Massimo Troisi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Massimo Troisi (San Giorgio a Cremano, 19 de fevereiro de 1953Ostia, 4 de junho de 1994) foi um ator, diretor e poeta italiano, que soube reinterpretar e inovar a tradição napolitana, precocemente falecido por um problema cardíaco.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Troisi nasceu em San Giorgio a Cremano, uma pequena cidade a 4 quilómetros de Nápoles, em uma família muito numerosa: dividia a casa com os pais, cinco irmãos, dois avós, os tios e os cinco filhos deles.

Iniciou sua carreira artística ainda no colégio, com o grupo "I saraceni", juntamente com Lello Arena e Enzo Decaro e outros. Em 1977, estes formaram o trio cômico chamado "La Smorfia" (tirado do nome do "livro dos números" tradicionalmente utilizado em Nápolis para jogar na Loto ou bingo. O trio trabalhou também na televisão e tornou-se nacionalmente famoso.

Troisi é conhecido internacionalmente devido ao sucesso de seu filme O carteiro e o poeta (título original : Il Postino di Neruda), pelo qual recebeu uma indicação para um Oscar de melhor ator. Ele trabalhou em outros ótimos filmes, como Ricomincio da Tre (o qual foi exibido ininterruptamente nos cinemas italianos por mais de dois anos), Scusate il ritardo, Le vie del signore sono finite, ou No grazie, il caffè mi rende nervoso.

Ele trabalhou, juntamente com Roberto Benigni em "Non ci resta che piangere", no qual eles são transportados para o século XVI por acaso; eles então encontram Leonardo da Vinci, e quando se dão conta da época na qual estão vivendo, decidem ir para Espanha para tentar evitar que Cristóvão Colombo descubra a América.

Amigo pessoal do músico e cantor Pino Daniele (que escrevia as trilhas sonoras de seus filmes), ele escreveu as letras destas canções ou adaptou suas poesias.

Troisi morreu repentinamente, ainda jovem, de um ataque cardíaco (ele sofria de uma doença congênita) pouco depois de ter encerrado as filmagens de O carteiro e o poeta, que lhe valeu glória e sucesso.

Eduardo De Filippo, ator e escritor napolitano, declarou que Troisi era um comediante do futuro, porém - felizmente - com suas raízes no passado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]