A novela tem todos os elementos que compõem a antiquíssima fórmula do conto maravilhoso: o vilão, traição, núcleos opostos (a família rica e a pobre) e a mocinha pobre que, no final, descobre que é rica e se casa com o mocinho, também rico, e vai viver feliz para sempre. Se todos os ingredientes que prendem o interesse do público estão em "Marisol", qual o problema, afinal? Dosar e saber apresentar os tais elementos é o que garante o sucesso de uma trama, e isso, mais uma vez, o SBT está mostrando que não sabe fazer."[15]

Esther Hamburger da Folha de São Paulo comentou "O SBT estreou anteontem sua primeira novela alavancada por "Casa dos Artistas". Estrelada por Bárbara Paz e com Alexandre Frota no papel de vilão, "Marisol" é mais um folhetim do pacote adquirido da mexicana Televisa. A trama do "reality show" se parece com a da novela. Afinal ambas compartilham um ar de Cinderela. Mas o conteúdo engana. A primeira edição de "Casa" causou impacto porque transmitia um frescor de espontaneidade. A maquiagem pesada de Bárbara sugere que a novela se alimenta do inverso. O primeiro capítulo expôs toda a trama e revelou os segredos que devem alimentar o enredo, deixando claro que não há lugar para imprevistos. A cicatriz de Bárbara simboliza o engano. Em "Casa" a marca na face ajudou a compor sua personagem. Órfã, batalhadora e sincera, conquistou a atenção de um príncipe encantado e do público, que a sagrou vencedora. Marisol toma a marca como símbolo de limitação. Mesmo estando na mesma região que a da atriz, é falsa. É curiosa a opção pela caricatura de algo que todos sabem estar ali. Deve visar a facilitar a caracterização, já que, mais à frente, uma operação vai libertá-la da cicatriz. Traindo o espírito de "Casa 1", a segunda versão explicitou a manipulação e a fragilidade das participações. Na mesma linha, "Marisol" desperdiça a chance de mostrar que o SBT está disposto à ousadia necessária a romper padrões."[16]

Referências

  1. a b c d e Paloma Varón (7 de abril de 2002). "Marisol" estréia terça-feira no SBT (em português). Folha Online. Página visitada em 29 de dezembro de 2011.
  2. Paulo Ricardo Moreira (24 de fevereiro de 2002). Romance e vilania com tempero mexicano (em português). O Globo. Página visitada em 21 de junho de 2012.
  3. a b Marisol. Teledramaturgia. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.
  4. Castro, Daniel (5 de maio de 2001). SBT volta a produzir telenovelas em julho (em português). Folha de São Paulo. Página visitada em 20 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 21 de dezembro de 2013.
  5. Ricardo Feltrin (21 de janeiro de 2008). Mulher de Silvio Santos vira funcionária do SBT (em português). Universo Online. Ooops. Página visitada em 22 de novembro de 2011.
  6. Michael, Andréia. (3 de abril de 2005). "Íris Abravanel adapta novela mexicana já exibida pelo SBT". Folha de S. Paulo. Página visitada em 22 de dezembro de 2013.
  7. Especial Corações Feridos: a nova novela do SBT. NaTelinha. UOL (16 de janeiro de 2012).
  8. Vende-se um Véu De Noiva: a nova novela do SBT (em português). M de Mulher. Página visitada em 19 de janeiro de 2012.
  9. Íris Abravanel aposta em drama e humor em 'Corações Feridos'. Veja quem é quem! (em português). Revista Caras (4 de janeiro de 2012). Página visitada em 19 de janeiro de 2012.
  10. Maio, Márcio (17 de janeiro de 2012). SBT tira da gaveta novela de Íris Abravanel gravada em 2010 (em português). Terra. Página visitada em 19 de janeiro de 2012.
  11. a b c Paloma Varón (7 de abril de 2002). "Marisol" estréia terça-feira no SBT. Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 3 de fevereiro de 2014.
  12. Silvio Santos aprova substituta de Adriane Galisteu no "Charme"
  13. Exibição de "Matrix" alavanca audiência do SBT. Folha de São Paulo. UOL (10 de abril de 2002). Página visitada em 27 de março de 2014.
  14. a b Laura Mattos (13 de julho de 2002). Contra ‘Marisol’, ‘JN’ vai melhor que ‘Esperança’. Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.
  15. Carla Nascimento (9 de abril de 2002). Nem sucesso de "Casa" consegue esconder erros de "Marisol". Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.
  16. Esther Hamburger (11 de abril de 2002). "Marisol" peca por falta de frescor. Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]