Matéria exótica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em Física, matéria exótica é um termo que se refere à matéria que, de alguma forma, se desvia da norma, apresentando propriedades "exóticas". O termo pode ser aplicado para se referir a diferentes conceitos.

Massa negativa[editar | editar código-fonte]

A massa negativa teria algumas propriedades particularmente estranhas, como a desacelerar na direção oposta à da força aplicada. Por exemplo, um objeto com massa inercial negativa e carga elétrica positiva afastar-se-ia de objetos com carga negativa, e aproximar-se-ia de objetos com cargas positivas, ou seja, o oposto da regra clássica segundo a qual cargas do mesmo sinal repelem-se e cargas de sinal oposto atraem-se. Este comportamento tem resultados que nos parecem bizarros: por exemplo, um gás que contenha uma mistura de partículas de matéria positiva e negativa levaria a que a porção de matéria positiva aumentasse ilimitadamente de temperatura. Por seu lado, a porção de matéria negativa ganharia temperaturas negativas à mesma velocidade, mantendo o equilíbrio.

Ainda que totalmente inconsistente com o senso comum e o comportamento expectável da matéria dita "normal", a massa negativa é plenamente consistente do ponto de vista matemático e não implica qualquer violação da conservação do momentum ou da energia. O conceito é utilizado em certas teorias especulativas, como as que se referem à construção de buracos de minhoca. No domínio da realidade conhecida, o que mais se aproxima de tais características exóticas é a região de pseudo-densidade de pressão negativa resultante do efeito Casimir.

Massa imaginária[editar | editar código-fonte]

Uma partícula com massa de repouso imaginário superaria sempre a velocidade da luz. Estas possíveis partículas, cuja existência jamais foi confirmada, designam-se de taquiões.

E = \frac{mc^2}{\sqrt{1 - v^2/c^2}}

Se a massa de repouso é imaginária, então o denominador deverá ser imaginário já que o total da energia tem de ser um número real. Portanto, a quantidade sob a raiz quadrada tem de ser negativa, o que só pode acontecer se v (a velocidade) for mais elevada que a velocidade da luz, c. Como foi notado por Gregory Benford, entre outros, a relatividade especial implica que os taquiões, supondo que existam, pudessem ser utilizados para comunicar com o passado[2] (antitelefone taquiónico).

Na Teoria quântica de campos, a massa imaginária poderia induzir a condensação de taquiões.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Kurzweil, Ray The Age of Spiritual Machines 1999
  2. G. A. Benford, D. L. Book, and W. A. Newcomb. (1970). "The Tachyonic Antitelephone". Physical Review D 2: 263 pp.. DOI:10.1103/PhysRevD.2.263. Bibcode1970PhRvD...2..263B.