Maternidade Alfredo da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hospital
Maternidade Alfredo da Costa
Centro Hospitalar Lisboa Central
Localização Lisboa, Portugal
Fundação 5 de Dezembro de 1932
Sistema de saúde Serviço Nacional de Saúde
Universidade afiliada Universidade Nova de Lisboa
Rede hospitalar Centro Hospitalar Lisboa Central EPE
Emergência Sim
Leitos 209
Site Página Oficial
editar

A Maternidade Alfredo da Costa (MAC) MHM é um estabelecimento público de saúde especializado em obstetrícia, localizado na freguesia de São Sebastião da Pedreira da cidade de Lisboa.

Foi edificado sobre os alicerces de um templo, com projecto do arquitecto Miguel Ventura Terra, e inaugurado em 5 de Dezembro de 1932, sendo a primeira maternidade em Lisboa a ser concebida e construída de raiz. Foi seu fundador e primeiro director o Professor Augusto de Almeida Monjardino.[1] . Está integrada no Centro Hospitalar Lisboa Central EPE desde o dia 1 de Março de 2012.

Os terrenos em que a maternidade foi construída foram doados tendo em vista a construção de uma igreja em homenagem a Nossa Senhora da Conceição, pela Condessa de Carnide. Contudo, devido à revolução republicana, o plano não chegou realizar-se.

O Estado confiscou o terreno à ordem religiosa e encarregou a Direcção-Geral de Assistência de dar um destino ao terreno.[1]

A construção da Maternidade Alfredo da Costa arrancou em 1914 e foi assegurada por dezenas de operários desempregados e filiados na Confederação Geral do Trabalho. Mas a construção da maternidade continuou ensombrada. Pouco tempo depois, o ministério decidia apertar os cordões à bolsa e retirar verbas à obra. Entretanto começava a Grande Guerra e acentuava-se a falta de materiais - sobretudo ferro. Mas o problema de dinheiro foi resolvido milagrosamente graças à doação inesperada de 1500 contos, vinda de um benfeitor anónimo. Mesmo assim, a verba não chegava. E só quando Salazar, à época ministro das Finanças, visitou o edifício foi possível avançar com o projecto. Salazar determinou que a obra fosse concluída o mais depressa possível e atribuiu-lhe mais mil contos.

A maternidade foi inaugurada a 28 de Maio de 1932 e a 8 de Dezembro nascia a primeira criança, às 23h30: Maria da Conceição. Os jornais não se cansavam de aplaudir o projecto. "Verdadeira casa de repouso, já não temos de invejar os alemães", escrevia o "Diário da Manhã".

No primeiro ano de actividade, a MAC teve 2073 partos - 1120 de "varões" e 953 de raparigas. Depois de um pico de nascimentos em 1977 - o ano em que se atingiu o recorde de partos, com 13 654 nascimentos - instalou-se uma quebra, explicada pela descida da taxa de natalidade e pelo aparecimento de outras maternidades em Lisboa, já nos anos 80[2] .

A 21 de Janeiro de 1983 foi feita Membro-Honorário da Ordem do Mérito.[3]

Desde 1932 nasceram na MAC 600 mil crianças.

Futuro[editar | editar código-fonte]

O governo tem sucessivamente referido a intenção de encerrar a MAC, não estando ainda confirmadas datas nem futuros locais.[4]

Fontes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um hospital ou uma instituição de saúde é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.