Martha Rocha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Martha Rocha
Nome completo Maria Martha Hacker Rocha
Data de nascimento 19 de Setembro de 1936 (78 anos)
Local de nascimento Salvador,  Bahia
Nacionalidade Brasil brasileira
Principais trabalhos Miss Brasil de 1954

Maria Martha Hacker Rocha[1] (Salvador, 19 de setembro de 1936) é uma ex-modelo brasileira, eleita em 1954 a primeira Miss Brasil.

Martha Rocha é a sétima filha do casal Álvaro Rocha e Hansa Rocha. Aos 18 anos, Martha participou do concurso Miss Bahia, venceu e logo após tornou-se Miss Brasil. Em julho de 1954, Martha chega aos Estados Unidos e pesquisas já a consideravam eleita a Miss Universo. Martha ficou em 2º lugar e diz a lenda que a perda do o título de Miss Universo para a americana Miriam Stevenson se deveu a duas polegadas a mais nos quadris. O segundo lugar deu a Miss a fama absoluta. Depois do concurso, Martha Rocha tornou-se referência nacional de beleza.

Duas polegadas[editar | editar código-fonte]

A história das duas polegadas foi uma invenção de jornalista João Martins da Revista "O Cruzeiro" do Rio de Janeiro[2] para consolar o orgulho brasileiro. Tudo foi combinado com os demais jornalistas brasileiros que estavam em Long Beach. A própria Martha autorizou a versão, conforme consta de sua autobiografia[3] . Segundo Martha, "nem eu soube se essa história de duas polegadas teria sido verdade mesmo".

Como fato curioso, em 1956 a Chevrolet lançava no Brasil a picape 3100 com duas polegadas (5 cm) a mais na distância entre eixos que nos modelos convencionais. O utilitário é ainda hoje apelidado de Marta Rocha.

A Miss casou-se cedo com o banqueiro português Álvaro Piano e com ele teve dois filhos Álvaro Luis e Carlos Alberto Piano. Pouco depois, seu marido faleceu em um acidente de avião. Voltou ao Brasil com 23 anos e em 1961 casou-se com Ronaldo Xavier de Lima e teve uma filha Claudia Xavier de Lima.

Vida após o concurso[editar | editar código-fonte]

A partir de 1996, passou a aparecer em júris de concursos de beleza se tornando a primeira miss a cobrar cachê para tanto. Em entrevista publicada em abril de 2006 pela revista IstoÉ, Martha explicou que era uma necessidade, pois no ano anterior perdera todo o dinheiro que tinha com a falência de uma instituição financeira (a Casa Piano) comandada à época por um de seus familiares no Rio de Janeiro.

Em 2000, descobriu ser portadora de câncer de mama após assistir a uma reportagem televisiva sobre mutirões de saúde que promoviam o autoexame. A partir daí, Martha passou a ter outro estilo de vida. Nessa época, mudou-se do Rio para Volta Redonda, onde reside um de seus filhos.

Em 2004, Martha foi homenageada com uma exposição itinerante de fotos de sua trajetória como Miss Brasil. Nesse ano, o concurso chegava ao seu 50º aniversário.

Referências

  1. Brasília Kubitschek de Oliveira. p. 164 [citado em 30 de maio de 2010]. (em português).
  2. "O império do papel - os bastidores de O Cruzeiro" - Autor: Accioly Netto - Editora Sulina - 1998
  3. "Martha Rocha - uma autobiografia" - Ida Pessoa - Editora Objetiva, 1999

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Martha Rocha
Precedido por
-
Miss Brasil
1954
Sucedido por
Emília Correia